Abrir menu principal

Lista de presidentes do Brasil

artigo de lista da Wikimedia
Galeria dos presidentes do Brasil, localizada no Palácio do Planalto.

Esta lista de presidentes do Brasil compreende todas as pessoas que exerceram a chefia de governo e de Estado no país desde a Proclamação da República, em 15 de novembro de 1889. A lista inclui também aqueles que, tendo sido eleitos, não exerceram o mandato por morte ou impedimento, bem como as duas juntas militares provisórias no regime Presidencialista. Para os chefes de governo durante o breve período parlamentarista, de 1961 a 1963, ver a lista de primeiros-ministros do Brasil. Os mandatários anteriores à república estão arrolados na lista de governantes do Brasil.

As cores indicam a forma como cada presidente chegou ao cargo. Em azul estão os presidentes eleitos por sufrágio direto; em verde os presidentes que chegaram à presidência pela linha sucessória (por exemplo, quando um vice-presidente assume o cargo de presidente, ou quando um presidente da Câmara dos Deputados assume a presidência caso não haja um vice-presidente); e em amarelo os presidentes eleitos por sufrágio indireto ou empossados através de movimentos revolucionários, incluindo aqueles que assumiram na qualidade de substitutos legais não eleitos diretamente.

Lista de presidentes

  Presidentes eleitos diretamente
  Presidentes que ascenderam pela linha sucessória
  Presidentes eleitos indiretamente e juntas governativas provisórias
Presidente Período do mandato
(duração do mandato)
Partido Vice-presidente(s) Referências e notas Eleição

(República Velha: República da Espada e República Oligárquica)
(15 de novembro de 1889 a 24 de outubro de 1930 – 40 anos, 11 meses e 9 dias)
1 Deodoro da Fonseca   15 de novembro de 1889
até
23 de novembro de 1891
(2 anos e 8 dias)
nenhum Floriano Peixoto
(a partir de 26 de fevereiro de 1891)
[nota 1]
[1]
Proclamação - 1889
1891
2 Floriano Peixoto   23 de novembro de 1891
até
15 de novembro de 1894
(2 anos e 357 dias)
nenhum nenhum [nota 2]
[2]
-
3 Prudente de Morais   15 de novembro de 1894
até
15 de novembro de 1898
(4 anos)
PR Federal Manuel Vitorino [3] 1894
4 Campos Sales   15 de novembro de 1898
até
15 de novembro de 1902

(4 anos)

PRP Rosa e Silva [4] 1898
5 Rodrigues Alves   15 de novembro de 1902
até
15 de novembro de 1906

(4 anos)

PRP Afonso Pena
(a partir de 17 de junho de 1903)
[nota 3]
[5]
1902
6 Afonso Pena   15 de novembro de 1906
até
14 de junho de 1909

(2 anos e 211 dias)

PRM Nilo Peçanha [nota 4]
[6]
1906
7 Nilo Peçanha   14 de junho de 1909
até
15 de novembro de 1910

(1 ano e 154 dias)

PRF nenhum [nota 5]
[6]
-
8 Hermes da Fonseca   15 de novembro de 1910
até
15 de novembro de 1914

(4 anos)

PRC Venceslau Brás [7] 1910
9 Venceslau Brás   15 de novembro de 1914
até
15 de novembro de 1918

(4 anos)

PRM Urbano Santos [8] 1914
Rodrigues Alves   Morreu antes de tomar posse PRP Delfim Moreira [nota 6]
[5]
1918
10 Delfim Moreira   15 de novembro de 1918
até
28 de julho de 1919

(255 dias)

PRM nenhum [nota 7]
[9]
-
11 Epitácio Pessoa   28 de julho de 1919
até
15 de novembro de 1922

(3 anos e 110 dias)

PRM Delfim Moreira
(até 1º de julho de 1920)
[nota 8] 1919
Bueno de Paiva
(a partir de 10 de novembro de 1920)
12 Artur Bernardes   15 de novembro de 1922
até
15 de novembro de 1926

