Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: ""Flushed Away"" redireciona para este artigo. Para o videogame, veja Flushed Away (jogo eletrônico).
Por Água Abaixo
Flushed Away
Pôster de lançamento brasileiro do filme.
 Reino Unido Estados Unidos
2006 •  cor •  84 min 
Direção David Bowers
Sam Fell
Produção Cecil Kramer
David Sproxton
Peter Lord
Roteiro Dick Clement
Ian La Frenais
Chris Lloyd
Joe Keenan
William Davies[1]
História Sam Fell
Peter Lord
Dick Clement
Ian La Frenais[1]
Elenco Hugh Jackman
Kate Winslet
Ian McKellen
Jean Reno
Bill Nighy
Andy Serkis
Shane Richie
Género animação, aventura, comédia
Música Harry Gregson-Williams
Edição Eric Dapkewicz
John Venzon
Companhia(s) produtora(s) Aardman Animations
DreamWorks Animation
Distribuição DreamWorks SKG
Paramount Pictures
Lançamento Estados Unidos 3 de novembro de 2006
Portugal 30 de novembro de 2006
Reino Unido 1 de dezembro de 2006
Brasil 15 de dezembro de 2006[2]
Idioma inglês
Orçamento US$ 149 milhões[3]
Receita US$ 178 120 010[4]
Página no IMDb (em inglês)

Por Água Abaixo[5][6] (no original em inglês, Flushed Away) é um filme de animação britânico-americano de 2006, dirigido por David Bowers e Sam Fell, sendo produzido por Cecil Kramer, David Sproxton e Peter Lord e escrito por Dick Clement, Ian La Frenais, Chris Lloyd, Joe Keenan e William Davies.[1]

É o terceiro e último filme a ser co-produzido pela Aardman Animations e pela DreamWorks Animation depois de A Fuga das Galinhas (2000) e Wallace & Gromit: The Curse of the Were-Rabbit (2005) além de ser o primeiro filme de animação computadorizada da Aardman, que até então havia produzido somente filmes em stop-motion.[carece de fontes?] Na dublagem original, o filme conta com as vozes de Hugh Jackman, Kate Winslet, Andy Serkis, Bill Nighy, Ian McKellen, Shane Richie e Jean Reno.[7][8]

O filme foi lançado nos Estados Unidos em 3 de novembro de 2006 e no Reino Unido em 1 de dezembro de 2006. Sua estreia em Portugal se deu no dia 30 de novembro de 2006 e no Brasil em 15 de dezembro de 2006.[2] Apesar de receber críticas positivas, Flushed Away teve um desempenho abaixo do esperado nas bilheterias, levando a DreamWorks a encerrar sua parceria com a Aardman.

Índice

SinopseEditar

  Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Roddy St. James é um rato de estimação pertencente a uma família de classe alta que reside em um apartamento elegante de Kensington, Londres. Enquanto seus donos saem de férias, um rato de esgoto mal-educado e hostil chamado Sid adentra o apartamento pela pia da cozinha e decide ficar por ali ao ver na televisão que a Inglaterra irá disputar contra a Alemanha a final da Copa do Mundo. Roddy planeja um esquema para se livrar de Sid, tentando atraí-lo para a privada do banheiro e lhe dar descarga, mas Sid percebe o plano e joga Roddy para dentro do vaso e dá a descarga, levando-o por água abaixo.

Chegando nas profundezas do esgoto, Roddy descobre uma cidade parecida com Londres, Ratropolis, feita de pedaços de lixo e habitada por outros ratos; lá, ele conhece a rata Rita Malone, uma catadora de lixo bastante esperta e empreendedora, a qual trabalha pelos esgotos usando seu barco, o fiel Jammy Dodger. Rita inicialmente se irrita com Roddy depois que ele a dedura para o maior inimigo dela: o vilão The Todd "Sapão", um colecionador de coisas caras, que roubou o rubi da família de Rita e está planejando dominar Ratropolis, com a ajuda de seus capangas atrapalhados, os ratos Spike e Whitey "Alvino".

