Abrir menu principal



북조선림시인민위원회
Comitê Popular Provisório da Coreia do Norte
Flag of the Soviet Union (1924–1955).svg
1946 – 1947 Flag of the Provisional People's Committee for North Korea.svg
Flag Brasão
Bandeira da União Soviética Bandeira do governo norte da Coreia
Localização de Coreia do Norte
Localização da região norte da península da Coreia
Continente Ásia
Região Ásia Oriental
País Coreia do Norte
Capital Pyongyang
Língua oficial Coreano
Religião Cheondoísmo
Xamanismo
Governo Estado socialista
Governo provisório
Presidente
 • 1946–1947 Kim Il-sung
Período histórico Guerra Fria
 • 8 de fevereiro de 1946 Fundação
 • 21 de fevereiro de 1947 Dissolução
Moeda Iene coreano[1]

O Comitê Popular Provisório da Coreia do Norte foi a autoridade central que serviu como o governo provisório de facto no lado norte da península Coreana.

O comitê foi estabelecido em 8 de fevereiro de 1946 em resposta à necessidade da Administração Civil Soviética e dos Comunistas de ter um poder centralizado no norte da Coreia, que até então era uma área dividida em comitê populares provinciais. Considerado a instituição de poder mais elevado do norte da Coreia, o Comitê também foi o responsável pela realização de diversas reformas importantes, como as reformas agrária e a nacionalização de indústrias chave.

O comitê foi sucedido pelo Comitê Popular da Coreia do Norte em 21 de fevereiro de 1947, que foi o governo provisório no período em que o norte fez a transição para a República Popular Democrática da Coreia.

HistóriaEditar

Com a rendição do Império do Japão ao fim da Segunda Guerra Mundial em agosto de 1945, comitês populares foram estabelecidos por toda a Coreia. A administração desses comitês era reconhecida pelas forças soviéticas durante sua entrada e ocupação no norte da Coreia ao mesmo tempo em que estabeleciam sua própria autoridade durante a ocupação, a Administração Civil Soviética, estabelecida em 3 de outubro de 1945.

Uma tentativa inicial dos soviéticos de criar um governo centralizado no norte da Coreia foi o Comitê Administrativo das Cinco Províncias, criado em 8 de outubro de 1945 e liderado pelo presidente nacionalista do comitê popular de Pyongan Sul, Cho Man-sik, que era a figura mais proeminente no norte da Coreia e um dos candidatos dos Soviéticos para ser um futuro líder da Coreia do Norte. Esse comitê funcionou como uma instituição autônoma de governo criada pelos representantes dos comitês populares das cinco províncias do norte da Coreia, consistindo de uma aliança entre Comunistas e Nacionalistas. O Comitê Administrativo das Cinco Províncias terminou após Cho Man-sik ser preso pelos soviéticos em janeiro de 1946 devido principalmente à oposição de Cho à proposta da Conferência de Moscou para estabelecer um regime de tutela na Coreia.

Entre 8 e 9 de fevereiro de 1946, um encontro de partidos políticos, organizações sociais, comitês populares e birôs administrativos no norte da Coreia estabeleceu o Comitê Popular Provisório da Coreia do Norte. Esse novo comitê dominado pelos comunistas foi liderado por Kim Il-sung, um comunista apoiado pelos Soviéticos para tornar-se líder da Coreia do Norte. Esse comitê efetivamente passou a ser o governo provisório de facto que realizou reformas no norte da Coreia como a reforma agrária e nacionalização de indústrias chave de acordo com a Plataforma de 20 Pontos estabelecida por Kim Il-sung em março de 1946. A Administração Civil Soviética continuou funcionando simultaneamente com o Comitê Popular Provisório da Coreia do Norte, mas em um papel consultivo.

O Comitê Popular Provisório da Coreia do Norte realizou eleições locais para comitês populares em novembro de 1946. Isso foi uma preparação para a eleição da Assembleia Popular da Coreia do Norte em fevereiro de 1947, que organizou o Comitê Popular da Coreia do Norte em 21 de fevereiro de 1947, o governo provisório que se sucedeu no norte da Coreia.

OrganizaçãoEditar

O Comitê Popular Provisório da Coreia do Norte foi organizado por meio de uma reunião de encontro de partidos políticos, organizações sociais, comitês populares e birôs administrativos no norte da Coreia entre 8 e 9 fevereiro de 1946.

