Cinemark

Cinemark (NYSE: CNK) é uma das três maiores redes de cinema do mundo. É uma empresa transnacional especializada em operar complexos cinematográficos multiplex. Internacionalmente, a Cinemark está presente em diversos países da América Latina.[1] A sede mundial está localizada em Plano, no estado norte-americano do Texas, e a sede brasileira da rede está localizada em São Paulo.[2] Seu parque exibidor é o maior do Brasil, presente em 46 cidades de dezessete unidades da federação de todas as regiões do país, sendo composto por 86 complexos, totalizando 638 salas de cinema, média de 7,42 salas por complexo. Suas 138 666 poltronas perfazem uma média de 217,34 assentos por sala.[3]

Cinemark
Logo da Cinemark nos Estados Unidos
Cotação NYSE: CNK
Fundação 1984 (37 anos)
Fundador(es) Lee Roy Mitchell
Paul Broadhead
Website oficial www.cinemark.com

HistóriaEditar

A Cinemark foi fundada por Lee Roy Mitchell como uma rede de cinemas na Califórnia, Texas e Utah.[4] Não está claro quando o Cinemark foi fundado. Enquanto a Cinemark oficialmente afirma ter sido lançada em 1984 (e anteriormente reivindicou a data de fundação em 1983), registros online mostram que a Cinemark pode ter começado já em 1977. As raízes da empresa remontam à década de 1960, quando os irmãos JC e Lee Roy Mitchell criaram Mitchell Theatres, Inc.[5] Em 1972, a empresa foi nomeada Texas Cinema Corporation. Lee Roy Mitchell então formou um grupo de cinemas sob o nome Cinemark começando em 1977. A Cinemark Corporation e Texas Cinema Corporation fundiram operações em junho de 1979 criando um portfólio de 25 cinemas no Texas e Novo México sob a marca Cinemark.[6] Em 26 de março de 1980, Henry G. Plitt, da Plitt Theatres Holdings, comprou o circuito de cinemas Cinemark. [7] Mas a Cinemark Corporation continuou suas operações adquirindo cinemas existentes e começou a construir novos cinemas. Em 1987, a Cinemark adquiriu todos os Plitt Theatres.

Com a abertura do Movies 8 na 3912 Hampton Road em Texarkana, Texas, em 1987, a Cinemark começou a construir cinemas com interiores coloridos e grandes fliperamas. Anúncios legais indicam que a empresa conhecida como Cinemark USA, Incorporated, começou oficialmente em 31 de dezembro de 1987.[8] No ano seguinte, a Cinemark lançou seu mascote Front Row Joe, criado pelo estúdio de animação independente Wilming Reams Animation. Este gato animado apareceu em trailers de políticas e em produtos de concessão para crianças.[9]O mascote foi aposentado em 1998, quando o Cinemark começou a abrir cinemas em estilo Art Déco, e foi revivido em 2004 para seu 20º aniversário, e novamente em 2018 com um visual CGI, laranja mais escuro e a cor bege sendo adicionada. Em 1992, a Cinemark abriu um novo conceito de cinema chamado Hollywood USA em Garland, Texas; esse conceito foi posteriormente refinado na marca de cinemas Tinseltown USA, que eram muito maiores do que os que o Cinemark havia construído anteriormente. No ano seguinte, o Cinemark se expandiu para a América Latina com a inauguração de um cinema em Santiago, Chile. No ano seguinte, o Cinemark abriu quatro cinemas no México. Em 1998, a Cinemark anunciou que substituiria seus interiores de cores brilhantes com o que a Cinemark caracterizou como um design Art Déco mais clássico.[10] Através da construção e aquisições de novos teatros, tornou-se a terceira maior rede de teatros dos Estados Unidos e a segunda maior rede de teatros do mundo.[carece de fontes?] O filho de Mitchell, Kevin Mitchell, trabalhou na empresa como executivo até sair em 2007 para fundar o ShowBiz Theatres.[11][12][13] Em 2013, a Cinemark decidiu vender todos os seus cinemas mexicanos para o Cinemex.[14]

A Cinemark tem um acordo com a Universal Pictures em que filmes que arrecadam mais de US $ 50 milhões no mercado interno durante seu primeiro fim de semana nos cinemas continuarão a ser exibidos nos cinemas exclusivamente por cinco fins de semana, ou 31 dias.[15] Depois disso, enquanto os cinemas podem continuar a exibir um filme, o título torna-se disponível em plataformas de aluguel online, como Apple TV e Amazon Prime Video.[15]

