Diáspora europeia

Diáspora europeia é o termo usado para se referir às comunidades em todo o mundo que são descendentes do movimento imigratório histórico de europeus, principalmente para América, África e Australásia, entre outras áreas ao redor do planeta. A emigração da Europa começou em grande escala durante os impérios coloniais europeus dos séculos XVIII e XIX e continua até os dias atuais. Trata-se especialmente do Império Espanhol no século XVI ao XVII (expansão do Hispanosfera), do Império Britânico entre os séculos XVII e XIX (expansão da Anglosfera), do Império Português e do Império Russo no século XIX (expansão russa para a Ásia Central e o Extremo Oriente Russo).

Diáspora europeia
European Ancestry Large.svg
Mapa das regiões com prevalências de populações de descendentes de europeus
População total

+480 000 000
7% da população do mundo

Regiões com população significativa
Principalmente América e Oceania
 Estados Unidos 223 553 265[1]
 Brasil 91 051 646[2]
 Argentina 38 900 000[3]
 Canadá 25 186 890[4]
 Austrália 20 982 665
 México +20 100 000[5]
 Colômbia 17 519 500[6][7]
 Venezuela 13 169 949[8][9]
Línguas
Línguas europeias
Religiões
Cristianismo
Grupos étnicos relacionados
Europeus

De 1815 a 1932, 60 milhões de pessoas deixaram o continente europeu (apesar de muitas terem retornado para casa), principalmente para "áreas de assentamento europeu" na América (especialmente nos Estados Unidos, Canadá, Argentina, Uruguai e Brasil), Austrália, Nova Zelândia e Sibéria.[10] Estas populações também se multiplicaram rapidamente em seu novo habitat; muito mais do que as populações europeias na África e da Ásia. Como resultado, às vésperas da Primeira Guerra Mundial, 38% da população total do mundo era de ascendência europeia.[10]

No continente asiático, as populações europeias (especificamente de russos) predominam na Ásia Setentrional, que faz parte da Federação Russa. A África tem países com maiorias de descendentes de europeus, mas existem minorias significativas na África do Sul e na Namíbia. Os países da América que receberam uma grande onda de imigrantes europeus entre 1820 e 1930 foram: Estados Unidos (32,5 milhões), Argentina (6,5 milhões), Canadá (5 milhões), Brasil (4,3 milhões), Cuba (1,3 milhões) e Uruguai (713 mil)[11]; outros países receberam um fluxo migratório mais modesto (representando menos de 10% da emigração europeia total para a América Latina) foram: Chile (183 mil)[12] e Peru (150 mil)[13].

Ver tambémEditar

Referências

  1. 2010 United States Census statistics
  2. «Tabelas de resultados Branca Preta Amarela Parda Indígena Sem declaração» (PDF). 8 November 2011. Consultado em 11 de julho de 2014  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. «South America : Argentina : People and society». The World Factbook. CIA. Consultado em 23 de julho de 2015 
  4. «National Household Survey (NHS) Profile, 2011». Consultado em 17 de junho de 2015 
  5. «Mexico: People; Ethnic groups». CIA World Factbook. Consultado em 26 de novembro de 2007 
  6. Bushnell, David & Rex A. Hudson (2010) "The Society and Its Environment"; Colombia: a country study: 87. Washingtion D.C.: Federal Research Division, Library of Congress.
  7. «White Colombians» (PDF). Consultado em 16 de janeiro de 2014 
  8. Resultado Basico del XIV Censo Nacional de Población y Vivienda 2011 Venezuela 2011 Census, (p. 14).
  9. «Ethnic groups». The World Factbook. Central Intelligence Agency (CIA). Consultado em 14 de setembro de 2013 
  10. a b «European Migration and Imperialism». Consultado em 14 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 22 de novembro de 2010 
  11. Baily, Samuel L.; Míguez, Eduardo José, eds. (2003). Mass Migration to Modern Latin America. Wilmington, Delaware: Rowman & Littlefield. p. 14. ISBN 978-0-8420-2831-8. Consultado em 27 de febrero de 2017  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  12. ARTEHISTORIA. «La estructura social». ARTEHISTORIA. Consultado em 17 de junho de 2015 
  13. «Las migraciones internacionales como motor de desarrollo en el Perú ... | Articles | Discover Nikkei». discovernikkei.org. Consultado em 11 de julho de 2014