Participando do encontro estavam 137 representantes que incluíam dois representantes do Partido Comunista da Coreia, dois representantes do Partido Democrático da Coreia, dois representantes da Aliança da Independência, dois representantes da Federação Geral de Sindicatos, dois representantes da Federação Geral dos Sindicatos Camponeses, um representante da Liga das Mulheres, um representante da Liga da Juventude Democrata, um representante de associações religiosas, um representante da Associação Cultural Soviético-Coreana, onze líderes de birôs administrativos e representantes dos comitês populares.[2]

Kim Il-sung fez um informe sobre a situação política na Coreia do Norte e a questão de criar um comitê popular provisório no primeiro dia do encontro em 8 de fevereiro. Após isso, no dia 9 de fevereiro, foi realizada a eleição dos 23 membros do Comitê Popular Provisório da Coreia do Norte, com Kim Il-sung como presidente, Kim Tu-bong como vice-presidente e Kang Ryang-uk como secretário-geral.[2][3]

Nome Afiliação
Kim Il-sung Partido Comunista
Kim Tu-bong Aliança da Independência
Mu Chong Partido Comunista
Kang Ryang-uk Partido Democrata
Choe Yong-gon Partido Democrata
Ri Mun-hwan Independente
Han Hui-jin Independente
Ri Sun-gun Partido Comunista
Ri Pong-su Partido Comunista
Han Tong-chan Independente
Jang Jong-sik Partido Comunista
Yun Ki-yong Partido Democrata
Choe Yong-dal Partido Comunista
Kim Tok-yong Independente
Pang U-yong Liga da Independência
Hong Ki-ju Partido Democrata
Hyon Chan-hyong Federação Geral de Sindicatos
Ri Ki-yong Associação Cultural Soviético-Coreana
Kang Jin-gon Federação Geral dos Sindicatos Camponeses
Pak Jong-ae Liga das Mulheres Democratas
Hong Ki-hwang Partido Democrata
Kang Yong-gun Sindicato
Pang Su-yong Liga da Juventude Democrata

O Comitê Popular Provisório da Coreia do Norte também consistiu de dez departamentos e três birôs (que foi posteriormente aumentado para quatro birôs).

Posição Nome Afiliação
Presidente Kim Il-sung Partido Comunista
Vice-Presidente Kim Tu-bong Aliança da Independência
Secretário-Geral Kang Ryang-uk Partido Democrata
Departamento de Indústria Ri Mun-hwan Independente
Departamento de Transporte Han Hui-jin Independente
Departamento de Agricultura e Florestas Ri Sun-gun Partido Comunista
Departamento de Comércio Han Tong-chan Independente
Departamento de Serviços Postais Jo Yong-yol Partido Comunista
Departamento de Finanças Ri Pong-su Partido Comunista
Departamento de Educação Jang Jong-sik Partido Comunista
Departamento de Saúde Yun Ki-yong Partido Democrata
Departamento de Justiça Choe Yong-dal Partido Comunista
Departamento de Segurança Choe Yong-gon Partido Democrata
Birô de Planejamento Jong Jin-tae Partido Comunista
Birô de Propaganda O Ki-sop Partido Comunista
Birô de Assuntos Gerais Ri Ju-yon Partido Comunista

Han Hui-jin foi posteriormente substituído como líder do departamento de transporte por Ho Nam-hui, e Han Tong-chan substituído como líder do departamento de comércio por Jang Si-u. O Ki-sop posteriormente tornou-se líder do departamento de trabalho após sua criação em setembro de 1946, com Ri Chong-won tornando-se o novo líder do birô de propaganda.[3]

ReformasEditar

Em 23 de março de 1946, Kim Il-sung emitiu a Plataforma de 20 Pontos, que serviu como base para as reformas a serem implementadas no norte da Coreia.

