Cristiano Ernesto de Brandemburgo-Bayreuth

Cristiano Ernesto de Brandemburgo-Bayreuth (Bayreuth, 27 de julho de 1644 – Erlangen, 10 de maio de 1712) era um membro da Casa de Hohenzollern e marquês de Brandemburgo-Bayreuth.

Cristiano Ernesto de Brandemburgo-Bayreuth
Marquês de Brandemburgo-Bayreuth
Reinado 6 de fevereiro de 1651
a 10 de maio de 1712
Antecessor(a) Erdmann Augusto de Brandemburgo-Bayreuth
Sucessor(a) Jorge Guilherme de Brandemburgo-Bayreuth
 
Esposo Erdemunda Sofia da Saxónia
Sofia Luísa de Württemberg-Winnental
Isabel Sofia de Brandemburgo
Descendência Cristiana Everadina de Brandemburgo-Bayreuth
Leonor Madalena de Brandemburgo-Bayreuth
Cláudia Leonor de Brandemburgo-Bayreut
Carlota Emília de Brandemburgo-Bayreuth
Jorge Guilherme de Brandemburgo-Bayreuth
Carlos Luís de Brandemburgo-Bayreuth
Casa Hohenzollern
Nascimento 27 de julho de 1644
  Bayreuth, Alemanha
Morte 10 de maio de 1712 (67 anos)
  Erlangen, Alemanha
Enterro Igreja Evangélica de São Nicolau, Pretzsch (Elbe), Alemanha
Pai Erdmann Augusto de Brandemburgo-Bayreuth
Mãe Sofia de Brandemburgo-Ansbach
Religião Luteranismo

Era filho único de Erdmann Augusto, marquês hereditário de Brandeburgo-Bayreuth, e da sua esposa e prima direita, a princesa Sofia de Brandemburgo-Ansbach.

Quando o seu pai morreu a 6 de Fevereiro de 1651, Cristiano Ernesto tornou-se o novo herdeiro do condado de Bayreuth. Aos dez anos de idade, sucedeu ao seu avô Cristiano como marquês quando este morreu a 30 de Maio de 1655. O seu tio, o príncipe Jorge Alberto, foi nomeado regente e exerceu essa função até 1664, quando Cristiano Ernesto foi declarado maior de idade e assumiu o governo do seu principado.

VidaEditar

 
Cristiano Ernesto na sua juventude.

Cristiano Ernesto tomou decisões importantes para a centralização das autoridades regionais em Bayreuth, enviando os Huguenotes em Erlangen, e criando uma academia para cavaleiros (Ritterakademie), que, mais tarde, se viria a tornar na Universidade Regional de Erlangen.

Como marquês, serviu o sacro-imperador Leopoldo I, a quem ajudou com mantimentos militares durante as guerras contra a França a favor da República das Sete Províncias Unidas e de Lorena assim como na libertação de Viena dos turcos. A 12 de Fevereiro de 1664, foi nomeado coronel do Circulo Franconiano. A partir de 1668, o plano de armamento do seu exército, cujo objectivo era ajudar o sacro-imperador, colocou o condado numa situação financeira complicada e colocou-o em perigo de invasões militares. Bayreuth sofreu a primeira de várias crises financeiras graves em 1672.

As ambições militares de Cristiano Ernesto tornaram-no um aliado político importante, apesar de governar um território pequeno. Depois de ajudar o sacro-imperador durante a Guerra Franco-Holandesa, foi nomeado tenente e marechal-de-campo (Generalfeldmarschallleutnant) a 27 de Março de 1676. Durante a libertação de Viena dos turcos em 1683, Cristiano Ernesto participou no exército de apoio.

Em 1691 foi nomeado marechal-de-campo imperial (Kaiserlichen Generalfeldmarschall) e passou a comandar o exército imperial que se encontrava posicionado no Reno em 1692. No entanto, chegou à conclusão que não estava preparado para essa tarefa e entregou o seu posto a Luís Guilherme, marquês de Baden-Baden. Durante a Guerra de Sucessão Espanhola, conseguiu algumas vitórias, mas cometeu um erro grave a 22 de Maio de 1707 que permitiu às tropas francesas entrarem na Suábia e na Baviera. A partir desse momento, a sua carreira militar terminou.

