Cospicua

Cospicua (em maltês: Bormla), também conhecida por Città Cospicua ou Civitas Cottonera, é uma cidade portuária duplamente fortificada na região sudeste de Malta. Junto com Birgu e Senglea, forma o conjunto de cidades fortificadas chamado de Three Cities (Três Cidades), localizada dentro de Grand Harbour, o porto natural localizado a leste da capital Valletta. Com uma população de 5.395 habitantes em março de 2014, é a mais povoada das Tre città.[1]

Cospicua

Bormla

Bir Mula, Burmola, Bormola
Città Cospicua, Città Cottonera

Horizonte de Cospicua
Símbolos
Bandeira de Cospicua
Bandeira
Lema Ingens Amplectitur Agger
(Abraçado por um grande baluarte)
Apelido(s) Belt l-Immakulata
Localização
País  Malta
Região Sudeste de Malta
Distrito Southern Harbour
Características geográficas
Área total 0,9 km²
População total 5 170 hab.
Código postal BML
Código de área 356

EtimologiaEditar

O nome maltês "Bormla" ou Burmula deriva de Bir Mula, que significa Poço do Senhor.[2]

HistóriaEditar

Cospicua foi habitada desde os tempos neolíticos. Suas instalações marítimas começaram durante os tempos antigos em torno da era fenícia (c. 600 a.C.). Antes do século XVIII era conhecida como Bormla, um nome que ainda está em uso. Suas muralhas de fortificação, construídas para proteger a cidade e suas vizinhas Birgu e Senglea, foram construídas pela Ordem de Malta. A construção começou em 1638, mas não foi concluída por mais 70 anos. Em 1722, o Grão-Mestre Marc'Antonio Zondadari declarou Bormla uma cidade e, em vista de seus fortes baluartes, nomeou-a Città Cospicua (em tradução livre, Cidade Conspícua/Nobre).[3]

Em 1776, a Ordem iniciou a construção de um estaleiro, que viria a desempenhar um papel vital no desenvolvimento da cidade.[3] Durante o domínio britânico em Malta, a Marinha Real fez uso extensivo desse estaleiro, particularmente durante a Guerra da Criméia,[4] a Primeira Guerra Mundial e, também, nos anos anteriores à Segunda Guerra Mundial. Cospicua, juntamente com o resto da área ao redor de Grand Harbour, foi fortemente bombardeada durante este último conflito, pois Malta estava sitiada pelas potências do Eixo, no chamado Cerco de Malta.

À medida que Malta se tornou um país independente, o estaleiro de Cospicua tornou-se frequentemente um ponto de discórdia entre o Sindicato Geral dos Trabalhadores (ao qual pertencia a maioria de seus funcionários) e os sucessivos governos do país. No início do século XXI, ele foi substancialmente reduzido sob o governo do Partido Nacionalista depois que se descobriu que o custo de operação do local era responsável por cerca de 25% de toda a dívida nacional maltesa.[5] Estão em curso planos para a transformação de uma zona do estaleiro em centro comercial e turístico.[6]

Cospicua também é conhecida como Belt l-Immakulata ou Cidade da Imaculada, referindo-se à Imaculada Conceição ou à Virgem Maria, padroeira da cidade. Anualmente, uma festa é realizada em 8 de Dezembro em reverência à santa.[7]

CulturaEditar

Cospicua celebra sua festa anualmente em 8 de dezembro, em homenagem à Imaculada Conceição.[8] A cidade também é conhecida por sua celebração da Sexta-feira Santa, iniciada no século XVIII, que tornou-se uma atração turística popular. Uma imagem da Ressurreição de Cristo é tradicionalmente transportada pelas ruas da cidade para simbolizar o triunfo de Jesus sobre a morte. Imagens menores também são exibidas pela cidade.[9]

O povo de Cospicua começou o famoso e artístico primeiro Mejda tal-Appostli, que significa, literalmente, Mesa dos Apóstolos. Consiste em uma exibição que mostra os alimentos que foram consumidos durante a Última Ceia de Jesus e seus doze Apóstolos. Também é composto por diferentes histórias da Bíblia, feitas separadamente com arroz colorido e sal, em pratos.

O time de futebol de Cospicua é o St. George's Football Club, considerado o mais antigo da ilha. A documentação mostra que em 1885 já havia três equipes na cidade, que se fundiram em 1890, formando o clube atual .[10] Cospicua também é famosa por seu time de remo, que conquistou 17 títulos no geral, perdendo apenas para a equipe da vizinha Senglea.

 
Edifícios das docas, construídos pela Ordem de São João e ampliados pelos colonizadores britânicos[11]

ArquiteturaEditar

As fortificações da cidade, nomeadamente as linhas de fortificação de Santa Margherita e Cottonera, encontram-se em grande parte intactas, embora necessitem de obras de restauro. O Portão de Santa Helena, também conhecido como Porta dei Mortari, é um portão barroco do século XVIII[12] que faz parte da Linha Santa Margherita, sendo hoje uma importante atração turística. A área das docas também tem alguma arquitetura georgiana.