(4 anos)

PRM Estácio Coimbra [nota 9]
[10]
1922
13 Washington Luís   15 de novembro de 1926
até
24 de outubro de 1930

(3 anos e 343 dias)

PRP Fernando de Melo Viana [nota 10] 1926
Júlio Prestes   Eleito, não assumiu em razão da Revolução de 1930 PRP Vital Soares [nota 11] 1930
[nota 12]
(24 de outubro de 1930 a 10 de novembro 1937 – 7 anos e 17 dias)
Junta Governativa Provisória de 1930   24 de outubro de 1930
até
3 de novembro de 1930

(10 dias)

nenhum nenhum [nota 13] -
14 Getúlio Vargas   3 de novembro de 1930
até
10 de novembro de 1937

(7 anos e 7 dias)

nenhum nenhum [nota 14] Revolução de 1930
1934

(10 de novembro 1937 a 31 de janeiro de 1946 – 8 anos, 2 meses e 21 dias)
14 Getúlio Vargas   10 de novembro de 1937
até
29 de outubro de 1945

(7 anos e 353 dias)

nenhum nenhum Golpe de 1937
15 José Linhares   29 de outubro de 1945
até
31 de janeiro de 1946

(94 dias)

nenhum nenhum [nota 15] -

(31 de janeiro de 1946 a 2 de abril de 1964 – 18 anos, 2 meses e 2 dias)
16 Eurico Gaspar Dutra   31 de janeiro de 1946
até
31 de janeiro de 1951

(5 anos)

PSD Nereu Ramos
(a partir de 19 de setembro de 1946)
[nota 16]
[12]
1945
17 Getúlio Vargas   31 de janeiro de 1951
até
24 de agosto de 1954

(3 anos e 205 dias)

PTB Café Filho [nota 17] 1950
18 Café Filho   24 de agosto de 1954
até
8 de novembro de 1955

(1 ano e 76 dias)

PSP nenhum [nota 18] -
19 Carlos Luz   8 de novembro de 1955
até
11 de novembro de 1955

(3 dias)

PSD nenhum [nota 19] -
20 Nereu Ramos   11 de novembro de 1955
até
31 de janeiro de 1956

(81 dias)

PSD nenhum [nota 20]
[13][14][15]
-
21 Juscelino Kubitschek   31 de janeiro de 1956
até
31 de janeiro de 1961

(5 anos)

PSD João Goulart [16] 1955
22 Jânio Quadros   31 de janeiro de 1961
até
25 de agosto de 1961

(206 dias)

PTN João Goulart [nota 21] 1960
23 Ranieri Mazzilli   25 de agosto de 1961
até
7 de setembro de 1961

(13 dias)

PSD nenhum [nota 22] -
24 João Goulart   7 de setembro de 1961
até
2 de abril de 1964

(2 anos e 208 dias)

PTB nenhum [nota 23]
[nota 24]
-

(2 de abril de 1964 a 15 de março de 1985 – 20 anos, 11 meses e 13 dias)
25 Ranieri Mazzilli   2 de abril de 1964
até
15 de abril de 1964

(13 dias)

PSD nenhum [nota 25] -
26 Humberto Castelo Branco   15 de abril de 1964
até
15 de março de 1967

(2 anos e 334 dias)

ARENA
desde 4 de abril de 1966
José Maria Alkmin [nota 26]
[17]
1964
27 Artur da Costa e Silva   15 de março de 1967
até
31 de agosto de 1969

(2 anos e 169 dias)

ARENA Pedro Aleixo [nota 27] 1966
Pedro Aleixo   Vice-Presidente impedido de tomar posse como
Presidente pela
Junta Governativa Provisória de 1969
ARENA nenhum [nota 28]
[18]
-
Junta Governativa Provisória de 1969   31 de agosto de 1969
até
30 de outubro de 1969

(60 dias)

nenhum nenhum [nota 29] -
28 Emílio Garrastazu Médici   30 de outubro de 1969
até
15 de março de 1974