Ao capturar Rita e Roddy, Sapão decide os congelar com nitrogênio líquido dentro de uma máquina de gelo, porém a dupla consegue fugir e Rita rouba de Sapão um cabo-mestre elétrico exclusivo que é necessário para controlar as comportas de esgoto de Ratropolis, a qual ela passa usar como cinto pra sua calça. Roddy descobre que o famigerado rubi é falso e o quebra na frente de Rita para provar isso, enfurecendo-a. Roddy oferece a ela um rubi verdadeiro se ela o levar de volta a Kensington e ela concorda em ajudá-lo; antes de levar Roddy de volta para casa, Rita o leva para sua casa onde mora sua grande família. Durante a estadia de Roddy por lá, ele ouve uma conversa escondido entre ela e seu irmão que faz com que Roddy pense que Rita está planejando entregá-lo para o Sapão; Roddy então rouba o Jammy Dodger, mas Rita consegue alcança-lo navegando em um patinho de borracha e lhe explica o mau-entendido, refazendo as pazes com ele.

O par foge de uma posterior perseguição de Spike e Alvino, que se enfurece com os repetidos fracassos de seus outros cúmplices; Sapão manda chamar seu primo francês Le Frog "Rã" para ajudá-lo. Posteriormente é revelado que Sapão era o animal de estimação do Príncipe Charles, mas foi substituído por um rato de estimação e foi jogado num vaso sanitário que resultou em seu ódio pelos roedores. Le Rã e seus subordinados interceptam Roddy e Rita e chegam a pegar o cabo-mestre de volta, afundando o Jammy Dodger em uma correnteza pelo esgoto, mas a dupla usa uma sacola plástica para fugir e conseguem novamente pegar o cabo; eles escapam por um encanamento que termina na superfície e passam a avistar Londres de cima, indo parar na casa de Roddy em Kensington.

Roddy paga à Rita o rubi prometido e uma esmeralda para ajudar na construção de um novo barco para ela e depois mostra-lhe a casa. Ela no começo acredita que ele tem uma família na casa, mas avista sua gaiola e percebe que ele é, na verdade, um animal de estimação. Rita tenta persuadir Roddy a acompanhá-la de volta para o esgoto, mas ele se mostra orgulhoso demais para admitir que está sozinho; ela então parte sem ele, mas logo é capturada novamente pelo Sapão, que recupera o cabo-mestre. Com Sid ainda na casa e assistindo ao jogo da final da Copa, Roddy finalmente deduz o verdadeiro plano de Sapão: abrir os portões das comportas de esgoto durante o intervalo do jogo, quando todos os humanos da cidade provavelmente estarão usando seus banheiros, para inundar e destruir Ratrópolis; com este plano, Ratão irá repovoar o local com girinos, substituindo a população da cidade de ratos para sapos. Roddy permite que Sid o substitua na casa como animal de estimação e o manda levá-lo de volta ao esgoto através da privada de novo. Ao chegar lá, ele liberta Rita e, juntos, derrotam Sapão e seus capangas, congelando a enorme onda de esgoto utilizando todo o estoque de nitrogênio líquido do vilão.

Com Ratrópolis salva, Rita e Roddy constroem o Jammy Dodger 2 e partem nele rumo a Paris, dando a entender implicitamente de que eles agora são um casal. Em uma cena pós-créditos, a ex-proprietária de Roddy, Tabatha, volta para casa com um novo animal de estimação, um gato, causando espanto em Sid.

  Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

ElencoEditar

  • Hugh Jackman como Roderick "Roddy" St. James, um rato de estimação mimado e solitário que mora num apartamento de Kensington com uma rica família inglesa. Ele é jogado no vaso sanitário por Sid, indo parar no esgoto.
  • Kate Winslet como Rita Malone, uma rata catadora de lixo e a filha mais velha de uma enorme família de ratos. Ela é capitã do seu barco Jammy Dodger.
  • Ian McKellen como The Toad (ou Sapão na dublagem brasileira), um anfíbio arrogante que quer que toda a população de ratos seja morta para que ele possa procriar suas centenas de filhotes.
  • Jean Reno como Le Frog (ou Le Rã na dublagem brasileira), primo francês de Sapão. Ele domina as artes marciais e é o líder de uma equipe de sapos.
  • Andy Serkis como Spike, um dos capangas de Sapão, juntamente com Whitey. Ele é o mais arrogante e maléfico dos dois, embora seja o menor da dupla.
  • Bill Nighy como Whitey (ou Albino na dublagem brasileira), outro dos dois melhores ratos capangas do Sapão. Whitey é um rato albino e parceiro de Spike, sendo maior que ele, inclusive. Porém, ao contrário de Spike, Whitey é simpático e menos cruel, mas também mostra-se ignorante e ingênuo em alguns momentos.
  • Shane Richie como Sid, um rato obeso e folgado que emerge da pia da casa de Roddy e o joga na privada. Ele é um conhecido de Rita e sua família.
  • Kathy Burke e David Suchet como Sr. e Sra. Malone, os pais de Rita
  • Miriam Margolyes como a avó de Rita, que tem uma queda por Roddy por confundi-lo com o cantor Tom Jones.
  • Rachel Rawlinson como Tabitha, a dona humana de Roddy.