Cristiano Ernesto também defendia e apoiava as artes e a educação. Para substituir a Escola Latina de Bayreuth (Bayreuther Lateinschule) apoiou a criação de uma escola secundária em 1664 que ainda existe nos dias de hoje e continua a ter o seu nome, a Escola Secundária Cristiano Ernesto (Christian-Ernst-Gymnasium). Em 1672, construiu uma igreja-castelo na praça que ficava perto dos seus estábulos. Em 1695, o arquitecto Leonhard Dientzenhofer começou a construir uma torre de castelo octagonal. Em 1686, permitiu que os huguenotes, expulsos pelo rei Luís XIV de França, se instalassem em Neustadt; pouco depois também permitiu a entrada de refugiados do Palatinado, uma região devastada pela Guerra dos Nove Anos, dando-lhes residência em Erlangen.

Na sua vida privada, o marquês adorava cavalos e cães e possuía cerca de 85 deles.

Casamentos e descendênciaEditar

A 29 de Outubro de 1662, Cristiano casou-se em Dresden com a princesa Erdemunda Sofia da Saxónia, filha única da sua tia paterna, a princesa Madalena Sofia, e do seu esposo, João Jorge II, príncipe-eleitor da Saxónia. Depois de um casamento de sete anos do qual não nasceram filhos, a sua esposa morreu a 22 de Junho de 1670.

Oito meses após a morte da sua esposa, Cristiano Ernesto casou-se pela segunda vez, a 8 de Fevereiro de 1671, em Estugarda, com a sua prima em segundo grau, a princesa Sofia Luísa de Württemberg-Winnental filha mais velha do marquês Everardo III de Württemberg. Esta união durou trinta-e-um anos e dela nasceram seis filhos, dos quais três não chegaram à idade adulta:

  1. Cristiana Everadina de Brandemburgo-Bayreuth de Brandemburgo-Bayreuth (29 de Dezembro de 1671 – 5 de Setembro de 1727); casada com o rei Auguto II da Polónia; com descendência.
  2. Leonor Madalena de Brandemburgo-Bayreuth (24 de Janeiro de 1673 – 13 de Dezembro de 1711); casada com Hermann Frederico, marquês de Hohenzollern-Hechingen; com descendência.
  3. Cláudia Leonor de Brandemburgo-Bayreuth (4 de Julho de 1675 – 11 de Fevereiro de 1676), morreu aos sete meses de idade.
  4. Carlota Emília de Brandemburgo-Bayreuth (4 de Junho de 1677 – 15 de Fevereiro de 1678), morreu aos seis meses de idade.
  5. Jorge Guilherme de Brandemburgo-Bayreuth (26 de Novembro de 1678 – 8 de Dezembro de 1726), sucedeu o pai como marquês de Bayreuth; casado com a princesa Sofia de Saxe-Weissenfels; com descendência.
  6. Carlos Luís de Brandemburgo-Bayreuth (21 de Novembro de 1679 – 7 de Abril de 1680), morreu aos cinco meses de idade.

A 30 de Março de 1703, cinco meses após a morte da sua segunda esposa, Cristiano Ernesto casou-se em Potsdam com a princesa Isabel Sofia de Brandemburgo. Não houve descentes deste casamento.

GenealogiaEditar

Os antepassados de Cristiano Ernesto de Brandemburgo-Bayreuth em três gerações
Cristiano Ernesto de Brandemburgo-Bayreuth Pai:
Erdmann Augusto de Brandemburgo-Bayreuth
Avô paterno:
Cristiano de Brandemburgo-Bayreuth
Bisavô paterno:
João Jorge de Brandemburgo
Bisavó paterna:
Isabel de Anhalt-Zerbst
Avó paterna:
Maria da Prússia, Marquesa de Brandemburgo-Bayreuth
Bisavô paterno:
Alberto Frederico, Duque da Prússia
Bisavó paterna:
Maria Leonor de Cleves
Mãe:
Sofia de Brandemburgo-Ansbach
Avô materno:
Joaquim Ernesto de Brandemburgo-Ansbach
Bisavô materno:
João Jorge de Brandemburgo
Bisavó materna:
Isabel de Anhalt-Zerbst
Avó materna:
Sofia de Solms-Laubach
Bisavô materno:
João Jorge I de Solms-Laubach
Bisavó materna:
Margarida de Schönburg-Glauchau

Referências

Ligações externasEditar

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Cristiano Ernesto de Brandemburgo-Bayreuth