Processo judicial do Departamento de Justiça dos Estados UnidosEditar

Na década de 1990, o Cinemark foi uma das primeiras redes a incorporar assentos em formato de estádio em seus cinemas.[16] Em 1997, deficientes físicos entraram com um processo contra o Cinemark, alegando que suas poltronas estilo estádio forçavam os clientes que usavam cadeiras de rodas a se sentar na primeira fila do cinema, tornando-os efetivamente incapazes de ver a tela sem assumir uma posição horizontal. O caso foi ouvido no tribunal distrital de El Paso no caso Lara v. Cinemark USA, onde um juiz determinou que a arquitetura do Cinemark violava a Lei dos Americanos com Deficiências (ADA). A decisão foi posteriormente anulada pelo Quinto Tribunal de Recursos do Circuito, que decidiu que o Cinemark só tinha que fornecer uma "visão desobstruída" da tela e que, uma vez que a visão dos usuários com deficiência era apenas estranha e não estava realmente obscurecida, o Cinemark não estava violando a lei.[17]

Em resposta, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DOJ) abriu seu próprio processo contra a Cinemark enquanto apelava da decisão do tribunal de apelação. O DOJ argumentou que, embora o Cinemark não estivesse tecnicamente violando o ADA, ainda assim estava discriminando os clientes com deficiência, relegando-os aos piores assentos do cinema.[18] A Cinemark respondeu entrando com uma ação contra o Departamento de Justiça, alegando má conduta por parte do DOJ.[19]

O processo da Cinemark foi arquivado e o Departamento de Justiça deu andamento ao processo. A Cinemark acabou concordando em fazer um acordo fora do tribunal antes que a corte chegasse a uma decisão, concordando com o DOJ que era do melhor interesse da empresa encerrar o litígio antes que uma decisão fosse emitida.[18] De acordo com os termos do acordo, o Cinemark concordou em renovar todos os cinemas existentes para fornecer aos clientes que usavam cadeiras de rodas acesso a fileiras mais altas em seus cinemas, e também concordou que todos os cinemas futuros seriam construídos de forma a permitir que clientes deficientes tivessem melhor acesso às fileiras mais altas. Por sua vez, o Departamento de Justiça concordou em não abrir novos processos contra a empresa em relação à arquitetura dos assentos dos estádios conforme se aplica ao ADA.[18]

Incidente em AuroraEditar

 Ver artigo principal: Massacre em Aurora em 2012

Em 20 de julho de 2012, um atirador abriu fogo durante a estreia à meia-noite de The Dark Knight Rises em um cinema em Century, em Aurora, no Colorado, matando 12 pessoas e ferindo outras 70.[20] O atirador, mais tarde identificado como James Eagan Holmes, que se acreditava estar agindo sozinho, entrou no cinema vestido com roupas de proteção, disparou granadas táticas e, em seguida, abriu fogo com várias armas de fogo contra os espectadores. Contando tanto as fatalidades quanto os feridos, o ataque foi o maior tiroteio em massa em termos de número de vítimas na história dos Estados Unidos na época.[21] O cinema foi reaberto em 17 de janeiro de 2013.[22]

O cinema foi processado por familiares das vítimas, que alegaram que o mesmo deveria ter tomado medidas maiores para prevenir tal tiroteio. Em maio de 2016, após anos de debate jurídico, um júri levou três horas para proferir um veredicto unânime de que a cadeia de cinemas não era responsável em qualquer grau pela tragédia que ocorreu.[23] Como parte vencedora do julgamento, a Cinemark buscou cerca de US $ 700.000 dos demandantes para recuperar as despesas do litígio. Em setembro de 2016, após objeções das vítimas, Cinemark retirou todos os pedidos de reembolso de taxas legais.[24] Um grupo separado de vítimas também foi demitido em tribunal federal quando o juiz distrital dos Estados Unidos R. Brooke Jackson decidiu: "[James Holmes] as próprias ações premeditadas e intencionais foram a causa predominante das perdas dos reclamantes."[25]

Na esteira do tiroteio em 2018 em Parkland, Flórida, a Cinemark anunciou que não permitiria mais bolsas maiores que 30 cm x 30 cm x 15 cm (12 pol x 12 pol x 6 pol.) Em seus cinemas como medida de segurança.[26]

Fechamento temporário em 2020Editar

A partir de 18 de março de 2020, o Cinemark fechou todos os seus 345 cinemas nos Estados Unidos indefinidamente devido à pandemia COVID-19.[27]