(4 anos e 136 dias)

ARENA Augusto Rademaker [19] 1969
29 Ernesto Geisel   15 de março de 1974
até
15 de março de 1979

(5 anos)

ARENA Adalberto Pereira dos Santos [20] 1974
30 João Figueiredo   15 de março de 1979
até
15 de março de 1985

(6 anos)

ARENA
até 20 de dezembro de 1979
Aureliano Chaves [nota 30]
[21]
1978
PDS
desde 31 de janeiro de 1980

(15 de março de 1985 à atualidade – 34 anos, 7 meses e 29 dias)
Tancredo Neves   Morreu antes de tomar posse PMDB José Sarney [nota 31]
[nota 32]
1985
31 José Sarney   15 de março de 1985
até
15 de março de 1990

(5 anos)

PMDB nenhum [nota 33] -
32 Fernando Collor   15 de março de 1990
até
29 de dezembro de 1992

(2 anos e 289 dias)

PRN Itamar Franco [nota 34] 1989
33 Itamar Franco   29 de dezembro de 1992
até
1º de janeiro de 1995

(2 anos e 3 dias)

PMDB nenhum [nota 35] -
34 Fernando Henrique Cardoso   1º de janeiro de 1995
até
1º de janeiro de 2003

(8 anos)

PSDB Marco Maciel [22] 1994
1998
35 Luiz Inácio Lula da Silva   1º de janeiro de 2003
até
1º de janeiro de 2011

(8 anos)

PT José Alencar [23] 2002
2006
36 Dilma Rousseff   1° de janeiro de 2011
até
31 de agosto de 2016

(5 anos e 243 dias)

PT Michel Temer [nota 36]
[24][25]
2010
2014
37 Michel Temer   31 de agosto de 2016
até
1º de janeiro de 2019

(2 anos e 123 dias)

PMDB nenhum [nota 37] -
38 Jair Bolsonaro   1º de janeiro de 2019

(316 dias até o momento)

PSL
(até 12 de novembro de 2019)
Hamilton Mourão [26] 2018
  • Nota: as imagens podem apresentar problemas em alguns dispositivos móveis.

Linha do tempo

Jair BolsonaroMichel TemerDilma RousseffLuiz Inácio Lula da SilvaFernando Henrique CardosoItamar FrancoFernando CollorJosé SarneyJoão FigueiredoErnesto GeiselEmílio MédiciJunta Governativa Provisória de 1969Artur da Costa e SilvaHumberto Castelo BrancoJoão GoulartRanieri MazzilliJânio QuadrosJuscelino KubitschekNereu RamosCarlos LuzCafé FilhoGaspar DutraJosé LinharesGetúlio VargasJunta Governativa Provisória de 1930Washington LuísArtur BernardesEpitácio PessoaDelfim MoreiraVenceslau BrásHermes da FonsecaNilo PeçanhaAfonso PenaRodrigues AlvesCampos SalesPrudente de MoraisFloriano PeixotoDeodoro da Fonseca 
  • Nota: A linha do tempo pode apresentar problemas para ser exibida em dispositivos móveis. Sua mais recente versão pode ser encontrada nesta imagem.