ProduçãoEditar

A ideia de um filme sobre ratos que se apaixonam em um esgoto foi proposta pelo animador Sam Fell enquanto a Aardman Animation estava produzindo A Fuga das Galinhas em 2000.[9] Na época, o estúdio britânico encorajou todos na empresa a encontrar ideias para a realização da produção, que seria realizada em parceria com a norte-americana DreamWorks Animation.[9] Sam Fell, juntamente com o executivo Mike Cooper e o produtor Peter Lord, em seguida, desenvolveu o conceito de uma história antes de apresentá-la para a DreamWorks.[9] Lord descreveu o roteiro como se fosse uma versão do filme The African Queen com os papéis de gênero invertidos.[9] Os desenhistas de histórias em quadrinhos, Dick Clement e Ian La Frenais, foram contratados para escrever o roteiro do filme,[9] que ficou sob o título provisório de "Ratropolis".[10]

Até aquele momento, a Aardman usava stop-motion para realizar suas animações, mas como Flushed Away contaria com muitas cenas envolvendo água seria muito mais trabalhoso realizar o filme com a tradicional técnica e usar água de verdade iria danificar os modelos de plasticina; também seria inviável financeiramente compor CGI em imagens que incluíssem água ainda utilizando a técnica em stop-motion. Os produtores decidiram, então, que Flushed Away iria ser produzido totalmente em animação computadorizada;[11] ainda sim, várias técnicas foram utilizadas para dar uma impressão de animação em stop-motion para o filme, como o uso de bocas de reposição para sincronia labial, em vez da interpolação geralmente vista em animações por computador.[12] Este seria o terceiro e último de três filmes produzidos pela parceira Aardman/DreamWorks; o insucesso comercial que Flushed Away teve fez com que a parceria fosse encerrada, acarretando no fato das duas produtoras não realizarem mais nenhum trabalho juntas desde então.

MarketingEditar

Trilha sonoraEditar

No dia 31 de outubro de 2006, a trilha sonora de Flushed Away foi lançada pela Astralwerks.[13]

N.º TítuloMúsica Duração
1. "Be Seeing You My Friend"    3:49
2. "Dancing with Myself"  Billy Idol 4:49
3. "Are You Gonna Be My Girl"  Jet 3:34
4. "She's a Lady"  Tom Jones 2:54
5. "Ice Cold Rita"  Hugh Jackman & The Slugs 0:44
6. "Bohemian Like You"  The Dandy Warhols 3:32
7. "Marcel / That's Not Rice You're Eating"  Harry Gregson-Williams & The Slugs 0:55
8. "What's New Pussycat?"  Tom Jones 2:17
9. "Yakety Sax"  Boots Randolph 2:01
10. "Mr. Lonely"  The Slugs 0:27
11. "Don't Worry, Be Happy"  Bobby McFerrin 4:22
12. "Proud Mary"  Tina Turner 5:25
13. "Wonderful Night"  Fatboy Slim 2:37
14. "Life in the Sewer"  Harry Gregson-Williams 4:40
15. "Beware...Beware"  The Slugs 0:35
Duração total:
36:16

VideogameEditar

 Ver artigo principal: Flushed Away (jogo eletrônico)

Coincidindo com o lançamento do filme, foi lançada uma adaptação em videogame para PlayStation 2, Nintendo GameCube, Game Boy Advance e Nintendo DS. Apesar de ter sido recebido com críticas negativas, o jogo recebeu o Annie Award na categoria de melhor videogame de animação.[14]

Lançamento em Home VideoEditar

Flushed Away foi lançado em DVD nos Estados Unidos em 20 de fevereiro de 2007 e os bônus incluídos foram bastidores, comentários dos produtores, jogos interativos e músicas inéditas das lesmas.[15] No Reino Unido foi lançado em 2 de abril de 2007.[16][17]

