Abrir menu principal

Estação Ferroviária de Oliveira de Frades

Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a antiga estação na Linha do Vouga. Se procura a estação em funcionamento na Linha do Vouga, veja Estação Ferroviária de Oliveira de Azeméis. Se procura o apeadeiro na Linha do Douro, veja Apeadeiro de Oliveira. Se procura a estação na Linha do Norte, veja Estação Ferroviária de Oliveira do Bairro.
Oliveira de Frades
Inauguração 30 de Novembro de 1913
Encerramento 1 de Janeiro de 1990
Linha(s) Linha do Vouga
(PK 97,719)
Coordenadas 40° 43′ 52,74″ N, 8° 10′ 24,02″ O
(local original)
40° 43′ 53,08″ N, 8° 10′ 36,49″ O
(novo local)
Concelho Oliveira de Frades
Serviços Ferroviários
Horários em tempo real

A Estação Ferroviária de Oliveira de Frades foi uma interface da Linha do Vouga, que servia a vila de Oliveira de Frades, no Distrito de Viseu, em Portugal.

Índice

HistóriaEditar

 
Mapa da Rede do Vouga em 1944, incluindo a estação de Oliveira de Frades.

Planeamento e inauguraçãoEditar

Em 1889, Frederico Palha foi autorizado a construir um caminho de ferro desde a Estação de Espinho até à Linha de Santa Comba Dão a Viseu, passando por Oliveira de Frades.[1] Em 1895, foi publicado o projecto para a Linha do Valle do Vouga, onde se confirmava a passagem por esta vila[2]; com efeito, nessa altura julgava-se que seria uma das localidades mais importantes que iriam beneficiar com a nova linha.[3] Nesta altura, o principal meio de transporte em São Pedro do Sul e noutras povoações do vale do Rio Vouga eram as diligências até Estarreja, que era muito morosas.[3]

Esta gare fazia parte do troço entre Ribeiradio e Vouzela, que entrou ao serviço no dia 30 de Novembro de 1913[4], tendo sido construído pela Compagnie Française pour la Construction et Exploitation des Chemins de Fer à l'Étranger.[5] A estação foi situada no interior da vila de Oliveira de Frades.[6]

Transição para a CPEditar

Em 1 de Janeiro de 1947, a exploração da Linha do Vouga passou para a Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses.[7]

EncerramentoEditar

O troço entre Sernada do Vouga e Viseu foi encerrado no dia 1 de Janeiro de 1990.[8]

Referências literáriasEditar

A escritora Horacel Lopes descreveu a estação de Oliveira de Frades e o cenário envolvente, durante uma viagem ao longo do vale do Rio Vouga:

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Efemérides» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 51 (1225). 1 de Janeiro de 1939. pp. 43–48. Consultado em 15 de Março de 2015 
  2. «Há Quarenta Anos» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1130). 16 de Janeiro de 1935. 40 páginas. Consultado em 15 de Março de 2015 
  3. a b CORDEIRO, Xavier (6 de Janeiro de 1950). «Há 50 anos» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 62 (1489). 743 páginas. Consultado em 15 de Março de 2015 
  4. «Há 50 anos» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 76 (1824). 16 de Dezembro de 1963. 361 páginas. Consultado em 15 de Março de 2015 
  5. TORRES, Carlos (16 de Março de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 71 (1686). pp. 133–140. Consultado em 15 de Março de 2015 
  6. «Oliveira de Frades» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 60 (1460). 16 de Outubro de 1948. 584 páginas. Consultado em 15 de Março de 2015 
  7. AGUILAR, Busquets de (1 de Junho de 1949). «A Evolução História dos Transportes Terrestres em Portugal» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 62 (1475). pp. 383–393. Consultado em 15 de Março de 2015 
  8. SILVA e RIBEIRO, p. 69

BibliografiaEditar

  • LOPES, Horacel (1956). O que vi em Portugal. Rio de Janeiro: Emp. Gráf. Ouvidor S. A. 341 páginas 
  • SILVA, José; RIBEIRO, Manuel (2007). Os Comboios em Portugal. III 1ª ed. Lisboa: Terramar - Editores, Distribuidores e Livreiros, Lda. 203 páginas. ISBN 978-972-710-408-6 



  Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.