No BrasilEditar

Cinemark
Logo da Cinemark no Brasil
Razão social Cinemark Brasil Ltda.
Sociedade limitada
Slogan É mais que cinema. É Cinemark.
Atividade Cinematográfica
Fundação 01 de junho de 1997 (24 anos)
Sede Av. Doutor Chucri Zaidan, 940, 2° andar, Torre II – Vila Cordeiro, São Paulo-SP, Brasil
Área(s) servida(s) Quase todas as Unidades da Federação, a exceção do Acre, Alagoas, Amapá, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia e Roraima.
Presidente Marcelo Bertini (no Brasil)
Produtos Exibição de produções cinematográficas
Subsidiárias 86 complexos de cinemas, perfazendo 638 salas
Website oficial www.cinemark.com.br

Em 1995, a Cinemark enviou ao país o executivo nova-iorquino Joe Resnick, que havia sido presidente da Associação Americana dos Proprietários de Cinemas (NATO, na sigla em inglês) com o objetivo de avaliar o mercado local e a possibilidade de implantação de uma filial em terras brasileiras[28]. Após visitar as cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Salvador, Resnick relatou a situação de decadência das salas e retração do mercado, em virtude do desconforto e oferta de filmes para a TV.[28] Aprovada a chegada ao Brasil, em 6 de julho de 1997 deu-se a inauguração do primeiro complexo no Shopping Colinas,[29] na cidade de São José dos Campos.

 
Vista da área externa do Cinemark instalado no Boulevard Shopping de Camaçari, Bahia

Em 2009, a Cinemark introduziu o seu próprio conceito de tela grande, conhecido como XD, e tem planos para instalá-lo em diversas áreas pelo mundo. Nos EUA, todas as telas XD instaladas depois de agosto de 2010 contam com som 7.1 surround e os instalados após outubro de 2012 com (ou modernizando-se) com Dolby Atmos. Elas também possuem um sistema digital de transmissão de vídeos, mas ainda sem transmissão em resolução 4K, que pertence a rede Cinépolis e a United Cinemas International - UCI.[30][31]

A Cinemark encerrou o ano de 2015 no 1.o lugar entre os maiores exibidores do país por número de salas, detendo um market share de 10,5%[32]. Seu atual presidente é o executivo brasileiro Marcelo Bertini[33]. Em 2011, ele recebeu o prêmio "Executivo de Valor", concedido pelo jornal Valor Econômico.

Em agosto de 2021, a Cinemark anunciou que vai substituir o programa de fidelidade do cliente "Cinemark Mania" pelo "Meu Cinemark".[34]

PúblicoEditar

 
Vista do Cinemark Pátio Savassi de Belo Horizonte, MG

Desde que se tornou a maior rede de cinemas em número de salas, a Cinemark também se tornou também a líder absoluta em público, sendo que a entrada da Cinépolis no país reduziu o market share da empresa mas não afetou a sua liderança. Abaixo a tabela de público e sua evolução de 2002 à 2019, considerando o somatório de todas as suas salas a cada ano.

A variação mencionada se refere à comparação com os números do ano imediatamente anterior. Os dados foram extraídos dos bancos de dados Database Brasil (período de 2002 a 2007 e de 2014 a 2015)[35] e Box Office do portal de cinema Filme B (período de 2008 a 2013).[36][37] Já os números de 2016em diante foram extraídos do Relatório "Informe Anual Distribuição em Salas Detalhado", da ANCINE[38]. No período avaliado, a rede teve um crescimento de 195,84% no seu público, sendo que a maior fatia do mercado foi obtida em 2008, com mais de 30% do público total brasileiro, e vem declinando desde então.

Ano Público

total

Ranking

no país

Market

Share

Variação
2002 20 985 470 23,09% ano-base
2003 22 856 137 22,20%  8,91%
2004 26 936 542 23,48%  17,85%
2005 24 765 687 27,59%  8,06%
2006 24 456 399 27,09%  1,25%
2007 24 914 805 27,89%  4,00%
2008 26 124 289 30,53%  4,00%
2009 32 782 122 29,01%  25,49%
2010 38 835 023 26,08%  18,46%
2011 38 826 651 28,77%  0,02%
2012 39 307 259 27,73%  1,24%
2013 39 739 756 26,28%  1,10%
2014 40 025 057 25,40%  0,72%
2015 43 295 104 25,36%  8,17%
2016 45 586 992 24,86%  5,29%
2017 41 919 126 23,41%  8,05%
2018 38 359 641 23,81%  8,49%
2019 41 097 491 23,55%  7,14%