  1. Expurgar completamente todos os remanescentes da antiga autoridade imperialista Japonesa da vida política e econômica na Coreia.
  2. Iniciar uma luta sem piedade contra elementos reacionários e antidemocráticos no interior do país, e proibir em absoluto as atividades de indivíduos, grupos e partidos fascistas e antidemocráticos.
  3. Garantir as liberdades de expressão, imprensa, assembleia e fé para todas as pessoas. Garantir a condição para a livre atividade de partidos políticos democratas, associações de trabalhadores, associações de camponeses e outras organizações sociais democráticas.
  4. Garantir a possibilidade de que todo o povo Coreano possua o dever e o direito de organizar comitês populares, as instituições administrativas locais unificadas, por meio de eleições baseadas na votação secreta, igual, direta e universal.
  5. Garantir direitos iguais para todos os cidadãos independente de gênero, fé e posse de propriedade.
  6. Insistir na inviabilidade de residência e pessoa, e na garantia legal de propriedade e posse pessoal dos cidadãos.
  7. Abolir todas as instituições legais e judiciais usadas durante o tempo da antiga autoridade imperialista Japonesa e também influenciadas por tais, e eleger instituições judiciais populares sob princípios democráticos e garantir a igualdade de direitos sob a lei para todos os cidadãos.
  8. Desenvolver indústrias, fazendas, transportes e comércio para aumentar o bem-estar do povo.
  9. Nacionalizar grandes empresas, instituições de transporte, bancos, minas e florestas.
  10. Permitir e encorajar a liberdade no artesanato e comércio privados.
  11. Confiscar a terra de pessoas japoneses, cidadãos japoneses, traidores e latifundiários que praticam agricultura arrendatária e sucateamento do sistema de agricultura arrendatária, e fazer de toda a terra confiscada propriedades de camponeses de forma gratuita. O estado também deve gerenciar todas as instalações de irrigação gratuitamente.
  12. Lutar contra especuladores e agiotas por promulgarem preços de mercado para necessidades diárias.
  13. Decretar um único e justo sistema de imposto, e implementar um sistema progressivo de imposto de renda.
  14. Implementar um sistema de 8 horas de trabalho para trabalhadores e funcionários de escritório, e regularizar salários mínimos. Proibir trabalho para homens abaixo de 13 anos, e implementar um sistema de 6 horas de trabalho para homens entre 13 e 16 anos.
  15. Implementar seguro de vida para trabalhadores e funcionários de escritório, e implementar um sistema de seguro para trabalhadores e empresas.
  16. Implementar um sistema de educação compulsório, e extensivamente expandir escolas primárias, escolas médias, escolas superiores e universidades sob administração do estado. Reformar o sistema de educação popular de acordo com o sistema democrático do estado.
  17. Ativamente desenvolver a cultura, ciência e arte nacional, e expandir o número de teatros, bibliotecas, estações de rádio e cinema.
  18. Extensivamente instalar escolas especiais para cultivar o talento exigido em todos os setores das instituições do Estado e na economia popular.
  19. Encorajar pessoas e empresas a engajar-se em ciência e arte, e dar-lhes auxílio.
  20. Expandir o número de hospitais estatais, erradicar doenças infecciosas, e tratar as pessoas pobres gratuitamente.[4]

Em 8 de março de 1946, a reforma agrária foi implementada na Coreia do Norte confiscando a terra de cidadãos e organizações japonesas, colaboradores Coreanos, latifundiários e organizações religiosas. A terra confiscada foi então redistribuída para cerca de 420.000 famílias. Um total de 52% da área de terras da Coreia do Norte e 82% das propriedades de terra foram redistribuídas.[3]

Em 24 de junho de 1946, uma jornada diárias de 8 horas de trabalho foi implementada, com trabalhadores envolvidos em trabalhos perigosos sendo atribuídos a uma jornada de 7 horas por dia. Trabalho foi proibido para aqueles com menos de 14 anos. Pagamento igual e seguro social foram implementados para os trabalhadores.[3]

Em 22 de julho de 1946, uma lei de igualdade de gênero foi promulgada na Coreia do Norte.[3]

Em 10 de agosto de 1946, 1.034 grandes instalações industriais, ou 90% do total de indústrias da Coreia do Norte, foram nacionalizadas.[3]

Em 27 de dezembro de 1946, foi decidido que os fazendeiros na Coreia do Norte dariam 25% de suas colheitas como imposto agrícola.[3]

Veja tambémEditar

ReferênciasEditar

  1. Cho, Lee-Jay; Kim, Yoon Hyung (1995). Economic systems in South and North Korea: the agenda for economic integration. Korea Development Institute. p. 161. ISBN 978-89-8063-001-1.
  2. a b «Estabelecimento do Comitê Popular Provisório da Coreia do Norte». contents.history.go.kr. Instituto Nacional de História Coreana. Consultado em 21 de agosto de 2019 
  3. a b c d e f g «Organização e Papel do Comitê Popular Provisório da Coreia do Norte». db.history.go.kr. Instituto Nacional de História Coreana. Consultado em 21 de agosto de 2019 
  4. Kim, Il-sung. «Plataforma de 20 Pontos». ournation-school.com. Kim Il Sung Open University. Consultado em 21 de agosto de 2019 

NotasEditar

Artigo traduzido e adaptado da versão em inglês da Wikipédia: Provisional People's Committee of North Korea