Abrir menu principal
Formação Hell Creek, perto de Fort. Resevatório Peck,Montana

A Formação Hell Creek é um dos mais famosos e intensamente estudados sítios de fósseis de dinossauros.Trata-se de uma vasta área de terreno erodido, estendendo-se pelos territórios norte-americanos de Montana oriental, Dakota do Sul, noroeste e sudoeste da Dakota do Norte. A idade do estrato varia de cerca de 65 a 70 milhões anos de idade, e ele foi formado em um delta com um clima quente e úmido. Curiosamente, a famosa camada de irídio enriquecido denominada limite KT que separa o Mesozoico do Cenozoico ocorre como um plano de estratificação descontínuo,mas distinto perto do topo da Formação.[1] [2]

A formação Hell Creek é tida como uma das fontes mais ricas em fósseis de dinossauros do final do Cretáceo no mundo,[3] nela foram descobertos o esqueleto fóssil mais completo de um dinossauro hadrossaurídeo, mas é composta por uma enorme e diversificada variedade de restos fósseis, abrangendo plantas, invertebrados, peixes, répteis, anfíbios e mamíferos. Fósseis de dinossauros emplumados e de pterossauros também foram encontrados,bem como os dentes de tubarões que aparentemente eram resistentes à água doce.[1]

GeologiaEditar

A Formação Hell Creek, em Montana se sobrepõe a Formação Fox Hills e está na base da Formação Fort Union, o limite com o última ocorre perto do limite K-T, que define o fim do período Cretáceo e foi datado entre 66 ± 0,07 milhões de anos atrás.[4] A fauna característica de Hell Creek (vertebrados terrestres do período Lanciano) são encontrados tanto acima quanto a alguns metros abaixo do limite. [5]

A fronteira K-T geralmente situa-se perto do contato entre Hell Creek superior e Ludlow inferior,membro da Formação Fort Union, embora em algumas áreas (por exemplo, em Dakota do Norte), o limite esteja bem no centro do membro Ludlow, três metros acima da fronteira com Hell Creek em algumas áreas.[5] Por outro lado, em algumas pequenas regiões de Montana, a formação Hell Creek possui a fronteira K-T, estendendo-se ligeiramente para o Paleogénico.[6]

Referências

  1. a b «Formação Hell Creek» (html). Virtual Fossil Museum (em inglês). Consultado em 7 de junho de 2014 
  2. R.Johnson,Kirk; J.Nichols,Douglas et al. «Hell Creek Formation: A 2001 synthesis» (pdf) (em inglês). Geological Society of America. Consultado em 7 de junho de 2014 
  3. «Formação hell Creek» (html). Dinossauros. Discovery Brasil. Consultado em 7 de junho de 2014. Procurando por Dinossauros 
  4. Husson, D., Galbrun, B., Laskar, J., Hinnov, LA, Thibault, N., Gardin, S ., e Locklair, RE (2011). «calibração Astronómica do Maastrichtian (Cretáceo Superior)». Earth and Planetary Science Letters. 305 3 ed. pp. 328–340. doi:10,1016 j epsl.2011.03.008 Verifique |doi= (ajuda) 
  5. a b Pearson, DA, Schaefer, T. , Johnson, KR, Nichols, DJ, e Hunter, JP (2002). biostratigrafia dos vertebrados da formação Hell Creek, no sudoeste da Dakota do Norte e noroeste da Dakota do Sul . Hartman et ai, 145-167.
  6. Johnson, KR, Nichols, DJ, e Hartman, JH (2002). Formação Hell Creek: A síntese de 2001. A Formação Hell Creek e o limite Cretáceo-Terciário nas grandes planícies do norte,Geological Society of América special Paper, 361, 503-510