RecepçãoEditar

BilheteriaEditar

Flushed Away arrecadou US$ 64.665.672 nos Estados Unidos, ficando abaixo da média nacional de outros filmes em CGI da DreamWorks Animation, e mais US$ 111.814.663 no mercado internacional, ficando com um total mundial de US$ 178.120.010 (contra um orçamento de US$ 145 milhões[3]). Nos Estados Unidos o filme estreou em terceiro lugar em seu primeiro final de semana, com US$ 18.814.323, atrás de Borat! e The Santa Clause 3: The Escape Clause.[18] Apesar de ter cobrido os custos de produção, a receita do filme ficou abaixo do esperado e isso resultou no encerramento da parceria da Aardman com a DreamWorks em produções animadas.[19]

No Brasil, Por Água Abaixo conseguiu atrair 1.471.246 pessoas nos cinemas.[20]

CríticaEditar

Flushed Away tem uma classificação de 74% de aprovação no agregador Rotten Tomatoes com uma classificação média de 6.7/10 com base em 131 comentários. O consenso crítico do site diz: "Inteligente e atraente tanto para crianças quanto para adultos, Flushed Away marca uma entrada bem-sucedida nos recursos de animação digital da Aardman Animations."[21] O Metacritic atribui uma pontuação 75/100, indicando "críticas geralmente favoráveis".[22]

O crítico Owen Gleiberman, da revista Entertainment Weekly, deu ao filme uma nota B+, dizendo que "Flushed Away não tem a mesma atração de aventura de Wallace e Gromit, mas atinge seu próprio ponto de prazer demente."[23] James Berardinelli da ReelViews deu ao filme três de quatro estrelas, dizendo: "É melhor do que 90% das animações dos últimos anos. É refrescante não ter que qualificar o apelo do filme acrescentando palavras para as crianças".[24] Jan Stuart do Newsday deu ao filme duas de quatro estrelas, dizendo: "Apesar dos esforços de cinco escritores e a tentativa de fazer os personagens dessa animação em CGI parecerem bonecos de argila, que são a marca registrada da Aardman, com suas sobrancelhas maleáveis ​​e bochechas salientes como as de um sofredor de caxumba, nenhum desses personagens é particularmente cativante".[25] Ann Hornaday do The Washington Post deu ao filme uma crítica positiva, dizendo "Flushed Away, o primeiro desenho animado gerado por computador da Aardman, acaba com a argila, mas deixa o artesanato e a emoção intactos, resultando em um filme que ganha seu lugar entre os clássicos da Aardman."[26] Peter Hartlaub do San Francisco Chronicle deu ao filme três de quatro estrelas, dizendo: "a atenção curta dos diretores David Bowers e Sam Fell é perdoável principalmente porque o filme é cheio de personagens divertidos".[27]

Richard Corliss da revista Time fez uma crítica negativa ao filme, dizendo que a animação é "deficiente na comicidade, que é uma marca registrada das animações da Aardman (ou talvez de Nick Park), dando um desânimo exagerado ao filme"; ele também diz: "Não quero dizer que os ingleses estavam corrompidos, mas acho que eles permitiram que seus instintos mais fortes e peculiares fossem deixados de serem praticados nessa produção".[28] O crítico James Verniere do site do jornal diário Boston Herald disse: "Sem duvida, o pior filme do ano, filmes bons nunca foram o forte da Aardman, e se você achou que as lesmas cantadoras eram para serem engraçadas, pense de novo".[29] Ted Fry do The Seattle Times deu ao filme três estrelas e meia de quatro, dizendo: "Fãs de Wallace e Gromit podem ficar intrigados com uma desconexão visual em Flushed Away. Eles certamente ficarão encantados com o incansável caprichos irrisórios e velozes de uma história que nunca desacelera para pensar aonde tudo vai parar."[30] Kyle Smith do New York Post deu ao filme três de quatro estrelas, dizendo: "Como essa coisa foi feita em Hollywood é um mistério, mas eu ri na maioria das vezes, especialmente dos estereótipos médios sobre os franceses e também com as piadas futebolísticas sobre o time de futebol da Inglaterra".[31]

O crítico brasileiro Marcelo Forlani do site Omelete disse: "Infelizmente o público estadunidense, responsável por grande parte das bilheterias mundiais, não viu muita graça na história sobre o futebol, pois gostam mais de outros esportes"; disse também que os dois estúdios erraram ao encerrarem sua parceria.[32]