Ver também

Notas

  1. Deodoro da Fonseca exerceu a presidência entre 15 de novembro de 1889 e 26 de fevereiro de 1891 na qualidade de chefe do Governo Provisório, que não possuía vice-presidente. Com a promulgação, em 24 de fevereiro de 1891, da primeira Constituição republicana, as eleições brasileiras para presidente e vice passariam a ser pelo voto direto. A Constituição determinava ainda que, excepcionalmente naquele primeiro mandato, esses cargos seriam eleitos indiretamente, ou seja, pelo Congresso Nacional, que elegeu em 25 de fevereiro de 1891 Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto para presidente e vice-presidente, respectivamente. Foram formalmente empossados no dia seguinte.
  2. Em 3 de novembro de 1891, sentindo-se ameaçado, Deodoro da Fonseca destituiu o poder legislativo. Vinte dias mais tarde, foi forçado a renunciar durante a Revolta da Armada, sendo substituído por seu vice-presidente, Floriano Peixoto.
  3. O vice-presidente eleito Silviano Brandão morreu antes de ser empossado no cargo. Houve então uma nova eleição para suprir a vacância, tendo sido eleito Afonso Pena, que assumiu a vice-presidência em 17 de junho de 1903.
  4. Afonso Pena morreu em 14 de julho de 1909 e seu mandato foi concluído pelo seu vice, Nilo Peçanha.
  5. Com a morte de Afonso Penna em 14 de julho de 1909, seu vice Nilo Peçanha assumiu a presidência.
  6. Rodrigues Alves morreu antes de ser empossado para seu segundo mandato. Seu vice Delfim Moreira assumiu interinamente a presidência.
  7. Com a enfermidade de Rodrigues Alves, Delfim assumiu interinamente a presidência, em 15 novembro de 1918. Continuou como interino, mesmo depois da morte de Rodrigues Alves em 16 de janeiro de 1919, até a realização de nova eleição. A Constituição da época previa que o vice-presidente só assumiria definitivamente, caso o mandato do presidente fosse interrompido depois de dois anos de sua posse, ou seja, a metade de seu mandato.
  8. Delfim Moreira morreu em 1º de julho de 1920, durante seu mandato como vice de Epitácio Pessoa. Houve uma nova eleição para suprir a vacância, elegendo Bueno de Paiva, que assumiu em 10 de novembro do mesmo ano.
  9. Urbano Santos morreu antes de ser empossado, havendo nova eleição para vice-presidente ainda antes de Artur assumir.
  10. Washington Luís, com menos de um mês para o fim de seu mandato, foi deposto pela Revolução de 1930.
  11. Júlio Prestes, eleito em 1 de março de 1930, não pôde assumir em virtude do mesmo golpe que depôs Washington Luís.
  12. A Segunda e a Terceira República fazem parte do período conhecido como Era Vargas.
  13. A Junta Governativa Provisória de 1930, formada por Augusto Tasso Fragoso (Presidente da Junta), Isaías de Noronha e João Mena Barreto, assumiu o comando da nação, antecipando-se à Batalha de Itararé, que seria o desfecho da Revolução de 1930.
  14. Getúlio Vargas exerceu de facto a presidência entre 3 de novembro de 1930 e 20 de julho de 1934, na qualidade de Chefe do Governo Provisório. Em 17 de julho de 1934 foi eleito, pela Assembleia Nacional Constituinte, o presidente da República, sendo formalmente empossado três dias depois[11]. Em 10 de novembro de 1937 deu um golpe que instituiu o Estado Novo e prorrogou seu período presidencial.
  15. José Linhares exerceu a presidência por convocação das Forças Armadas, na qualidade de presidente do Supremo Tribunal Federal, em razão da deposição do titular.
  16. Dutra foi eleito enquanto a constituição de 1937 ainda estava em vigor, que não previa o cargo de vice-presidente, além de estabelecer duração de seis anos de mandato para o chefe do executivo. Com a promulgação da constituição de 1946, além de estabelecer mandatos de cinco anos para o presidente, encurtando em um ano o mandato previsto de Dutra, foi recriado o cargo de vice-presidente, tendo sido Nereu Ramos o primeiro vice após a era Vargas, eleito de forma indireta pela assembleia constituinte, assumindo o cargo em 19 de setembro de 1946.
  17. Getúlio Vargas cometeu suicídio e foi substituído por seu vice-presidente Café Filho.
  18. Café Filho foi afastado por motivos de saúde, sendo substituído por Carlos Luz, presidente da Câmara dos Deputados. Tentou retornar ao cargo, mas foi deposto através de impeachment, já no Governo Nereu Ramos.
