Abrir menu principal

Emblema nacional da França

Emblema nacional da França
Emblema nacional da França
Detalhes
Detentor República Francesa
Adoção 1953
Escudo As letras R e F unidas.
Emblema nacional da França
Emblema nacional da França
Detalhes
Detentor República Francesa
Adoção 1912
Escudo Azure, um Fasces cercado no dexter, uma coroa de louro, e ao sinistro, uma coroa de carvalho, sobre toda uma fita que carrega a legenda "Liberte, Egalite, Fraternidade", tudo.
Ordenações Colar da Legião de Honra

O atual emblema nacional da França virou símbolo nacional da França em 1953, porém, ele não tem nenhum estatuto como brasão de armas. Ele aparece na capa dos passaportes franceses e foi originalmente adotado pelo Ministério das Relações Exteriores como símbolo para uso nas missões diplomáticas e consulares em 1912 usando um design desenhado pelo escultor Jules-Clément Chaplain.

Em 1953, a França recebeu um pedido das Nações Unidas para uma cópia do brasão de armas nacional para ser colocado junto com os brasões de armas dos outros estados membros na assembleia. Uma comissão interministral pediu para Robert Louis (19021965), artista heráldico, para produzir uma versão do design do Chaplain. Isso não aconteceu, no entanto, constituiu-se uma adoção de um brasão de armas oficial da República.

Tecnicamente, ele é mais considerado um emblema do que para brasão de armas por não se basear nas regras heráldicas. O emblema consiste em:

Em Setembro de 1999, o governo francês adotou um novo símbolo incorporando o lema nacional, as cores da bandeira, e a personificação da República: Marianne.[1]

HistóriaEditar

Brasão de Armas Descrição Uso
  Bandeiras e brasões baseados nesta bandeira foram usados na maior parte durante a Idade Média e épocas medievais do Império Carolíngio, introduzido primeiramente por Carlos Magno. Oriflamme (do latim aurea flamma, "chama dourada") foi o estandarte de batalha dos reis da França. Era originalmente a bandeira sagrada do Abadia de Saint-Denis, um mosteiro perto de Paris. Império Franco
  A França Anciã, o brasão de armas do Reino da França. até 1305
  A França Anciã, partido com as armas de Navarra, usado pelos reis Filipe V e Carlos IV. de 1305 até 1328
  A França Anciã. de 1328 até 1376
  A França Moderna, uma versão simplificada da França Anciã reduzindo o número de flores de lis para três. de 1376 até 1515
  A França Moderna, agora mostrando uma coroa fechada. de 1515 até 1589
  Após a conclusão das guerras religiosas na França, as armas do Reino de Navarra foram empaladas com a França Anciã, indicando união pessoal entre os reinos após a coroação de Henrique IV de 1589 até 1792
  Não-oficial

O Emblema não-oficial usado durante o Consulado Francês por Napoleão Bonaparte como cônsul-geral durante a Primeira República Francesa, caracterizando uma águia imperial segurando raios de trovão com folhas de oliveira e a letra N no centro.

de 1799 até 1804
  As armas do Primeiro Império Francês por Napoleão I, baseado no emblema anterior. de 1804 até 1814
  Usado depois da Restauração da Casa Real de Bourbon. de 1814 até 1830
  No início da Monarquia de Julho as armas do Casa d'Orléans foi usado. de 1830 até 1831
  Depois foi substituído pelas armas de Luís Felipe I, caracterizando a Carta Constitucional de 1830. de 1831 até 1848
  Não-oficial

O Grande Selo da França usado durante a Segunda República Francesa, ainda é usado como símbolo nacional.

de 1848 até 1852
  As armas do Segundo Império Francês por Napoleão III. de 1852 até1870
  Não-oficial

Emblema que foi criado para a Terceira República Francesa, caracterizando um fasces, acompanhado de um galho de louro e um galho de carvalho em sautor. Não há escudo, mas o Grande Cordão da Legião de Honra e o centro em oval do emblema é constituído de um monograma (letras "RF" entrelaçadas).

de 1898 até 1953
   Não-oficial
Emblema pessoal de Philippe Pétain, presidente francês (França de Vichy), caracterizando o lema Travail, Famille, Patrie(Trabalho, Família, Pátria) e a francisca. Foi gradualmente adotado como emblema informal do regime em documentos oficiais.[2]
de 1940 até 1944
  Não-oficial
Esta composição, que foi brevemente vista em 1905 durante a visita oficial à França de Rei Alfonso XIII, reapareceu em 1922 em um desenho animado de Gustave Jaulmes para uma tapeçaria a ser exibida em Estrasburgo. Em 1929, o Ministério dos Negócios Estrangeiros francês respondeu à embaixada alemã, que queria saber o brasão oficial da República, que "não há, em princípio, Brasão oficial ou emblema", mas que tal composição foi usada para as embaixadas e consulados franceses. A edição de 1935 de Le Petit Larousse reproduziu em preto e branco esta composição como um símbolo da República Francesa. Em 1953, um comitê interministerial o escolheu para atender ao pedido do Secretariado das Nações Unidas que queria adornar o salão de assembleia com painéis que reproduzem os brasões oficiais de cada estado membro.
1905, 1922/1953-present[carece de fontes?]
  Não-oficial
Brasão de armas informal que data de 1912, reintroduzido durante a presidência de Jacques Chirac (1995-2007) e ainda usado.
1912, 1953–presente

Ver tambémEditar

Referências

  1. Service d'Information du Gouvernement (24 de Setembro de 1999). «Charte Graphique de la Communication Gouvernementale» (PDF). Consultado em 18 de Janeiro de 2009. 
  2. « Cachet de la sous-préfecture de Dinan, 6 décembre 1943, État français (Régime de Vichy) » , Académie de Rennes.
  Este artigo sobre heráldica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Emblema nacional da França