Referências

  1. a b c «Flushed Away». American Film Institute. Consultado em 7 de janeiro de 2017 
  2. a b MovieVicio. Datas de lançamento de Por Água Abaixo (2006). Página visitada em 14 de outubro de 2012.
  3. a b «Flushed Away». Box Office Mojo. Consultado em 28 de maio de 2018 
  4. Box Office Mojo. Flushed Away (2006). Página visitada em 14 de outubro de 2012
  5. Por Água Abaixo no SapoMag (Portugal)
  6. Por Água Abaixo no CinePlayers (Brasil)
  7. AdoroCinema. Por Água Abaixo : Elenco, atores, equipe técnica. Página visitada em 14 de outubro de 2012.
  8. abaixo, por (2006). por agua abaixo. reino unido: ibge 
  9. a b c d e Pennington, Adrian (1 de novembro de 2006). «Peter Lord's Aardman Adventures in CG». Animation World Network. Consultado em 13 de junho de 2015 
  10. Marr, Merissa (4 de novembro de 2006). «Why Great Minds Often Think Alike In Animated Films». The Wall Street Journal. Consultado em 1 de junho de 2015 
  11. «First look at Aardman's rat movie». BBC News Online. BBC. 16 de fevereiro de 2006 
  12. First look at Aardman's rat movie BBC (BBC). Página visitada em 14 de outubro de 2012.
  13. «Flushed Away (Soundtrack)». Amazon. Consultado em 11 de julho de 2012 
  14. «Legacy: 34th Annual Annie Award Nominees and Winners (2006)». The Annie Awards. Consultado em 11 de julho de 2012. Arquivado do original em 29 de janeiro de 2009 
  15. McCutcheon, David (5 de janeiro de 2007). «Flushed Away Drenches DVD». IGN. Consultado em 11 de julho de 2012 
  16. Gould, Chris (27 de março de 2007). «Flushed Away (UK – DVD R2)». DVDActive. Consultado em 11 de julho de 2012 
  17. «Flushed Away (with Slug Farm Kit)». Amazon.co.uk. Consultado em 11 de julho de 2012 
  18. «Weekend Box Office Results for November 3-5, 2006». Box Office Mojo. Consultado em 8 de junho de 2015 
  19. Fixmer, Andy (27 de fevereiro de 2007). «DreamWorks Reports Loss on `Flushed Away' Writedown (Update5)». Bloomberg. Consultado em 1 de outubro de 2013 
  20. AdoroCinema. Bilheterias Por Água Abaixo.
  21. «Flushed Away (2006)». Rotten Tomatoes. Consultado em 11 de julho de 2012 
  22. «Flushed Away». Metacritic. Consultado em 17 de março de 2013 
  23. Gleiberman, Owen (1 de novembro de 2006). «Flushed Away». EW.com. Consultado em 8 de junho de 2015 
  24. James Berardinelli (3 de novembro de 2006). «Flushed Away | Reelviews Movie Reviews». Reelviews.net. Consultado em 8 de junho de 2015 
  25. «A puppet's life goes down the toilet - Newsday.com». Web.archive.org. Consultado em 8 de junho de 2015. Arquivado do original em 26 de novembro de 2006 
  26. Hornaday, Ann (3 de novembro de 2006). «Aardman Saves the Clay In Brilliant 'Flushed Away'». Washingtonpost.com. Consultado em 8 de junho de 2015 
  27. Hartlaub, Peter (3 de novembro de 2006). «Rat heads straight for the sewer, finds love». SFGate. Consultado em 8 de junho de 2015 
  28. Corliss, Richard (3 de novembro de 2006). «From Clay to Computer - TIME». Content.time.com. Consultado em 8 de junho de 2015 
  29. BostonHerald. Santa tale ‘Arthur’ delivers gift of laughter Arquivado em 22 de dezembro de 2011, no Wayback Machine.. Página visitada em 14 de outubro de 2012.
  30. Fry, Ted. «"Flushed Away": A hilarious parallel London down the loo». The Seattle Times. Consultado em 8 de junho de 2015 
  31. «ANIMATED BRIT WIT WITH A FRENCH DISS By KYLE SMITH - Movies - New York Post Online Edition». Web.archive.org. 25 de janeiro de 2007. Consultado em 8 de junho de 2015. Arquivado do original em 25 de janeiro de 2007 
  32. Marcelo Forlani. Critica: Por Água Abaixo 2006 (Flushed Away) (Omelete.uol.com.br). Página visitada em 14 de outubro de 2012.

Ligações externasEditar