Abrir menu principal

Frederico Cristiano, Eleitor da Saxônia

Frederico Cristiano
Príncipe da Saxônia
Príncipe-Eleitor da Saxónia
Reinado 5 de outubro de 1763
a 17 de dezembro de 1763
Antecessor(a) Augusto III da Polônia
Sucessor(a) Frederico Augusto I da Saxônia
 
Esposa Maria Antónia da Baviera
Descendência Frederico Augusto I da Saxónia
Carlos da Saxónia
José da Saxónia
António da Saxónia
Maria Amália da Saxónia
Maximiliano, príncipe-herdeiro da Saxónia
Maria Teresa da Saxónia
Casa Wettin
Nome completo
em alemão: Friedrich Christian Leopold Johann Georg Franz Xaver von Sachsen
Nascimento 5 de setembro de 1722
  Castelo de Dresden, Dresden, Saxónia
Morte 17 de dezembro de 1763 (41 anos)
  Castelo de Dresden, Dresden, Saxónia
Enterro Catedral da Santíssima Trindade
Pai Augusto III da Polônia
Mãe Maria Josefa da Áustria
Brasão

Frederico Cristiano (Frederico Cristiano Leopoldo João Jorge Francisco Xavier), (5 de setembro de 1722 - 17 de dezembro de 1763) foi o eleitor da Saxónia durante menos de três meses em 1763. Pertencia à dinastia Wettin. Era o terceiro filho, mas o primeiro a chegar à idade adulta do príncipe-eleitor Frederico Augusto II da Saxónia e rei da Polónia, e da sua esposa, a arquiduquesa Maria Josefa da Áustria.

Índice

Primeiros anosEditar

 
Frederico Cristiano Por Pierre Subleyras, 1739

Desde que nasceu, Frederico foi uma criança fraca que tinha um pé paralisado e dependeu de uma cadeira-de-rodas desde muito cedo. Num retrato conhecido, onde surge juntamente com os seus parentes das casas reais de Wettin e Wittelsbach, o príncipe parece estar numa cadeira-de-rodas. Hoje em dia este retrato encontra-se exposto no Palácio Nymphenburg. A sua mãe tentou várias vezes convencê-lo a entrar para um mosteiro e renunciar aos seus direitos de sucessão em favor dos seus irmãos mais novos.[1]

As mortes prematuras dos seus dois irmãos mais velhos, Frederico Augusto (1721), que nasceu morto, e José Augusto (1728) fizeram com que se tornasse herdeiro do trono. Quando o seu pai morreu, a 5 de outubro de 1763, Frederico Cristiano sucedeu-o como príncipe-eleitor.

Mesmo antes, tinha já escrito no seu diário: Os príncipes existem para os seus súbditos, não o contrário. A riqueza, crédito público e exército bem constituído dos súbditos são a verdadeira alegria de um príncipe, por isso, declarava-se aberto às ideias do iluminismo.[2] Era também conhecido pelo seu talento musical.

CasamentoEditar

 
Maria Antónia da Baviera Por Pietro Rotari, 1755

Frederico Cristiano casou-se a 13 de junho de 1747 (por procuração) em Munique e em pessoa, em Dresden, a 20 de junho do mesmo ano com a princesa Maria Antónia da Baviera. Tal como ele, a princesa também tinha grande talento para a música e o casal teve nove filhos.

Reinado como príncipe-eleitorEditar

Um dos seus primeiros actos como príncipe-eleitor foi dispensar o primeiro-ministro, o conde Heinrich von Brühl que era muito pouco popular e tinha mergulhado a Saxónia numa grave crise a nível económico, devido às suas fracas políticas, mas principalmente a nível político, tendo levado ao envolvimento do território na Guerra dos Sete Anos.[1]

Começou a recuperar as finanças do país através dos seus Rétablissements: reformas das políticas dos estados eleitorais. Através desta reestruturação económica, revitalizou as suas terras devastadas e saqueadas. Também apresentou novas medidas para reduzir as despesas da corte e para simplificar a administração de acordo com os princípios da economia. A maioria dos membros do seu governo, tais como Thomas von Fritsch de Leipzig, Friedrich Ludwig Wurmb, e Christian Gotthelf Gutschmied não eram nobres e vinham de famílias da classe média.

