Estação Ferroviária de Belver

estação ferroviária em Portugal
(Redirecionado de Estação de Belver)

A Estação Ferroviária de Belver, igualmente denominada de Belver-Gavião, é uma gare ferroviária da Linha da Beira Baixa, que serve a localidade de Belver, no Município de Gavião, em Portugal.

Belver
Identificação: 52282 BER (Belver)[1]
Denominação: Estação Satélite de Belver
Administração: Infraestruturas de Portugal (até 2020: centro;[2] após 2020: sul)[3]
Classificação: ES (estação satélite)[1]
Tipologia: D [3]
Linha(s): L.ª da B. Baixa (PK 27+512)
Altitude: 332 m (a.n.m)
Coordenadas: 39°29′31.09″N × 7°57′31.51″W

(=+39.49197;−7.95875)

Mapa

(mais mapas: 39° 29′ 31,09″ N, 7° 57′ 31,51″ O; IGeoE)
Município: border link=Gavião (Portugal)Gavião
Serviços:
Estação anterior Comboios de Portugal Comboios de Portugal Estação seguinte
Barr.Belver
Entroncam.to
Lis-Apolónia
  R   Barc.Amieira
C.Branco

Equipamentos: Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Sala de espera Telefones públicos
Inauguração: 6 de setembro de 1891 (há 132 anos)
Website:
 Nota: Este artigo é sobre a estação na Linha da Beira Baixa. Se procura o apeadeiro na mesma linha, veja Apeadeiro de Barragem de Belver.
Enquadramento da estação, junto ao Tejo e ao Castelo de Belver, vista da margem sul.

Descrição editar

Localização e acessos editar

Esta interface tem acesso pela Rua da Estação, junto à vila de Belver;[4] dista menos de um quilómetro do seu centro (Rua do Passeio),[5] e mais de cinco quilómetros da sede do concelho e localidade nominal secundária.[6]

Infraestrutura editar

 
Vista geral da estação e infraestrutura anexa, em 2008.

Esta interface apresenta duas vias de circulação, eletrificadas em toda a sua extensão, identificadas como I e II, ambas com 661 m de comprimento, e acessíveis por plataforma com comprimento de 150 m e altura de 685 mm; existee ainda uma vias secundárias, identificada como III, com 78 m de extensão, que não se encontra eletrificada.[3]

O edifício de passageiros situa-se do lado norte da via (lado esquerdo do sentido ascendente, para Guarda).[7][8]

Situa-se perto desta interface, ao PK 29+300, a zona neutra de Belver que isola os troços da rede alimentados respetivamente pelas subestações de tração de Abrantes e de Ródão.[3]

Serviços editar

Em dados de 2023, esta interface é servida por comboios de passageiros da C.P. de tipo regional, tipicamente com quatro circulações diárias em cada sentido, entre Entroncamento e Guarda, Castelo Branco, ou Covilhã; diariamente passam sem parar nesta interface três circulações, em cada sentido, de tipo intercidades.[9]

História editar

 Ver artigo principal: Linha da Beira Baixa § História
 
Fotografia antiga da estação de Belver.

Na década de 1850, o engenheiro Wattier foi encarregado de planear o traçado da linha férrea entre Lisboa e a fronteira espanhola, tendo um dos traçados propostos sido por Portalegre, Gavião e Alpalhão, que facilitaria a ligação com a rede espanhola por Valência de Alcântara e Cáceres, mas que iria servir pior as regiões do Crato e da vila de Fronteira.[10]

Esta estação situa-se no troço entre Abrantes e a Covilhã da Linha da Beira Baixa, que começou a ser construído nos finais de 1885, e entrou em exploração no dia 6 de Setembro de 1891, pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses.[11] Fez parte da linha desde o princípio, tendo nessa altura o nome de Belver e a categoria de estação.[12] No dias 5 e 6 de Setembro, a Companhia Real organizou comboios especiais a preços reduzidos entre Abrantes e Covilhã, que pararam pela estação de Belver.[13] Nos mesmos dias, também foram organizados comboios de Sintra à Covilhã para o transporte da família real, que tiveram igualmente paragem em Belver.[14]

Em 1913, existiam serviços de diligências ligando a estação de Belver a Mação.[15]

 
Praia fluvial do Alamal, vista do Castelo de Belver, vendo-se a via férrea a poente da estação na aquém-margem.

