Abrir menu principal
Erin Brockovich
Erin Brockovich em 2012
Nascimento 22 de junho de 1960
Lawrence, Kansas, Estados Unidos
Nacionalidade norte-americana
Ocupação técnica jurídica e ativista ambiental

Erin Brockovich, nascida Erin Pattee (Lawrence, 22 de junho de 1960) é uma técnica jurídica e ativista ambiental e dos direitos do consumidor norte-americana.

Sem qualquer instrução formal ou curso de ensino superior, ela foi fundamental para a construção de um processo legal contra a Pacific Gas and Electric Company (PG&E), da Califórnia, em 1993. O caso de sucesso foi tema do filme de 2000, Erin Brockovich, estrelado por Julia Roberts. Desde então, Erin se tornou uma celebridade da televisão, apresentando um programa, Challenge America with Erin Brockovich na ABC e Final Justice no Zone Reality.

É a presidente da Brockovich Research & Consulting e consultora da Girardi & Keese[1][2], da firma de advocacia Weitz & Luxenberg[3], que trabalha com os danos causados por amianto e da Shine Lawyers, da Austrália.[4]

Índice

BiografiaEditar

Erin Pattee nasceu em Lawrence, Kansas, em 1960, filha de Betty Jo (1923–2008), jornalista, e Frank Pattee (1924–2011), engenheiro e jogador de futebol americano. O casal teve três outros filhos, Frank Jr., Thomas (1954–1992) e Jodie.[5] Erin se formou no ensino médio na Lawrence High School e ingressando posteriormente na Universidade Estadual do Kansas, onde se formou em um curso técnico de Artes Plásticas. Trabalhou como gerente júnior em uma loja Kmart, em 1981, mas saiu depois de alguns meses para participar de um concurso de miss. Ela ganhou o título de Miss Costa Oeste dos Estados Unidos e no ano seguinte se mudou para a Califórnia.[6]

Erin foi casada três vezes: Shawn Brown, (1982–1987 divórcio), Steven Brockovich (1989–1990 divórcio) e Eric L. Ellis (1998–2012 divórcio). Erin tem quatro filhos.[7]

Pacific Gas and ElectricEditar

O caso contra a PG&E (Anderson, et al. v. Pacific Gas and Electric, arquivo BCV 00300) alegava contaminação de água potável por cromo hexavalente ("chromium VI", "Cr-VI" ou "Cr-6"), no sul da Califórnia, no município de Hinkley.[7][8] Uma instalação em Hinkley, construída em 1952 como parte de um gasoduto que conectava a cidade com a região da baía de São Francisco estava no centro da polêmica. Entre os anos de 1952 e 1966, a PG&E usou o cromo VI nos tanques de resfriamento para combater a corrosão do metal. A água descartada nas torres era então despejada sem tratamento em lagos do lado de fora, que começaram a percolar pelo solo até o lençol freático.

O processo contra a empresa foi vencido em 1996, em um valor de 333 milhões de dólares, o maior valor já pago em uma ação direta na história dos Estados Unidos. Masry & Vititoe, o escritório de advocacia para o qual Erin trabalhava na época como assistente jurídica, recebeu 133 milhões no acordo e Erin em si recebeu 2,5 milhões por seu trabalho.[9] Dados de um estudo de 2010 revelaram que os registros de câncer na região de Hinkley permaneceram dentro do esperado depois que a empresa foi processada e obrigada a limpar a área e a indenizar os moradores.[10] Um estudo de 2010, porém tenta derrubar a tese de que a região de Hinkley apresenta níveis mais altos de câncer quando comparados com o estado.[11]

FilmeEditar

Em 2000 estreou o filme Erin Brockovich que narra o processo pelo qual ela se tornou famosa. O filme, foi estrelado por Julia Roberts e dirigido por Steven Soderbergh e pelo papel de Erin, Julia ganhou o Oscar de Melhor Atriz.

Referências

  1. «Girardi & Keese Law Firm» (PDF). Arquivado do original (PDF) em 15 de julho de 2011 
  2. Gene Maddaus, ed. (22 de setembro de 2009). «Erin Brockovich goes after Shell Oil in Carson». Daily Breeze. Arquivado do original em 7 de outubro de 2009 
  3. Molly McDonough (ed.). «Erin Brockovich Signs On With NYC Law Firm». ABA Journal. Consultado em 13 de agosto de 2019 
  4. «Erin Brockovich Shines». Shine Lawyers. Consultado em 13 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 3 de abril de 2018 
  5. «Obituaries». ljworld.com. Consultado em 13 de agosto de 2019 
  6. «Erin Brockovich Archives - The Power Of Dyslexia». thepowerofdyslexia.com. Consultado em 27 de dezembro de 2016. Arquivado do original em 27 de dezembro de 2016 
  7. a b Mike Pearl (ed.). «The Town Erin Brockovich Rescued Is Basically a Ghost Town Now». Vice. Consultado em 13 de agosto de 2019 
  8. «Erin Brockovich and Hexavalent Chromium». SkillMD. Consultado em 13 de agosto de 2019 
  9. Duncan Campbell (ed.). «What Erin Brockovich did next». The Guardian. Consultado em 13 de agosto de 2019 
  10. Naoki Schwartz (ed.). «Survey shows unremarkable cancer rate in CA town». The Boston Globe. Consultado em 13 de agosto de 2019 
  11. David Heath (ed.). «Cancer-cluster study seeking to debunk 'Erin Brockovich' has glaring weaknesses». Public Integrity. Consultado em 13 de agosto de 2019