Clotilde Cerdà i Bosch

Clotilde Cerdà i Bosch (Barcelona, 1852- Santa Cruz de Tenerife, 1926) foi uma harpista, que atuou sob o nome artístico de Esmeralda Cervantes. Era filha do engenheiro Ildefonso Cerdá e da pintora Clotilde Bosch. A sua mãe enviou-a a Roma para estudar pintura com Mariano Fortuny, mas enveredou pela música e percorreu todo o mundo como instrumentista de harpa, com grande êxito. Debutou no Teatro Imperial de Viena em 1873 e foi muito elogiada tanto por Victor Hugo, que lhe chamou «Esmeralda (como a heroína da sua obra mais representada) Cervantes (em homenagem ao grande escritor espanhol)», como também por Richard Wagner.[1]

Clotilde Cerdà i Bosch
Clotilde Cerdà atuava com o nome artístico Esmeralda Cervantes
Informação geral
Nascimento 1852
Local de nascimento Barcelona, Espanha
Morte 1926 (74 anos)
Local de morte Santa Cruz de Tenerife, Espanha
Ocupação(ões) Harpista

Em 1875 viajou pela América e atuou em Buenos Aires, na corte do imperador do Brasil e na Cidade do México. Feminista e progressista, em 1881 chegou a formar parte da loja maçónica Lealdade de Barcelona, a qual Aurea Rosa Clavé de Ferrer, filha de Anselmo Clavé integrava desde 1879.[2]

Quando em 1885 regressou a Barcelona, criou com a médica Dolors Aleu i Riera uma instituição educativa feminina de alto nível, a "Academia para la Ilustración de la Mujer" (em catalão: Acadèmia per a la Il·lustració de la Dona). Em 1887 viajou até Constantinopla, contratada como professora de harpa para o harém do sultão do Império Otomano. Finalmente, retirou-se para as Ilhas Canárias, falecendo em Tenerife em 1926.

Tem uma só obra publicada: La historia del arpa (1885).[3]

Referências

  1. [www.elmundo.es/cataluna/2013/12/24/52b9bfeb22601d62248b4593.html «La arpista que sedujo a reyes, Wagner y Victor Hugo»] Verifique valor |url= (ajuda) (em espanhol). Consultado em 3 de janeiro de 2014 
  2. «Logia Femenina de Francia». Consultado em 3 de janeiro de 2014. Arquivado do original em 17 de novembro de 2008 
  3. «Diccionari Biogràfic de Dones». Consultado em 9 de outubro de 2013