  19. Carlos Luz foi deposto e substituído pelo vice-presidente do Senado, Nereu Ramos.
  20. Nereu Ramos, como vice-presidente do Senado, assumiu a presidência da República, com a deposição do presidente Carlos Luz e a ausência do vice-presidente. Nereu assumiu interinamente o cargo até a posse de Juscelino Kubitschek, que havia vencido as eleições de outubro de 1955, mas sofria um pedido de impugnação movido pela União Democrática Nacional (UDN). O pedido não foi bem sucedido, com a vigência de estado de sítio, garantindo a posse de Juscelino.
  21. Jânio Quadros renunciou ao mandato em 25 de agosto de 1961.
  22. Ranieri Mazzilli assumiu interinamente na qualidade de presidente da Câmara dos Deputados por somente treze dias. Não houve solenidade de posse.
  23. João Goulart foi deposto pelo Golpe Militar de 1964.
  24. Durante boa parte de seu governo, João Goulart foi apenas Chefe de Estado, sendo o Chefe de Governo o Primeiro-Ministro.
  25. Ranieri Mazzilli assumiu novamente a presidência, na qualidade de presidente da Câmara dos Deputados. O caráter transitório do segundo mandato presidencial de Ranieri Mazzilli dispensou a cerimônia e o assentamento da sua posse no Livro de Posse. Embora fosse o presidente formal, o poder de fato era exercido pelo Comando Supremo da Revolução.
  26. Castelo Branco foi o primeiro presidente eleito no período da ditadura militar, iniciado com o golpe de 1964, tendo sido eleito em 9 de abril de 1964, por votação no Congresso Nacional, assumindo o cargo em 15 de abril. Em 27 de outubro de 1965, com a promulgação do Ato Institucional n.º 2, Castelo extinguiu o registro dos treze partidos que ainda existiam, passando o país a adotar o sistema bipartidário, com um partido de oposição (MDB) e outro do governo (ARENA), ao qual se filiou a partir da oficialização do registro, em 4 de abril de 1966.
  27. Costa e Silva afastou-se do cargo em 31 de agosto de 1969 por problemas de saúde. As Forças Armadas impediram a posse do vice-presidente, Pedro Aleixo, constituindo uma junta governativa provisória.
  28. Pedro Aleixo, impedido de tomar posse, deve figurar na galeria dos Presidentes da República por força da Lei Federal nº 12.486, de 12 de setembro de 2011.
  29. Augusto Rademaker (Presidente da Junta), Aurélio de Lyra Tavares e Márcio de Sousa Melo, ministros do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, assumiram o exercício temporário da Presidência da República, para o que não havia qualquer previsão constitucional. Em 6 de outubro de 1969, declararam extinto o mandato do presidente Costa e Silva.
  30. O partido ARENA, pelo qual João Figueiredo se elegeu, foi extinto em 20 de dezembro de 1979, com o fim do bipartidarismo no Brasil. Figueiredo permaneceu sem partido até 31 de janeiro do ano seguinte, quando, como parte das reformas políticas em seu governo, foi fundado o PDS, ao qual se filiou na mesma data.
  31. Tancredo Neves não pôde tomar posse como Presidente em 15 de março de 1985 por motivo de saúde e morreu pouco mais de um mês depois. Neste período que antecedeu a morte de Tancredo, seu vice José Sarney ocupou interinamente o cargo. Vide Biografia de José Sarney.
  32. Tancredo Neves deve figurar na galeria dos Presidentes da República, por força da Lei Federal nº 7.465, de 21 de abril de 1986.
  33. Com a morte de Tancredo Neves em 21 de abril de 1985, o já presidente interino José Sarney tomou posse oficialmente no cargo. Vide Biografia de José Sarney.
  34. Fernando Collor foi afastado pela Câmara dos Deputados em 2 de outubro de 1992 e renunciou ao mandato em 29 de dezembro do mesmo ano.
  35. Itamar Franco assumiu interinamente na qualidade de vice-presidente, até a data de renúncia de Fernando Collor, em 29 de dezembro de 1992, quando tomou posse oficialmente.
  36. Dilma Rousseff foi afastada temporariamente pelo Senado Federal em 12 de maio de 2016, e definitivamente em 31 de agosto de 2016, com a votação final de seu impeachment.
  37. Michel Temer assumiu interinamente em 12 de maio de 2016, com a abertura do processo de impeachment de Dilma Rousseff e, em caráter definitivo, em 31 de agosto de 2016.

