Abrir menu principal
Dorinha Duval
Nome completo Dorah Teixeira
Nascimento 21 de janeiro de 1929 (90 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileira
Ocupação Atriz, cantora, vedete e artista plástica

Dorinha Duval, nome artístico de Dorah Teixeira (São Paulo, 21 de janeiro de 1929) é uma artista plástica, ex-atriz, cantora e vedete brasileira. Ficou famosa por interpretar a Cuca do Sítio do Picapau Amarelo na TV e pelo crime de assassinato do marido Paulo Sérgio.

BiografiaEditar

Em 1960, Dorinha participou do filme As Aventuras de Pedro Malasartes, no qual contracenou com Mazzaropi. Em 1973 participou da novela o O Bem-Amado como Dulcinéia Cajazeira.[1] Também interpretou a primeira personagem Cuca do Sítio do Picapau Amarelo em 1977.

Já em 2002 lançou suas memórias autobiográficas num livro intitulado "Em busca da luz". Na obra narra como foi a experiência de ter sido violentada aos quinze anos de idade, ter sofrido um aborto e se prostituído. Dorinha também revela que tentou o suicídio depois da separação de Daniel Filho, além de contar por que matou seu segundo marido, o produtor publicitário Paulo Sérgio Garcia Alcântara,[2][3] durante uma discussão, em 1980. Segundo Dorinha, Paulo Sérgio a maltratava por querer mulheres mais jovens, já que ela tinha 16 anos a mais que ele. A família da vítima, todavia, contestou as alegações de maus tratos e levantou a possibilidade de que o crime tivesse sido premeditado.[4] Pelo crime foi condenada, por sete votos a zero, a uma pena de um ano e meio de prisão, no primeiro julgamento. Posteriormente, foi submetida a novo julgamento e condenada a seis anos de prisão.[5]

Atualmente, Dorinha Duval é artista plástica, dedicando-se a temas esotéricos. Ainda mantém um contrato de trabalho com a Rede Globo. [6][7] É mãe da também atriz Carla Daniel.

Atuação na televisão[8]Editar

Ano Título Personagem Notas
1969 Verão Vermelho Naná A personagem tinha um bar chamado "O Cantinho da Naná".
1970 Irmãos Coragem Carmem Valéria
1971 Minha Doce Namorada Maura
1972 Selva de Pedra Diva
Caso Especial Episódio: Mirandolina
1973 O Bem Amado Dulcinea Cajazeira
Chico City
1974 O Espigão Zilda
Caso Especial Episódio:Feliz na Ilusão
1975 Cuca Legal Nilzete
Azambuja & Cia Nega Brechó [9]
1976 O Feijão e o Sonho Noca
1977-1980 Sítio do Picapau Amarelo Cuca
1978 Maria Maria Ana Maria
Sinal de Alerta Ofélia
1979 Malu Mulher Participação especial
1980 Plantão de Polícia Episódio:O Homem Que Veio do Brás
2006 Belíssima Ela mesma Participação especial no último capítulo

Atuação no cinemaEditar

Ano Título Personagem
1952 Veneno
1958 Vou Te Contá Rosa
1960 As Aventuras de Pedro Malazartes
1961 O Homem Que Roubou a Copa do Mundo
1971 Meus Filhos
As Quatro Chaves Mágicas Teresa, a irmã
1974 Feliz na Ilusão



Referências

  1. «Dorinha Duval: "Ainda não quero falar sobre isso"». R7. 28 de abril de 2013. Consultado em 3 de abril de 2016 
  2. «Dorinha Duval, do sucesso nos palcos e na televisão até as páginas policiais». O Globo. 6 de janeiro de 2016. Consultado em 11 de outubro de 2018 
  3. «Fim do inferno». Istoé. 29 de janeiro de 2003. Consultado em 11 de outubro de 2018 
  4. «Em nome do pai». Istoé Gente. 10 de junho de 2002. Consultado em 11 de outubro de 2018 
  5. «Caso Dorinha Duval». Isto É Gente. 3 de junho de 2002. Consultado em 3 de abril de 2016 
  6. «Versão tardia». Isto É Gente. 7 de outubro de 2002. Consultado em 11 de outubro de 2018 
  7. «Biografia tira Dorinha Duval da sombra». Folha de S. Paulo. 28 de fevereiro de 2001. Consultado em 11 de outubro de 2018 
  8. Dorinha Duval - Trajetória na TV Globo
  9. Azambuja & Cia - Ficha Técnica

BibliografiaEditar

  • DUVAL, Dorinha. Em busca da luz: memórias de Dorinha Duval contadas para Luiz Carlos Maciel e Maria Luiza Ocampo. Record, 2002.

Ligações externasEditar


  Este artigo sobre uma atriz é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.