Abrir menu principal

Convento do Carmo de São Paulo

convento em São Paulo
Question book-4.svg
Este artigo cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2010). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O Convento do Carmo é um convento carmelita da cidade de São Paulo, Brasil.

HistóriaEditar

Em 1591, frei Antônio de São Paulo pediu à câmara municipal licença para a fundação de um convento Carmelita. Encontrou, porém, diversas dificuldades, de modo que só em 1594 foi possível realizar o seu intento.[1] Construiu-se o convento no terreno que pertencia à sesmaria de Jurubatuba, propriedade do convento de Santos, na antiga ladeira do Carmo, atual avenida Rangel Pestana. Em 1766, a velha construção foi demolida e foram construídos novo convento e nova igreja.

O velho convento não resistiu ao progresso moderno e foi desapropriado pelo governo estadual. Aos 15 de abril de 1928, a imagem de Nossa Senhora do Carmo foi levada em procissão apoteótica à nova capela, situada na rua Martiniano de Carvalho, onde se achava uma grande chácara de flores, comprada pelos carmelitas, a fim de construir novo convento e igreja. Aos 26 de abril do mesmo ano, os padres mudaram-se para uma residência à avenida Brigadeiro Luís Antônio, número 159.

A nova construção foi terminada rapidamente. Aos 2 de março de 1929 estava pronto o futuro salão de festas, que foi benzido como igreja provisória. Aos 13 de janeiro de 1930, os padres carmelitas mudaram-se para uma ala já pronta do novo convento. Aos 17 de fevereiro do mesmo ano, foi inaugurada a nova escola e, em 1º de abril de 1934, foi benzida solenemente a nova e majestosa igreja pelo arcebispo, Dom Duarte Leopoldo e Silva.

Em maio de 1940 foi criada a paróquia do Carmo da Liberdade, sendo o seu primeiro pároco frei Batista Blenke. Aos 10 de dezembro de 1949 a igreja foi sagrada pelo bispo Carmelita, Dom Eliseu van de Weijer e, por Breve de 13 de maio de 1950, o Papa Pio XII elevou a igreja à dignidade de Basílica Menor, por ocasião dos festejos do VII Centenário do Santo Escapulário.

Referências

  1. «Ordem do Carmo no Brasil». Consultado em 13 de agosto de 2010. Arquivado do original em 9 de outubro de 2010