Em 1948, a Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses estava a renovar os carris em vários troços na Linha da Beira Baixa, incluindo de Belver a Fratel, utilizando material americano e britânico.[16]

Um despacho de 26 de Abril de 1951 eliminou a estação de Belver da lista de gares que serviam praias de banhos ou estâncias de águas ou repouso;[17] esta classificação referia-se à praia fluvial do Alamal, distante da estação menos de três quilómetros, via a ponte de Belver.[18]

Em Janeiro de 2011, esta estação apresentava duas vias de circulação, ambas com 661 m de comprimento; as plataformas tinham ambas 152 m de extensão, e 70 cm de altura[19] — valores mais tarde[quando?] ligeiramente alterados para os atuais.[3]

Ver também editar

Referências

  1. a b (I.E.T. 50/56) 56.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50 : Rede Ferroviária Nacional. IMTT, 2011.10.20
  2. Diretório da Rede 2021. IP: 2019.12.09
  3. a b c d Diretório da Rede 2024. I.P.: 2022.12.09
  4. «Belver - Linha da Beira Baixa». Infraestruturas de Portugal. Consultado em 6 de Julho de 2015 
  5. «Cálculo de distância pedonal (39,49217; −7,95874 → 39,49477; −7,95819)». OpenStreetMaps / GraphHopper. Consultado em 28 de julho de 2023 : 877 m: desnível acumulado de +91−12 m
  6. «Cálculo de distância rodoviária (39,4922; −7,9587 → 39,4653; −7,9378)». OpenStreetMaps / GraphHopper. Consultado em 28 de julho de 2023 : 5200 m: desnível acumulado de +272−44 m
  7. (anónimo): Mapa 20 : Diagrama das Linhas Férreas Portuguesas com as estações (Edição de 1985), CP: Departamento de Transportes: Serviço de Estudos: Sala de Desenho / Fergráfica — Artes Gráficas L.da: Lisboa, 1985
  8. Diagrama das Linhas Férreas Portuguesas com as estações (Edição de 1988), C.P.: Direcção de Transportes: Serviço de Regulamentação e Segurança, 1988
  9. Horário Comboios : Lisboa / Covilhã ⇄ Guarda / Vilar Formoso (em vigor desde 11 de dezembro de 2022)
  10. [[Frederico Abragão|ABRAGÃO, Frederico de Quadros]] (16 de Abril de 1956). «No Centenário dos Caminhos de Ferro em Portugal: Algumas notas para a sua história» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 69 (1640). p. 193. Consultado em 30 de Dezembro de 2023 – via Hemeroteca Municipal de Lisboa  Verifique |author-link1= valor (ajuda)
  11. TORRES, Carlos Manitto (16 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 70 (1682). p. 61-64. Consultado em 6 de Julho de 2015 
  12. «Inauguração da Linha da Beira Baixa» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro de Portugal e Hespanha. Ano 4 (89). 3 de Setembro de 1891. p. 261-263. Consultado em 9 de Agosto de 2017. Arquivado do original (PDF) em 27 de Setembro de 2015 
  13. «Tarifas de transporte» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro de Portugal e Hespanha. Ano 4 (89). 3 de Setembro de 1891. p. 266-267. Consultado em 9 de Agosto de 2017. Arquivado do original (PDF) em 27 de Setembro de 2015 
  14. «Horario dos comboios reaes nos dias 5 e 6» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro de Portugal e Hespanha. Ano 4 (89). 3 de Setembro de 1891. p. 269. Consultado em 12 de Agosto de 2015 
  15. «Serviço de Diligencias». Guia official dos caminhos de ferro de Portugal. Ano 39 (168). Outubro de 1913. p. 152-155. Consultado em 18 de Março de 2018 – via Biblioteca Nacional de Portugal 
  16. «Linha da Beira Baixa» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 60 (1452). 16 de Junho de 1948. p. 349. Consultado em 6 de Julho de 2015 
  17. «Parte Oficial» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 64 (1522). 16 de Maio de 1951. p. 114. Consultado em 6 de Julho de 2015 
  18. «Cálculo de distância pedonal (39,49217; −7,95874 → 39,48808; −7,96726)». OpenStreetMaps / GraphHopper. Consultado em 28 de julho de 2023 : 2680 m: desnível acumulado de +55−43 m
  19. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2012. Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. p. 71-85 
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre a estação de Belver

Ligações externas editar

  Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.