Abrir menu principal

Ezequiel Mosquera

ciclista espanhol

BiografiaEditar

1999-2004: estreia no ciclismo portuguêsEditar

Estreia como profissional com a equipa portuguesa de 2ª divisão Paredes, no ano 1999, onde permaceu quatro temporadas.

2005-2006: Kaiku e Comunitat ValencianaEditar

[2]

2007-2010: revelação na Volta com o GalizaEditar

No ano 2007, estreiou com 31 anos na Volta a Espanha e conseguiu uma meritória quinto posto, fazendo uma genial volta sobretudo na montanha.

Na Volta a Espanha de 2008, realizou outra grande participação, marchando quase o tempo todo roçando o pódio, fazendo grandes etapas de montanha, especialmente no porto de Fuentes de Invierno, descolando a ciclistas como Carlos Sastre ou Alejandro Valverde e ocupando a quarta posição no geral final.

Também conseguiu boas atuações em provas importantes como a Volta a Burgos e esteve a ponto de ganhar várias etapas na Volta ao País Basco e na Volta a Espanha finalizando em segunda posição muitas etapas.

Estando no melhor momento de forma da sua carreira sofreu um revés em 2009 já que descartou-se-lhe da Volta a Itália por uma fractura sofrida em sua mão esquerda,enquanto estava em sua casa descansando.[3]

Regressou na Volta a Espanha, onde assinou uma meritória quinta posição final, depois de ser um dos ciclistas que mais espectáculo ofereceu atacando numerosas vezes no "Tríptico Andaluz" e em outras etapas de montanha.

No ano de 2010 voltou a repetir postos de honra em diferentes corridas, como o terceiro lugar na Volta a Castela e Leão, perfilando toda a sua temporada para poder brilhar na Volta a Espanha de 2010. Na mesma conseguiu impor-se na penúltima etapa, com final na Bola del Mundo depois de um longo ataque procurando ganhar a ronda espanhola, ocupando a segunda posição da classificação geral final a 41 segundos do italiano Vincenzo Nibali. Em setembro a UCI anunciou resultados analíticos anormais por presença de hydroxyethyl (Amido) que se detectou num controle antiding da Volta.[4] Posteriormente a UCI anulou os resultados de Mosquera desde 28 de agosto de 2010 baseando na sentença do TAS (Tribunal de Arbitragem Desportiva) de 2012.

2011-2012: novos reptos no VacansoleilEditar

Em 2011 alinhou pela equipa Vacansoleil-DCM Pro Cycling Team, onde Mosquera ia coincidir com o italiano Riccardo Riccò, que nesse ano voltava a competir depois de uma sanção de dois anos por doping e quem, depois de uma primeira estreia com a Ceramica Flaminia, tinha alinhado pela equipa holandesa. Mas Riccò viu-se envolvido num novo caso de doping pelo qual foi despedido a 25 de abril. Outro dos integrantes de luxo da esquadra holandesa foi Stijn Devolder.

Afastado provisionalmenteEditar

Depois do positivo detectado a nova equipa deixou em suspenso a contratação do ciclista. Depois de sair absolvido finalmente especificou o contrato. Ainda que meses depois o afasta-se até que finalizasse o caso, sobretudo por precaução devido à suposta reincidência de doping do outro dos seus líderes: Riccò.[5] Depois de não ter notícias oficiais esteve previsto que Mosquera estrea-se no Tour de Romandia de 2011 no final de abril, facto que não ocorreu saindo a sua equipa com um corredor a menos.[6]

Sanção definitivaEditar

Finalmente foi sancionado no final do 2011, não computando-se nos meses que não correu no Vacansoleil como de sanção como a substância de por se não era doping e em princípio não foi sancionado, com 2 anos até agosto de 2013.[7] Durante 2012 Mosquera fez umas declarações insinuando que poderia ter incumprido alguma norma antidoping ainda que não deixando clara a sua culpabilidade.[8] Em março desse mesmo ano anunciou a sua retirada definitiva.[9]

Falha da Audiência NacionalEditar

A Audiência Nacional, depois de quase dois anos desde que Ezequiel Mosquera recorresse da sua sanção, dá a razão ao corredor galego e anula por um defeito de forma a sua sanção de dois anos pela análise que detectou hidroxietil amido em seu organismo na Volta a Espanha de 2010 na que acabou segundo.[10] Apesar disso, a UCI mantém anulados os resultados de Mosquera desde 28 de agosto de 2010 baseando na sentença do TAS (Tribunal de Arbitragem Desportiva) de 2012.[11]

PalmarésEditar

2005

  • 1 etapa na Volta à Rioja

2008

2009

  • 1 etapa na Volta a Burgos

2010

Resultados em grandes voltas ciclistas e Campeonatos do Mundo de Ciclismo em estradaEditar

Durante a sua trajectória desportiva tem conseguido os seguintes resultados em grandes voltas ciclistas e nos Campeonatos do Mundo de Ciclismo em estrada:

Corrida 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010
Volta a Itália - - - - - - - - - - - -
Volta a França - - - - - - - - - - - -
Volta Ciclista a Espanha - - - - - - - -
Campeonato do Mundo de Ciclismo em Estrada   - - - - - - - - - Ab. - -

-: não participa Ab.: abandono

Equipas ciclistasEditar

  • Paredes (1999-2002)
    • Paredes Movel-Ecop (1999)
    • Paredes Rota dos Moveis-Tintas VIP-Antarte (2000)
    • Paredes Rota dos Moveis-Tintas VIP-Ecop (2001)
    • Paredes Rota dos Moveis-Antares VIP (2002)
  • Cantanhede-Marques da Marialva (2003)
  • Carvalhelhos-Boavista (2004)
  • Kaiku (2005)
  • Comunidade Valenciana (2006)
  • Galiza (2007-2010)
    • Karpin Galiza (2007-2008) (até o 25 de agosto)
    • Xacobeo Galiza (2008-2010)
  • Vacansoleil-DCM Pro Cycling Team (2011)

Referências

ligações externasEditar