Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Eyjólfur Sverrisson (Sauðárkrókur, 3 de agosto de 1968) é um treinador e ex-futebolista islandês. Atualmente, ocupa o cargo de assistente técnico no Wolfsburg.

Eyjólfur Sverrisson
Eyjólfur Sverrisson.jpg
Informações pessoais
Nome completo Eyjólfur Sverrisson
Data de nasc. 3 de agosto de 1968 (50 anos)
Local de nasc. Sauðárkrókur,  Islândia
Altura 1,86 m
Informações profissionais
Equipa atual Flag of Iceland.svg Islândia Sub-21
Posição Treinador
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
19861989
19891994
19941995
19952003
Islândia Tindastóll
Alemanha Stuttgart
Turquia Beşiktaş
Alemanha Hertha Berlin
00050 00(39)
00110 00(21)
00033 000(9)
00197 00(12)
Seleção nacional
19912001 Flag of Iceland.svg Islândia 00066 00(10)
Times/Equipas que treinou
20052007
2009–2011]]
2011
Flag of Iceland.svg Islândia
Flag of Iceland.svg Islândia Sub-21
Alemanha Vfl Wolfsburg (assistente)

Seu filho, Hólmar Örn Eyjólfsson, também seguiu seus passos e se tornou um futebolista profissional e, atualmente pertence ao Vfl Bochum da Alemanha.

Índice

CarreiraEditar

Tendo jogado basquete quando ainda atuava na Islândia, Sverrisson iniciou sua carreira defendendo o clube de sua cidade natal, o Tindastóll.[1] Sua estreia aconteceu quando tinha apenas dezessete anos, atuando como atacante. Atuaria na equipe principal do Tindastóll durante quatro temporadas, tendo grande destaque na primeira, quando marcou quinze vezes em catorze partidas, quando impressionados com suas atuações, os dirigentes do Stuttgart o contrataram.[1]

Atuando na Alemanha, Sverrisson acabaria sendo recuado para o meio campo, tendo disputado apenas três partidas em sua temporada de estreia, marcando um gol. A partir da segunda temporada, teve uma grande sequência, disputando vinte partidas e anotando quatro tentos a mais da temporada passada. Em sua terceira temporada, seria um dos responsáveis pela conquista do título alemão, quebrando o jejum de oito anos do clube.

Ainda disputaria mais duas temporadas no Stuttgart, tendo participações importantes. Após cinco temporadas, decidiu se transferir para o futebol turco, quando recebeu uma proposta do Beşiktaş.[1] Em sua única temporada no futebol turco, disputou 33 partidas e anotou nove gols, conquistando o título turco ao final da temporada.[1] Decidiu retornar ao futebol alemão, acertando sua transferência para o Hertha Berlin.[1]

Chegou ao clube quando este disputava a segunda divisão alemã, tendo terminado sua primeira temporada no clube numa décima quarta posição. Na segunda temporada, o Hertha conseguiu terminar na segunda posição, retornando à elite alemã. Suas atuações seriam importantes para sua equipe, tendo conseguido conquistar duas Copas da Liga seguidas, em três disputadas. Em sua última temporada, disputaria apenas seis partidas e, decidiu por encerrar sua carreira, aos 34 anos, após mais de duzentas partidas pelo clube.[1]

SeleçãoEditar

Pela Seleção Islandesa, Sverrisson disputou 66 partidas, anotando dez tentos.[2] Sua estreia aconteceu nas eliminatórias para a Eurocopa 1992, contra a Albânia, disputado em maio de 1991, quando tinha 23 anos. Durante os anos 1990, foi uma das grandes estrelas do futebol islandês na seleção atuando num dos principais centros do futebol europeu. Sua última partida aconteceu em outubro de 2001, quando a Islândia perdeu para a Dinamarca por 6 a 0 nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2002.

Como treinadorEditar

Duas temporadas desde sua aposentadoria dos campos, Sverrisson foi convidado em outubro de 2005 para se tornar o treinador da Seleção Islandesa.[1] Comandou a seleção em catorze partidas, tendo conquistado apenas duas vitórias. Destaca-se as partidas contra a Espanha, quando a Islândia conseguiu empatar as duas. Acabaou sendo demitido em 27 de outubro de 2007.[1] Retornaria ao comando da Seleção Islandesa dois anos depois, mas assumindo a equipe sub-21.[1]

Referências