Congresso Eucarístico Internacional

O Congresso Eucarístico Internacional é um encontro de pessoas da Igreja Católica de diversos países do mundo, para adorar a pessoa de Jesus Cristo na Eucaristia, isto é, a sua presença real e substancial na hóstia consagrada durante a celebração da missa.[1]

HistóricoEditar

Os Congressos Eucarísticos nasceram na segunda metade do século XIX na França. Foi a senhora Emilie Tamisier (18341910), inspirada pelo fundador da Obra da Adoração Perpétua e da Congregação do Santíssimo Sacramento, São Pedro Julião Eymard (18111868), chamado o Apóstolo da Eucaristia, que tomou a iniciativa de organizar, com a ajuda de outros leigos, sacerdotes e bispos e com a bênção do papa Leão XIII, o primeiro Congresso Eucarístico Internacional em Lille, com o tema: A Eucaristia salva o mundo. Apostava-se em uma renovada fé em Cristo presente na Eucaristia como remédio contra a ignorância e a indiferença religiosa.

Os primeiros Congressos foram inspirados pela viva fé na presença real da pessoa de Jesus Cristo no sacramento da Eucaristia. Portanto, o culto eucarístico manifestava-se de modo particular pela adoração solene e pelas grandiosas procissões que evidenciavam o triunfo da Eucaristia.

A partir dos decretos de São Pio X sobre a comunhão frequente Sacra Tridentina Synodus, de 1905 e sobre a comunhão das crianças Quam Singularis, de 1910, na preparação e na celebração dos Congressos promoviam-se a comunhão freqüente dos adultos e a primeira Comunhão das crianças.

Com o pontificado de Pio XI os Congressos Eucarísticos se tornaram internacionais, pois começaram a ser celebrados rotativamente em todos os Continentes, adquirindo uma dimensão missionária e de re-evangelização (expressão já usada para a preparação do Congresso de Manila de 1937).

Ficheiro:Memorlibro de la Tria Esperantista Eŭkaristia Mondkonveno (Rio-de-Ĵanejro, 1955).jpg
Memorlibro de la Tria Esperantista Eŭkaristia Mondkonveno (Rio-de-Ĵanejro, 1955)

A partir do 37° Congresso celebrado em Munique em 1960, os Congressos Eucarísticos Internacionais foram chamados statio orbis (proposto pelo liturgista, o jesuíta Josef Jungmann), com a celebração da Eucaristia como centro e ápice de todas as várias manifestações e formas de devoção eucarística.

A seguir, o Concílio Vaticano II, com a Constitução Sacrosanctum Concilium de 1963, a Instrução Eucharisticum Mysterium de 1967 e particularmente o Ritual Romano De sacra comunione e de cultu mysterii eucaristici extra Missam de 1973, apresenta a nova imagem e indica os critérios para a preparação e a celebração dos Congressos Eucarísticos, que, a partir daquele momento, se abriram aos problemas do mundo contemporâneo, ao ecumenismo e também, na fase de preparação, ao diálogo inter-religioso.

Cidades-SedeEditar

Os locais de cada Congresso Eucarístico Internacional são escolhidos pelo próprio Papa.

ANO SEDE
1881  Lille
1882  Avinhão
1883  Liége
1885  Friburgo
1885  Toulouse
1888  Paris
1890  Antuérpia
1893  Jerusalém
1894  Reims
10º 1897  Paray-le-Monial
11º 1898  Bruxelas
12º 1899  Lourdes
13º 1901  Angers
14º 1902  Namur
15º 1904  Angoulême
16º 1905  Roma
17º 1906  Tournai
18º 1907  Metz
19º 1908  Londres
20º 1909  Colônia
21º 1910  Montreal
22º 1911  Madri
23º 1912  Viena
24º 1913  Valletta
25º 1914  Lourdes
26º 1922  Roma
27º 1924  Amsterdã
28º 1926  Chicago
29º 1928  Sydney
30º 1930  Cartago
31º 1932  Dublin
32º 1934  Buenos Aires
33º 1937  Manila
34º 1938  Budapeste
35º 1952  Barcelona
36º 1955  Rio de Janeiro
37º 1960  Munique
38º 1964  Bombaim
39º 1968  Bogotá
40º 1973  Melbourne
41º 1976  Filadélfia
42º 1981  Lourdes
43º 1985  Nairobi
44º 1989  Seul
45º 1993  Sevilha
46º 1997  Wroclaw
47º 2000  Roma
48º 2004  Guadalajara
49º 2008  Quebec
50º 2012  Dublin
51º 2016  Cebu
52º 2020  Budapeste

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

Referências

  1. «Os Congressos Eucarísticos Internacionais». www.vatican.va. Consultado em 2 de abril de 2019 
  Este artigo sobre catolicismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.