Abrir menu principal

Eleições gerais na Espanha em 2011

← 2008 • Flag of Spain.svg • 2015
Eleições gerais de 2011
350 lugares no Congresso dos Deputados e 208 dos 264 lugares do Senado
20 de novembro de 2011
Demografia eleitoral
Votantes : 24590557
  
71.69%  
People's Party (Spain) logo.png
PP
Votos: 10866566  
Deputados obtidos: 186 Green Arrow Up.svg 20.8%
Logotipo del PSOE.svg
PSOE
Votos: 7003511  
Deputados obtidos: 110 Red Arrow Down.svg 34.9%
Convergència i Unió (logo).jpg
CiU
Votos: 1015691  
Deputados obtidos: 16 Green Arrow Up.svg 60%
Izquierda Unida (logo).svg
IU
Votos: 1686040  
Deputados obtidos: 11 Green Arrow Up.svg 450%
Amaiur (coalición política).jpg
Amaiur
Votos: 334498  
Deputados obtidos: 7  
Unión Progreso y Democracia logo.svg
UPyD
Votos: 1143225  
Deputados obtidos: 5 Green Arrow Up.svg 400%
Green flag waving.svg
EAJ-PNV
Votos: 324317  
Deputados obtidos: 5 Red Arrow Down.svg 16.7%
Mapa representando os partidos vencedores em cada província de acordo com a legenda em cores.
Eleições gerais na Espanha em 2011

As eleições gerais na Espanha em 2011 foram realizadas em 20 de novembro para eleger todos os 350 deputados do Congresso e 208 dos 264 senadores, determinando o primeiro-ministro. Estas eleições definiram a composição parlamentar da décima legislatura do país.[1] O governo de José Luis Zapatero, do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), terminaria o seu mandato em 2012, mas foram convocadas eleições antecipadas. A estas Zapatero não se apresentou, tendo sido substituído na liderança do PSOE por Alfredo Pérez Rubalcaba. Mariano Rajoy, líder do Partido Popular, partido de caráter conservador foi apontado como favorito em todas as sondagens para ocupar o cargo de primeiro-ministro. O Partido Popular, por si liderado, acabou por vencer com maioria absoluta e com mais de 44% dos votos[2]

Sondagens de avaliação de intenção de votoEditar

Centro de Investigações Sociológicas (CIS)Editar

Data PSOE PP IU CiU ERC PNV BNG CC NaBai UPyD Outros Nenhum
Abril de 2008[3] 43.6% 37.6% 3.9% 3.2% 1.6% 1.5% 1.1% 2.6% 2.3% 2.6%
Julho de 2008[4] 39.5% 39.3% 4.8% 3.3% 1.5% 1.1% 0.9% 2.5% 4.0% 3.1%
Outubro de 2008[5] 39.7% 39.7% 4.3% 3.8% 1.3% 1.1% 0.9% 2.9% 4.1% 2.1%
Janeiro de 2009[6] 39.7% 39.5% 4.5% 3.4% 1.3% 1.1% 1.0% 3.1% 4.3% 2.1%
Abril de 2009[6] 40.8% 40.0% 4.5% 3.4% 1.5% 1.0% 0.6% 2.9% 3.8% 1.5%
Julho de 2009[6] 39.0% 40.2% 4.6% 3.4% 1.6% 1.2% 0.8% 0.5% 3.2% 3.1% 2.4%
Outubro de 2009 37.7% 41.0% 4.7% 3.7% 1.5% 1.3% 0.8% 0.5% 3.7% 3.2% 1.9%
Janeiro de 2010[6] 36.2% 40.0% 6.1% 3.7% 1.3% 1.0% 0.8% 0.9% 4.4% 3.5% 2.1%
Abril de 2010[7] 38.0% 39.5% 5.8% 3.6% 1.0% 1.3% 0.7% 0.6% 3.3% 3.7% 2.5%
Julho de 2010[8] 34.9% 41.2% 5.4% 4.1% 1.4% 1.3% 1.1% 0.4% 3.8% 4.0% 2.4%
Outubro de 2010[9] 34.3% 42.2% 6.2% 3.5% 0.8% 1.2% 0.8% 0.7% 4.1% 3.2% 1.1%
Janeiro de 2011 34.0% 44.1% 5.7% 3.9% 0.8% 1.2% 0.9% 0.5% 2.9% 3.5% 2.5%
Abril de 2011[10] 33.4% 43.8% 5.2% 3.5% 1.3% 1.3% 0.9% 0.5% 0.4% 3.5% 3.8% 2.2%
Julho de 2011[11] 36.0% 43.1% 5.1% 3.1% 1.1% 1.0% 0.5% 0.5% 0.2% 3.0% 4.3% 2.1%

CandidatosEditar

ResultadosEditar

 
Gráfico mostrando a porcentagem dos votos no círculo inferior, e a composição do Congresso no círculo exterior.
Fonte: [13][14]

CongressoEditar

  • Eleitorado: 35.779.208
  • Votantes: 24.666.392 (68,94%).
  • Abstenção: 11.113.099 (31,06%).
  • Votos válidos: 24.348.837 (98,71%).
  • Votos nulos: 317.555 (1,29%).
Resumo das Eleições Gerais Espanholas de 2011
Partido Votos Votos (%) Votos (±) Assentos Assentos
(%)
Assentos
(±)
  Partido Popular (PP) 10 866 566
 
44,63%
+4,69% 186 53,14% +32
  Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) 7 003 511
 
28,76%
-15,11% 110 31,43% -59
  Izquierda Unida (IU) - Iniciativa per Catalunya Verds (ICV) 1 686 040
 
6,92%
+3,15% 11 3,14% +9
  Unión Progreso y Democracia (UPyD) 1 143 225
 
4,7%
+3,51% 5 1,43% +4
  Convergència i Unió (CiU) 1 015 691
 
4,17%
+1,14% 16 4,57% +6
  Amaiur (Amaiur) 334 498
 
1,37%
+1,37% 7 2% +7
  Partido Nacionalista Vasco (EAJ/PNV) 324 317
 
1,33%
+0,14% 5 1,43% -1
  Esquerra Republicana de Catalunya (ERC) 256 393
 
1,05%
-0,11% 3 0,86% 0
  Equo 216 748
 
0,89%
+0,89% 0 0% 0
  Bloque Nacionalista Galego (BNG) 184 037
 
0,76%
-0,07% 2 0,57% 0
  Coalición Canaria (CC) 143 881
 
0,59%
-0,09% 2 0,57% 0
  Coalició Compromís (Compromís) 125 306
 
0,51%
+0,51% 1 0,29% +1
  Partido Animalista Contra el Maltrato Animal (PACMA) 102 144
 
0,42%
+0,25% 0 0% 0
  Foro de Ciudadanos (FAC) 99 473
 
0,41%
+0,41% 1 0,29% +1
  Escaños en Blanco (Eb) 97 673
 
0,4%
+0,4% 0 0% 0
  Partido Andalucista (PA) 76 999
 
0,32%
+0,05% 0 0% 0
  Plataforma per Catalunya (PxC) 59 949
 
0,25%
+0,25% 0 0% 0
  Partido Regionalista de Cantábria (PRC) 44 010
 
0,18%
+0,18% 0 0% 0
  Geroa Bai (a) 42 415
 
0,17%
-0,07% 1 0,29% 0
  Outros Partidos 191 957
 
0,79%
+0,79% 0 0% 0
Totais 24 014 833   350  
Votos em Branco 333 461 1,37% +0,26%  
Participação 24 348 294 68,94% -4,91%  
↑(a) Concorreu em 2008 como Nafarroa Bai.
Fonte: Ministério do Interior

SenadoEditar

  • Eleitorado: 35.779.208
  • Votantes: 24.411.187 (71,17%).
  • Abstenção: 9.889.354 (28,83%).
  • Votos válidos: ( %).
  • Votos nulos: 904.675 (3,71%).
  • Votos em branco: 1.263.120 (5,37%).

2008 ← Eleições gerais espanholas, 20 de novembro de 2011 → 2015

Partido Senadores Dif.
Partido Popular (PP) 136 +35
Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) 48 -40
Convergència i Unió (CiU) 9 +5
Entesa pel Progrés de Catalunya (PSC-ICV-EUiA) 7 -5
Partido Nacionalista Vasco (EAJ-PNV) 4 +2
Amaiur (Amaiur) 3 +3
Coalición Canaria (CC) 1 =

Primeiro-ministroEditar

Com a vitória do Partido Popular nas eleições legislativas para o Congresso, subsequentemente, seu líder, Mariano Rajoy, se elegeu como primeiro-ministro. Após a vitória, Mariano Rajoy disse que governará "a serviço da Espanha e de todos os espanhóis, procurando que em circunstância alguma alguém se sinta excluído da tarefa comum",[15] e sobre a crise de desemprego que afeta o país, ele disse que "não haverá milagres, nós não os prometemos, mas nós vimos outras vezes que quando as coisas são bem feitas, elas produzem resultados". Vários chefes de Estado ligaram para Mariano após a vitória para lhe dar as felicitações, e entre eles estão o presidente da França Nicolas Sarkozy, o primeiro-ministro britânico David Cameron, a chanceler da Alemanha Angela Merkel, o presidente do México Felipe Calderón, e a presidenta do Brasil Dilma Rousseff.[16]

Referências

  1. Santiago Sánchez Martín (29 de julho de 2011). «Elecciones 20 de noviembre». rtve.es. Consultado em 29 de julho de 2011 
  2. Favorito nas eleições da Espanha pede tempo aos mercados.
  3. «CIS opinion poll, April de 2008». Cis.es. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  4. «CIS opinion poll, July 2008». Cis.es. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  5. «CIS poll, October 2008». Cis.es. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  6. a b c d «CIS poll, January 2009». Cis.es. Consultado em 12 de novembro de 2011  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "repetida_1" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  7. «CIS poll, April de 2010». Cis.es. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  8. «CIS poll, July 2010». Cis.es. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  9. «CIS poll, October 2010». Cis.es. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  10. «Barómetro CIS de Abril de 2011» (PDF). Consultado em 12 de novembro de 2011 
  11. «Barómetro CIS de Julio de 2011». Electometro.es. Consultado em 12 de novembro de 2011. Arquivado do original em 16 de novembro de 2011 
  12. Candidatos Elecciones generales 2011 - TRVE.es Acessado em 20/11/2011.
  13. Elmundo.es. «Resultados». Consultado em 21 de novembro de 2011 
  14. «Elecciones Generales 2011 - Ministerio del Interior». Consultado em 21 de novembro de 2011. Arquivado do original em 21 de novembro de 2011 
  15. Direita vence eleições gerais na Espanha. Acessado em 21/11/2011.
  16. Mundo parabeniza Rajoy e torce para que Espanha supere a crise. Acessado em 21/11/2011.
  Este artigo sobre eleições ou plebiscitos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.