Referências

  1. «Marechal Deodoro da Fonseca» (jhtm). UOL Educação. Universo Online. Consultado em 17 de maio de 2010 
  2. «GOVERNO FLORIANO PEIXOTO» (htm). Mundo Educação. Consultado em 17 de maio de 2010 
  3. «Presidente enfrenta Canudos» (jhtm). UOL Educação. Universo Online. Consultado em 17 de maio de 2010 
  4. «Funding loan e estabilidade» (jhtm). UOL Educação. Universo Online. Consultado em 17 de maio de 2010 
  5. a b «Revolta da Vacina e Acre» (jhtm). UOL Educação. Universo Online. Consultado em 17 de maio de 2010 
  6. a b «Crise na sucessão» (jhtm). UOL Educação. Universo Online. Consultado em 17 de maio de 2010 
  7. «Salvacionismo e revoltas» (jhtm). UOL Educação. Universo Online. Consultado em 17 de maio de 2010 
  8. «Início da industrialização» (jhtm). UOL Educação. Universo Online. Consultado em 17 de maio de 2010 
  9. Delfim Moreira da Costa Ribeiro (em português)
  10. «Artur da Silva Bernardes». educacao.uol.com.br. UOL. Consultado em 24 de abril de 2011 
  11. Presidente eleito em 17 de julho de 1934, conforme o Art. 1º das disposições transitórias da constituição de 1934, sendo empossado em 20 de julho de 1934.
  12. «Presidente do Brasil - de 31/1/1946 a 31/1/1951». educacao.uol.com.br. UOL. Consultado em 24 de abril de 2011 
  13. «Nereu Ramos». O Estado de S.Paulo. Consultado em 21 de agosto de 2017 
  14. «Nereu de Oliveira Ramos». Biblioteca da Presidência da República. Consultado em 21 de agosto de 2017 
  15. «Nereu Ramos». FGV CPDOC. Consultado em 21 de agosto de 2017 
  16. «Presidente do Brasil - de 31/1/1946 a 31/1/1951». educacao.uol.com.br. UOL. Consultado em 24 de abril de 2011 
  17. «Presidente do Brasil - de 15/4/1964 a 15/3/1967». educacao.uol.com.br. UOL. Consultado em 24 de abril de 2011 
  18. «No fim do mandato, Temer ganha foto em galeria dos presidentes no Planalto». noticias.uol.com.br. Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  19. «Presidente do Brasil - de 31/1/1946 a 31/1/1951». educacao.uol.com.br. UOL. Consultado em 24 de abril de 2011 
  20. «Presidente do Brasil - de 31/1/1946 a 31/1/1951». educacao.uol.com.br. UOL. Consultado em 24 de abril de 2011 
  21. «Presidente do Brasil - de 31/1/1946 a 31/1/1951». educacao.uol.com.br. UOL. Consultado em 24 de abril de 2011 
  22. «Presidente do Brasil - de 31/1/1946 a 31/1/1951». educacao.uol.com.br. UOL. Consultado em 24 de abril de 2011 
  23. «Presidente do Brasil - de 31/1/1946 a 31/1/1951». educacao.uol.com.br. UOL. Consultado em 24 de abril de 2011 
  24. «Dilma Rousseff é a nova presidente do Brasil». senado.gov.br. Consultado em 24 de abril de 2011 
  25. «Processo de impeachment é aberto, e Dilma é afastada por até 180 dias». Processo de Impeachment de Dilma. 12 de maio de 2016. Consultado em 12 de maio de 2016 
  26. Guilherme Mazui (28 de outubro de 2018). «Jair Bolsonaro é eleito presidente e interrompe série de vitórias do PT». G1. Consultado em 30 de outubro de 2018 

Ligações externas