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Find Where Our International Theatres Are Located». www.cinemark.com. Consultado em 7 de janeiro de 2021 
  2. «Filme B - Revista» (PDF). Setembro de 2014. Consultado em 20 de agosto de 2015 
  3. «Consulta - Salas de Exibição Cadastradas (para uso no Sadis Detalhado)». ANCINE - Agência Nacional do Cinema. 11 de abril de 2017. Consultado em 12 de abril de 2017 
  4. «Cinemark Corporate Office». Corporate Office HQ (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  5. "Interstate Purchases New Drive-In Theatre." Waco News Tribune, 9 de fevereiro de 1966, p. 5.
  6. "Realty Insight." Dallas Morning News, 17 de junho de 1979, p. 4B.
  7. "Cinemark Bought by Plitt Theaters." Fort Worth Star-Telegram, 12 de março de 1980, p. 28.
  8. "Fictitious Business Name Statement." San Bernardino County Sun, 12 de outubro de 1988, p. 33.
  9. «The Golden Era of Cinema Mascots». CineLog (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  10. «Cinemark USA moving headquarters to Plano». Biz Journals (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  11. «Kevin L. Mitchell» (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  12. «"Executive Profile: Lee Roy Mitchell"». Bussinss Week (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  13. «Uniting Business Leaders with Altruistic Action for Animal Welfare» (PDF) (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  14. «Cinemark Selling Mexico Theater Chain». Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  15. a b «Cinemark Reaches Deals With Hollywood Studios to Show Movies». Wall Street Journal (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  16. «Cinemark Brings Stadium Seating to the Valley». Cinemark (em inglês). 13 de agosto de 1988. Consultado em 13 de junho de 2021 
  17. «Appellate Court OKs Stadium-style Movie Seating; Cinemark, USA Inc. Wins ADA Case» (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  18. a b c «UNITED STATES OF AMERICA V. CINEMARK USA, INC.». Departamento de Justiça (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  19. «Cinemark v United States» (PDF). Departamento de Justiça (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  20. «Officials release complete list of injured victims in Aurora massacre». Fox News (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  21. «Colorado Movie Theater Shooting: 70 Victims The Largest Mass Shooting». Yahoo ! (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  22. «Vacant since mass shooting, renewed Aurora theater to reopen Thursday». Denver Post (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  23. «Cinemark Not Liable in Colorado Theater Shooting, Jury Finds». Variety (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  24. «Aurora theater shooting victims won't have to pay $700,000 in legal costs after Cinemark drops request». Denver Post (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  25. «Cinemark Victories Are A Check on Ill-Advised Lawsuits». Denver Post (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  26. «Cinemark, citing safety, is banning large bags from its theaters». Oregon Live (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  27. «Cinemark to Temporarily Close 345 Theaters Nationwide». NBC dfw (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2021 
  28. a b «No escurinho do cinema - EXAME.com». 21 de novembro de 2002. Consultado em 14 de setembro de 2016. Arquivado do original em 22 de setembro de 2016 
  29. «Cinemark 15 anos». Cinemark 15 anos. Consultado em 31 de julho de 2015. Arquivado do original em 2 de novembro de 2015 
  30. Pedro Cardoso (23 de março de 2011). «Sony apresenta no Brasil a tecnologia 4k de cinema digital». TechTudo. Consultado em 24 de setembro de 2015 
  31. Douglas Ciriaco (21 de julho de 2015). «Cinema: qual a diferença entre 4DX, IMAX, Macro XE e XD?». Canal Tech. Consultado em 23 de setembro de 2015 
  32. «Ranking das Empresas Exibidoras - 2015» (PDF). Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual - OCA. ANCINE. Janeiro de 2016. Consultado em 9 de outubro de 2016 
  33. «Fimeb - Quem é Quem». Consultado em 1 de agosto de 2015 
  34. «"CINEMARK LANÇA NOVO PROGRAMA DE FIDELIDADE PARA CLIENTES DO BRASIL». Portal Exibidor. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  35. «Ranking exibidores de 2014 (público) - top 50». Data base Brasil 2014. Filme B. Janeiro de 2015. Consultado em 16 de outubro de 2016 
  36. «Filme B - o maior portal sobre o mercado de cinema no Brasil». www.filmeb.com.br. Consultado em 19 de setembro de 2015 
  37. «Identificação - Box Office Brasil». www.filmebboxofficebrasil.com. Consultado em 17 de outubro de 2015 
  38. «Cinema | Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual». oca.ancine.gov.br. Consultado em 19 de abril de 2020 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Cinemark