A Igreja Colegiada da Imaculada Conceição, a igreja de Santa Teresa e as capelas de São Paulo e Santa Margarida também são atrações. As festas e as celebrações da Sexta-feira Santa, Domingo de Páscoa e a festa da aldeia em 8 de Dezembro, também atraem turistas, assim como as imagens da Ressurreição de Cristo e da Imaculada Conceição.

Cospicua também possui um museu de antropologia, etnografia e história social e espaço cultural conhecido como Bir Mula Heritage. Uma instalação do século XVI construído pela Ordem de São João, conhecido simplesmente como The Lodge, também é usado para exposições e outros eventos. Adjacente ao local, há outro edifício do mesmo século que abriga uma estação de rádio comunitária chamada Kottoner 98FM.

 
Trabalhador de um estaleiro passeia de bicicleta próximo ao USS La Salle, navio da Marinha dos Estados Unidos atracado em Cospicua.

DemografiaEditar

O primeiro Censo registrado das ilhas maltesas ocorreu em 1901. Cospicua (listada como Bormla nos documentos daquele Censo) foi mostrada como tendo uma população de 12.148 pessoas. Esse número permaneceu relativamente estável até 1931 mas, em 1948, havia sido reduzido drasticamente para 4.822, especialmente pela Segunda Guerra Mundial, onde a cidade foi fortemente atacada no chamado Cerco de Malta. Depois de subir para 9.095 em 1957 e 9.123 em 1967, a população da cidade voltou a cair nas três pesquisas seguintes.[13] Uma estimativa de março de 2011 deu a população de Cospicua como sendo de 5.658.[14] A estimativa era de 5.479 habitantes em março de 2013,[15] e 5,395 em Março de 2014.[1]

GovernoEditar

O Conselho Local de Cospicua foi estabelecido pela Lei dos Conselhos Locais de 1993. A primeira eleição foi realizada em 16 de abril de 1994, com Joseph Carbonaro sendo eleito prefeito. Após as eleições de 2000, Paul Muscat tornou-se prefeito, sendo sucedido por Joseph Scerri em 2003. Scerri permaneceu no cargo por 10 anos, antes de ser sucedido por Alison Zerafa Civelli, do Partido Trabalhista, a atual prefeita, após as eleições de 2013. Ela é irmã de Lydia Abela, esposa do primeiro-ministro de Malta Robert Abela.[16]

Pessoas NotáveisEditar

Referências

  1. a b «Estimated Population by Locality 31st March, 2014». Governo de Malta. 16 de Maio de 2014. Cópia arquivada em 21 de Junho de 2015 
  2. Abela, Giovanni Francesco (1647). Della Descrizione di Malta Isola nel Mare Siciliano con le sue Antichità, ed Altre Notizie (em italiano). [S.l.]: Paolo Bonacota. p. 18 
  3. a b «Bormla» (PDF). Department of Information (Malta). Pajjizna. 54: 12–13 
  4. Borg, Victor (2001). Rough Guide to Malta and Gozo. [S.l.]: Rough Guides. p. 92. ISBN 1-85828-680-8 
  5. Fenech, Natalino (20 de Maio de 2002). «'Yards' downsizing process has cost Lm3m so far». The Times of Malta 
  6. Abela, Lorry (21 de Junho de 2005). «The Cottonera Waterfront Project». The Times of Malta 
  7. Mifsud, Joe (15 de Dezembro de 2004). «Cospicua celebrations». The Times of Malta 
  8. «Feast of the Immaculate Conception to be celebrated». The Malta Independent. 27 de Novembro de 2006 
  9. Cini, George (21 de Abril 2003). «Traditional celebration still drawing the crowds». The Times of Malta 
  10. St. George's Football Club.
  11. Muscat, J. (2011). «L-imħażen tal-vaxxelli f'Bormla» (PDF). Programm Tal-festa Marija Immakulata (1586-2011): 425 Sena Parroċċa: 57–59 
  12. Explorando as Three Cities em Malta: o que fazer e como chegar
  13. «Census of population and housing 2005» (PDF). Malta National Statistics Office. 2007. p. 51 
  14. «Population statistics» (PDF). Malta Government Gazette. mjha.gov.mt. 9 de Agosto 2011. Cópia arquivada (PDF) em 4 de Agosto 2013 
  15. «Estimated Population by Locality» (PDF). Malta Government Gazette. 31 de Março de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 14 de Julho de 2014 
  16. Prime Minister’s sister-in-law, Alison Zerafa Civelli, to contest general election
  17. «Dr Carmelo Mifsud Bonnici (1984 - 1987)». gov.mt. Governo de Malta 
  18. «Department of Information: Dr. Ugo Mifsud: President of Malta (1994 - 1999)». doi.gov.mt 
  19. «Encyclopædia Britannica: Dom Mintoff». britannica.com 
  20. Mercieca, George (23 de Outubro de 2004). «Scholar's birth centenary». The Times of Malta 
  21. «School behaviour». The Malta Independent. 13 de Dezembro de 2006. Cópia arquivada em 15 de Março de 2012 
  22. Schiavone, Michael J. (2009). Dictionary of Maltese Biographies Vol. 2 G–Z. Pietà: Pubblikazzjonijiet Indipendenza. pp. 1594–1595. ISBN 9789993291329