Abrir menu principal
Felipe Moura Brasil
Felipe Moura Brasil em entrevista ao Programa Pânico, em fevereiro de 2019.
Nascimento 18 de maio de 1981 (38 anos)
Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Ocupação escritor, comentarista e blogueiro
Nacionalidade Brasileira
Trabalhos notáveis Jovem Pan
O Antagonista
Revista VEJA
Editora Record
Mídia Sem Máscara

Felipe Moura Brasil (Rio de Janeiro, 18 de maio de 1981) é um escritor, blogueiro e comentarista brasileiro. Foi organizador do best seller "O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota" de Olavo de Carvalho, publicado em 2013 pela Editora Record, é o Diretor de Jornalismo da Jovem Pan, defende o liberalismo econômico com estado mínimo como uma das soluções do combate a corrupção no Brasil.[1]

BiografiaEditar

Felipe Moura Brasil nasceu no Rio de Janeiro em 18 de maio de 1981. Descendente de José Cardoso de Moura Brasil, criador do Colírio Moura Brasil. Trabalhou em agências de publicidade, produtoras de cinema e empresas de comunicação. É coautor da antologia Contra a juventude (2007), que reúne textos publicados no site Tribuneiros. Escreveu resenhas para o Jornal do Brasil entre 2008 e 2009. Foi criador do Blog Pim (seu apelido) em 2010 e, naquele mesmo ano, virou colaborador do site Mídia Sem Máscara, criado por Olavo de Carvalho. Seu "Soneto do estudante sério", dedicado ao filósofo, recebeu críticas positivas por ele em seu programa True Outspeak em 20 de junho de 2012. Segundo Felipe, essa foi a primeira forma que encontrou para lhe agradecer pelos ensinamentos que iluminaram sua vida.[2][3]

Ainda em 2012, tendo começado a trabalhar também como organizador, tradutor e copidesque de livros da Editora Record, tomou a iniciativa de organizar o livro de Olavo de Carvalho "O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota" publicado em 2013, pela Editora Record.[2][3]

Com o sucesso das publicações de seu antigo Blog do Pim e demais espaços, foi convidado para ser blogueiro do site da revista Veja, cujo lançamento foi em 2 de dezembro de 2013. Desde então, ele tem feito nesse espaço análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, segundo o próprio, "com base na regra de Lima Barreto: 'Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo'. Felipe também é comentarista regular no programa “Estúdio Veja” na TV Veja. Contudo, em abril de 2017 anunciou sua saída da revista, segundo ele, devido a outra proposta de trabalho e apesar da insistência da atual empresa pela sua permanência.[2][3][4]

Em outubro de 2016, foi considerado por estudo da big data brasileira Stilingue, o maior influenciador político do Twitter no Brasil.[5] Uma pesquisa realizada em 2017 pela ePoliticSchool (EPS) também lista o jornalista entre os mais influentes das redes sociais em relação a temática política.[6]

Em março de 2017, foi convidado pela chamada Prager University, uma organização de mídia conservadora estadunidense de Los Angeles, para participar da gravação de um vídeo que se tornou viral cujo título é “How Socialism Ruined My Country”, que em menos de um mês acumulou mais de três milhões de visualizações. Ele também participou de entrevista e conferências associada à entidade, em que expôs sua análise do atual quadro político e cultural brasileiro.[7]

Em 2016, foi considerado, por um estudo da big data brasileira Stilingue, o maior influenciador político do Twitter no Brasil. Em abril de 2017 anunciou sua saída da VEJA após 3 anos e cinco meses como colunista na revista,[2][5][3][4] e no mês seguinte passou a integrar a equipe O Antagonista.[8]

Em junho de 2017, foi anunciada a sua contratação na rádio Jovem Pan para comandar junto com os jornalistas Joice Hasselmann, Fernando Martins e Claudio Tognolli o programa Os Pingos nos Is.[9] Em 10 de outubro, Claudio Tognolli foi substituído pelo também jornalista Augusto Nunes, pois Tognolli havia sido convocado para atuar novamente no programa Jovem Pan Morning Show da mesma emissora.

Em fevereiro de 2018, após a saída de Hasselmann, Felipe Moura Brasil assumiu o posto de âncora do programa vespertino da emissora.[10] e seu antigo posto de comentarista foi assumido pelo também jornalista José Maria Trindade. A mudança ocorreu sem qualquer aviso prévio ou explicações a posteriori por parte da emissora.[11][10] Felipe se tornou o Diretor de Jornalismo da Jovem Pan no dia 20 de fevereiro de 2019,[12] e anunciou seu desligamento do site O Antagonista, mas mantendo uma coluna quinzenal na Revista Crusoé.[13]

Referências

  1. https://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/quem-odeia-corrupcao-tem-de-combater-inchaco-do-estado/
  2. a b c d De Carvalho, Olavo (2013). O Mínimo que você precisa saber para não ser um idiota. 1ª edição. Rio de Janeiro: Editora Record. pp. 514–514 
  3. a b c d Moura Brasil, Felipe. «Notícias sobre Felipe Moura Brasil». veja.abril.com.brl. Consultado em 13 de abril de 2017 
  4. a b Moura Brasil, Felipe (28 de abril de 2017). «Eu escolhi sair da Veja». veja.abril.com.br. Consultado em 28 de abril de 2017 
  5. a b Brandão, Marcelo. «Pesquisa revela os 20 maiores influenciadores de política no twitter». Consumidormoderno.com.brl. Consultado em 13 de abril de 2017 
  6. (EPS), EPoliticSchool (6 de abril de 2017). «Termômetro ideológico do Facebook (Tideo)» (PDF). EPoliticSchool (EPS). Consultado em 15 de abril de 2017 
  7. University, Prager. «How socialism ruined my country». prageru.com (em inglês). Consultado em 13 de abril de 2017 
  8. «Felipe Moura Brasil é Antagonista». O Antagonista. 2 de maio de 2017. Consultado em 21 de junho de 2017 
  9. «Jovem Pan contrata jornalistas Joice Hasselmann e Felipe Moura Brasil para "Os Pingos nos Is"». Jovem Pan Online 
  10. a b «Joice Hasselmann deixa programa "Os Pingos nos Is"». Teleguiado. 9 de fevereiro de 2018 
  11. «Os Pingos nos Is - Edição de 10/10/2017». Jovem Pan Online. 10 de outubro de 2017 
  12. «Jovem Pan promove mudanças na sua alta direção». Consultado em 13 de março de 2019 
  13. https://www.youtube.com/watch?v=8mouZ2ARdxo

Ligações ExternasEditar