Abrir menu principal

Euler Bentes Monteiro

Euler Bentes Monteiro
Nome completo Euler Bentes Monteiro
Dados pessoais
Nascimento 1917 Rio de Janeiro, RJ
Morte 23 de julho de 2002 (85 anos) Rio de Janeiro, RJ
Vida militar
Força Exército

Euler Bentes Monteiro (Rio de Janeiro, 1917 — Rio de Janeiro, 23 de julho de 2002[1]) foi um general brasileiro.

Biografia e carreira militarEditar

Em 1933, ingressou na Escola Militar do Realengo. Já capitão, em 1945, apoiou a conspiração contra Getúlio Vargas.[2]

Em 1950, defendeu o monopólio estatal do petróleo na eleição para o Clube Militar, integrando a chapa nacionalista.[2] Formou-se na Escola Superior de Guerra, turma de 1961.[3] Em 1964, negou-se a participar do golpe que depôs João Goulart.[2] Mesmo assim, chegou a general-de-brigada, em 1965, e dois anos depois foi nomeado, pelo general Albuquerque Lima, presidente da Sudene,[2] cargo que ocupou até 1968.[4] Com a posse de Ernesto Geisel, em 1974, foi promovido a general-de-exército; no cargo de chefe do Departamento de Material Bélico, criou a estatal IMBEL.[2]

Uma frente de oposição à ditadura militar, articulada por Severo Gomes,[2] levou-o a se candidatar à presidência da República, pelo MDB, na eleição indireta de 1978, tendo como vice na chapa o senador Paulo Brossard, mas foi derrotado pelo general João Figueiredo, por 355 votos contra 226.[5]

Durante o governo Figueiredo, foi repreendido pelo Exército por ter assinado o manifesto Em defesa da Nação ameaçada, que pedia ações efetivas na reconquista da identidade nacional e na recuperação do comando dos destinos do país. Entre outras personalidades, assinaram o documento, além do general Euler, Ariano Suassuna, Barbosa Lima Sobrinho e Fernando Henrique Cardoso.[1]

Referências

  1. a b «Morre general que tentou ser presidente na ditadura». O Estado de S. Paulo. Estadão.com.br. 27 de julho de 2002. Consultado em 10 de setembro de 2008 
  2. a b c d e f «General Euler Bentes, candidato a presidente em 1978, morre no Rio». Folha de S.Paulo. Folha.com. 27 de julho de 2002. Consultado em 10 de setembro de 2008 
  3. «Conselho Superior de Guerra - turma de 1961». Sítio oficial da ESG. Esg.br. Consultado em 10 de setembro de 2008 
  4. «Os militares: teoria e prática do poder». Revista Veja. Veja.abril.com.br. 1º de abril de 1970. Consultado em 10 de setembro de 2008. Arquivado do original em 8 de abril de 2008 
  5. «Abertura lenta, gradual e insegura». Folha On-Line, Eleições 2002. Folha.com. 2002. Consultado em 10 de setembro de 2008 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.