Abrir menu principal
Ferrovia Teresina-Fortaleza
Transnordestina1.jpg
Mapa da malha ferroviária da Transnordestina Logística S.A
Sigla ou acrônimo FTL
Área de operação Ceará e Piauí
Tempo de operação 1964–presente
Antecessora RFFSA
Bitola 1000 mm
Extensão 696 km[1]
Operadora Ferrovia Transnordestina Logística
Sede Fortaleza, Ceará

A Ferrovia Teresina-Fortaleza liga as cidades de Altos (PI) e Fortaleza (CE), com ramais nos portos de Mucuripe e Pecém passando por Buriti dos Montes (PI), Castelo do Piauí (PI), Ibiapaba (CE), Crateús (CE), Ipu (CE), Sobral (CE), Itapipoca (CE), Croatá (CE), Caucaia (CE), dentre outros.

Em Altos, a ferrovia se conecta com a Ferrovia Teresina-Parnaíba, que realiza o restante da ligação necessária para chegar até Teresina.

O direito de concessão da Malha Nordeste da antiga RFFSA foi concedido, em 1997, para a empresa Companhia Ferroviária do Nordeste, que mudou de nome para Transnordestina Logística, e atualmente é operada pela mesma.[2]

Em 2013, ocorre a cisão da Transnordestina Logística S/A, sendo criada a Ferrovia Transnordestina Logística (FTL) responsável pela operação das linhas de bitola métrica no nordeste (Malha I); enquanto que a Transnordestina Logística S.A. (TLSA) ficou com a Malha II (bitola larga e mista em construção como Ferrovia Nova Transnordestina).[3]

Atualmente, transporta gusa, produtos siderúrgicos, cimento, coque, clínquer, farinha de trigo e minério entre essas cidades. [4]

Em 2014, foram transportadas 142 mil toneladas de produtos siderúrgicos entre Pecém e Teresina.[5]

Parte da carga de cimento é direcionada para São Luís, através da Ferrovia São Luís-Teresina, que também transporta gasolina e diesel do Porto do Itaqui para a capital piauiense.[4][6]

Referências