Depois de um reinado que durou apenas 74 dias, Frederico Cristiano morreu de varíola. Foi enterrado no Hofkirche em Dresden.

Uma vez que o seu filho mais velho ainda era menor de idade, o seu irmão Francisco Xavier e a princesa-eleitora viúva, Maria Antónia, assumiram a regência do eleitorado até este chegar à maioridade.

DescendênciaEditar

  1. Nado morto (9 de junho de 1748)
  2. Frederico Augusto I da Saxónia (23 de dezembro de 1750 – 5 de maio de 1827), casado com a princesa Amália de Zweibrücken-Birkenfeld; com descendência.
  3. Carlos da Saxónia (24 de setembro de 1752 – 8 de setembro de 1781), morreu solteiro e sem descendência.
  4. José da Saxónia (26 de janeiro de 1754 – 25 de março de 1763), morreu aos nove anos de idade.
  5. António da Saxónia (27 de dezembro de 1755 – 6 de junho de 1836), casado com a princesa Maria Carolina de Saboia; sem descendência. Casado depois com a arquiduquesa Maria Teresa da Áustria; nenhum dos filhos chegou à idade adulta.
  6. Maria Amália da Saxónia (26 de setembro de 1757 – 20 de abril de 1831) casada com o conde Carlos II Augusto de Zweibrücken; com descendência.
  7. Maximimiliano da Saxónia (13 de abril de 1759 – 3 de janeiro de 1838), casado com a princesa Carolina de Parma; com descendência. Casado depois com a princesa Maria Luísa de Bourbon-Parma; sem descendência.
  8. Teresa da Saxónia (27 de fevereiro de 1761 – 26 de novembro de 1820), morreu solteira e sem descendência.
  9. Nado morto (1762).

GenealogiaEditar

Os antepassados de Frederico Cristiano, Príncipe-Eleitor da Saxónia em três gerações[3]
Frederico Cristiano, Príncipe-Eleitor da Saxónia Pai:
Augusto III da Polónia
Avô paterno:
Augusto II da Polónia
Bisavô paterno:
João Jorge III, Eleitor da Saxônia
Bisavó paterna:
Madalena Sibila de Brandemburgo-Bayreuth
Avó paterna:
Cristiana Everadina de Brandemburgo-Bayreuth
Bisavô paterno:
Cristiano Ernesto de Brandemburgo-Bayreuth
Bisavó paterna:
Sofia Luísa de Württemberg-Winnental
Mãe:
Maria Josefa da Áustria
Avô materno:
José I do Sacro Império Romano-Germânico
Bisavô materno:
Leopoldo I do Sacro Império Romano-Germânico
Bisavó materna:
Leonor Madalena de Neuburgo
Avó materna:
Guilhermina Amália de Brunsvique-Luneburgo
Bisavô materno:
João Frederico de Brunsvique-Luneburgo
Bisavó materna:
Benedita Henriqueta do Palatinado-Simmern

Referências

  1. a b Flathe, Heinrich Theodor (1878), "Friedrich Christian, Kurfürst von Sachsen", Allgemeine Deutsche Biographie (ADB) (em alemão) (Leipzig: Duncker & Humblot) 7: 789–90.
  2. Schlechte, Horst (1992), Das geheime politische Tagebuch des Kurprinzen Friedrich Christian: 1751 bis 1757 (em alemão), Weimar: Böhlau-Verlag, ISBN 3-7400-0105-4.
  3. The Peerage, consultado a 13 de Março de 2014
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Frederico Cristiano, Eleitor da Saxônia