Abrir menu principal
Domenico Ginnasi
Cardeal da Igreja Católica
Deão do Colégio dos Cardeais

Título

Cardeal-bispo de Óstia-Velletri
Atividade Eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Nomeação 15 de julho de 1630
Predecessor Giovanni Battista Deti
Sucessor Carlos Emanuel Pio de Saboia
Mandato 1630 - 1639
Ordenação e nomeação
Nomeação episcopal 17 de dezembro de 1586
Ordenação episcopal 28 de dezembro de 1586
Capela Sistina
por Dom Decio Cardeal Azzolini
Nomeado arcebispo 17 de dezembro de 1586
Cardinalato
Criação 9 de junho de 1604
por Papa Clemente VIII
Ordem Cardeal-presbítero (1604-1626)
Cardeal-bispo (1626-1639)
Título São Pancrácio (1605-1606)
Santos XII Apóstolos (1606-1624)
São Lourenço em Lucina (1624-1626)
Palestrina (1626-1629)
Porto e Santa Rufina (1629-1630)
Óstia-Velletri (1630-1639)
Brasão
CardinalCoA PioM.svg
Dados pessoais
Nascimento Estados Papais Castel Bolognese
19 de junho de 1551
Morte Estados Papais Roma
12 de março de 1639 (87 anos)
Progenitores Mãe: Caterina Pallantieri
Pai: Francesco Ginnasi
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Domenico Ginnasi (19 de junho de 1551[1] - 12 de março de 1639) foi um cardeal italiano, decano do Colégio dos Cardeais nos últimos oito anos de vida.

BiografiaEditar

Era o terceiro filho de Francesco Ginnasi, um físico, e Caterina Pallantieri. Estudou na Universidade de Bolonha filosofia e teologia, conseguindo doutorado utroque iure, tanto em direito canônico e direito civil, em 1572. Foi ordenado durante o pontificado do Papa Gregório XIII. Nomeado prelado papal pelo Papa, tornou-se referendário dos Tribunais da Assinatura Apostólica da Justiça e da Graça, em 1581. Depois, torna-se Prelado doméstico de Sua Santidade.

EpiscopadoEditar

Eleito arcebispo de Manfredonia, em 17 de dezembro de 1586, sendo consagrado em 28 de dezembro, na Capela Sistina, em Roma, pelo Cardeal Decio Azzolini, assistido por Giulio Ricci, bispo de Téramo e por Vincenzo Casali, bispo de Massa Marittima. Foi nomeado vice-governador de Fermo, cargo que exerceu entre 18 de fevereiro de 1595 e junho de 1596. Recusou a nomeação de Tesoureiro Geral da Câmara Apostólica oferecido pelo Papa Clemente VIII. Nomeado núncio na Toscana, em 11 de agosto de 1598. Depois, foi nomeado núncio na Espanha, onde ficou entre 5 de fevereiro de 1600 até junho de 1605.

CardinalatoEditar

Em 9 de junho de 1604, foi criado cardeal pelo Papa Clemente VIII, recebendo o barrete cardinalício e o título de cardeal-presbítero de São Pancrácio em 20 de junho de 1605. Passou para o título de Santos XII Apóstolos em 30 de janeiro de 1606. Renunciou ao governo da Arquidiocese, em favor de seu sobrinho Annibale Ginnasi, em 5 de novembro de 1607. Deu os últimos sacramentos e o viaticum para Camilo de Lellis, na manhã do dia 2 de julho de 1614. Passou para o título de São Lourenço em Lucina em 16 de setembro de 1624, tornando-se cardeal-protopresbítero.

Passou para a ordem dos cardeais-bispos e para a sé suburbicária de Palestrina em 2 de março de 1626. Passa para a sé suburbicária de Porto e Santa Rufina, em 20 de agosto de 1629. Em 15 de julho de 1630, torna-se Deão do Colégio dos Cardeais e cardeal-bispo de Óstia-Velletri.

Faleceu em 12 de março de 1639, em Roma, de um ataque virulento de gota. Foi sepultado na igreja paroquial de S. Lucia delle Botteghe Oscure, em Roma.

ConclavesEditar

Referências

  1. Isso de acordo com Andrea Argoli, Andreæ Argoli D. Marci Serenissimo Annuente Senatu Equitis, In Patavino Lyceo Mathematicas scientias proftendis. De diebus criticis et de ægrorum decubitu libri dvo. (Patauij : Apud Paulum Frambottum, 1652), p. 268; suas duas biografias, ligadas abaixo, dizem que ele nasceu em 1550; e Gauchat, Hierarchia Catholica Medii et Recentioris Aevi, IV, 7, indica que ele morreu com 78 anos em 1639, portanto, de acordo com isso, ele teria nascido em 1561.

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar