Abrir menu principal

Eloá Quadros

23.ª Primeira-dama da República Federativa do Brasil
Eloá Quadros
23.ª Primeira-dama do Brasil
Período 31 de janeiro de 1961
até 25 de agosto de 1961
Presidente Jânio Quadros
Antecessor Sarah Kubitschek
Sucessor Sylvia Mazzilli
42.ª Primeira-dama de São Paulo
Período 1 de janeiro de 1986
até 1 de janeiro de 1989
Prefeito Jânio Quadros
Antecessor Lila Covas
Sucessor Sylvia Lutfalla Maluf
38.ª Primeira-dama de São Paulo
Período 31 de janeiro de 1955
até 31 de janeiro de 1959
Governador Jânio Quadros
Antecessor Leonor Mendes de Barros
Sucessor Iolanda Carvalho Pinto
27.ª Primeira-dama de São Paulo
Período 8 de abril de 1953
até 31 de janeiro de 1955
Prefeito Jânio Quadros
Antecessor Berta Rudolfina
Sucessor Haydée Salem
Dados pessoais
Nascimento 13 de junho de 1923
São Paulo, SP
Morte 22 de novembro de 1990 (67 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileira
Cônjuge Jânio Quadros (1942-1990)
Assinatura Assinatura de Eloá Quadros

Eloá do Valle Quadros (São Paulo, 13 de junho de 1923[1]São Paulo, 22 de novembro de 1990) foi a esposa do 22.º Presidente brasileiro Jânio Quadros e, portanto, a primeira-dama brasileira de 31 de janeiro a 25 de agosto de 1961.

BiografiaEditar

Filha de um farmacêutico, Eloá do Valle conheceu Jânio Quadros pela primeira vez no Guarujá, litoral de São Paulo. "Eu jamais conhecera um homem tão feio quanto Jânio", afirmaria posteriormente[2].

Eles se casaram em 1942, quando Eloá tinha dezenove anos. O local da cerimônia de casamento foi a capela do Colégio Sion, onde a moça estudara. Tiveram uma única filha, Dirce Maria "Tutu" Quadros, deputada federal pelo PSDB de 1987 a 1991. Dirce Maria casou-se aos dezesseis anos com o jornalista Alaor José Gomes, que trabalhava no gabinete do então governador Jânio Quadros, tendo o casal três filhas. Mais tarde, separando-se, Dirce Maria se casou novamente e passou a residir nos Estados Unidos, sendo que teve um filho de prenome John Jânio. Eloá teve sete netos.[3]

É dito que a primeira-dama mandou uma carta ao arquiteto Oscar Niemeyer, pedindo que fosse construída uma casa de pombos na então Praça dos Três Poderes, para dar vida ao local. O resultado teria sido a escultura Pombal, com 10 metros de altura[4].

Antes da posse do marido, Eloá disse que tinha interesse em ampliar as atividades da Legião Brasileira de Assistência (LBA), pôr fim à construção de favelas e combater a mortalidade infantil[5].

Diferentemente de suas sucessoras, Eloá Quadros foi uma primeira-dama simples e modesta: fazia em casa seus próprios vestidos e os da filha. Gostava de teatro e cinema.

Em 1984, Eloá Quadros havia se submetido a uma cirurgia para retirada de um câncer de mama, em São Paulo[carece de fontes?]. Durante o último mandato do marido, prefeito de São Paulo entre 1986 e 1988, viajou várias vezes para o exterior a fim de se submeter a tratamentos contra a doença.

Referências

Ver tambémEditar

Precedido por
Sarah Kubitschek
23.ª Primeira-dama do Brasil
1961
Sucedido por
Sylvia Mazzilli
Precedido por
Leonor Mendes de Barros
38.ª Primeira-dama do Estado de São Paulo
19551959
Sucedido por
Iolanda Carvalho Pinto
Precedido por
Berta Rudolfina
Lila Covas
27.ª e 42.ª Primeira-dama da cidade de São Paulo
19531955
19861989
Sucedido por
Haydée Salem
Sylvia Lutfalla Maluf
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.