A Família Konder é uma das famílias de maior influência na política e arte brasileira. Oriundos de Schweich, Alemanha, radicaram-se em Itajaí, Santa Catarina.

Origens editar

Markus Konder (1854 - 1898), nascido em Schweich, era professor formado pelo Seminário Pedagógico em Trier, onde estudava também música. Durante a Guerra Franco-Prussiana foi designado a fazer o registro dos feridos e mortos no hospital de sangue num convento de Trier. Contratado por Nikolaus Malbourg como preceptor de seus filhos em 1872, migrou para o Brasil, desembarcando em Itajaí.[1] Nessa cidade conheceu Adelaide Flores Konder (1860-1958), casando-se em 1877. Na cidade de Schweich existe a Markus Konder Strasse, em sua homenagem.[2].

Durante a Revolução de 30, os membros da família se dispersam de Santa Catarina.[3]

Membros notáveis editar

Outros membros editar

  • Maria ("Marieta") Konder Bornhausen (1898 - 1994), primeira-dama de Santa Catarina entre 1951 e 1956;
  • Gustavo Adolpho Konder (1905 - 1981), cronista [4];
  • Maria Luisa Konder Lins e Silva (1913 - 1984), casada com Evandro Lins e Silva;
  • Octavia Benvinda Regis Konder (1915 - 1961), escritora [5];
  • Maria Pompeia Konder Reis Malburg (1928 - 2018), primeira-dama de Santa Catarina entre 1975 e 1979.

Referências

  1. Casa Konder
  2. Entrevista - Marcos Konder
  3. Victor e Ruth
  4. Gustavo Adolfo Konder, Blumenau em Cadernos, nº 5, Blumenau, maio de 1981
  5. Festival Castro Alves, Tribuna Popular, nº 545, Rio de Janeiro, 11 de março de 1947, p. 8