Edna Savaget

escritora brasileira
Edna Savaget
Nascimento 1928
Rio de Janeiro
Morte 13 de setembro de 1998 (70 anos)
Cidadania Brasil
Alma mater Universidade Federal do Rio de Janeiro
Ocupação escritora
Causa da morte cancro do fígado

Edna Savaget, nome literário de Edna Savaget Teixeira Leite (Rio de Janeiro, 19 de maio de 1928 — Rio de Janeiro, 13 de setembro de 1998) foi uma escritora, jornalista, apresentadora de televisão brasileira.[1][2]

TrajetóriaEditar

Formou-se pela Faculdade de Filosofia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UFRJ) e, em seguida, fez o curso de comunicação em 1952, na primeira turma deste curso no Brasil, que antes era chamado de curso de jornalismo.[3]

Iniciou sua vida profissional simultaneamente na Rádio Nacional e como repórter policial do jornal A Noite, em fins dos anos 40. Na Nacional era uma das apresentadoras do Boa tarde madame, apresentado e dirigido por Floriano Faissal. Em 1956 passou a produzir, escrever e apresentar o Aqui entre nós, na rádio MEC, onde foi funcionária 30 anos. Fez tanto sucesso que passou a acumular um outro programa aos sábados, na Rádio Eldorado, encomendado pelo jornal O Estado de S. Paulo.[4]

Em 1957 estreou na TV Tupi com Boa tarde Cássio Muniz. Dois anos depois, com a inauguração da TV Continental, Edna foi chamada para ser titular do programa Edifício Semina. Paralelamente, fazia produção dos programas de Elizeth Cardoso, Cauby Peixoto e Agnaldo Rayol. Com a falência da emissora, retornou para a TV Tupi para comandar o programa Super Bazar.[5][6]

Quando a TV Globo foi implantada em 1965, Edna foi chamada para ser coordenadora da parte vespertina da emissora. Assim foi criado o Sempre Mulher, primeiro programa feminino da TV Globo, apresentado por Célia Biar. Depois nasceu Show da Cidade, que hoje é considerado o pai do Jornal Hoje.[7][8][9]

Depois de seis anos na TV Globo, Edna voltou para a TV Tupi, quando criou o programa de maior sucesso feminino, o Boa Tarde, que em menos de um ano passou a ser chamado de Programa Edna Savaget. Em 1977 Edna se transferiu para a TV Bandeirantes, depois trabalhou na TV Record e TV Educativa, vindo a encerrar suas atividades na televisão na Rede Bandeirantes, em 1990. [10][11]

Sendo também escritora, foi a primeira apresentadora a levar literatura para a televisão.[12]

Livros publicadosEditar

  • 1957 - Contato (poesias)
  • 1960 - Breviário de Salvador - Roteiro poético de Salvador
  • 1964 - Plenamente solidão (romance)
  • 1976 - Silêncio no estúdio - o árduo caminho que conduz à luz, câmara, ação (misto de ficção e romance)
  • ? - Um quase documento (obra que conta a história da televisão brasileira)
  • 1979 - A menina e o peixinho dourado (obra infantil).

Referências

  Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.