Abrir menu principal
Frederico George
Nome completo Frederico Henrique George
Nascimento 15 de novembro de 1915
Lisboa
Morte 26 de janeiro de 1994 (78 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal Português
Alma mater Escola de Belas-Artes de Lisboa
Ocupação Arquitecto e pintor

Frederico Henrique George OCGCM (Lisboa, 15 de Novembro de 1915 - Lisboa, 26 de Janeiro de 1994) foi um arquitecto e pintor português.[1][2][3]

BiografiaEditar

Frederico George diplomou-se em Arquitetura na Escola de Belas-Artes de Lisboa (EBAL),[4] na qual frequentou esse curso a partir de 1940, tendo, inicialmente, frequentado, estudado e tirado o Curso de Pintura da mesma instituição, que concluiu em 1937, tendo acumulado os dois últimos anos.[2][3]

Concorreu a várias Exposições realizadas no País, entre elas obtendo, em 1937, na Sociedade Nacional de Belas-Artes, a 2.ª Medalha de Desenho e a 3.ª Medalha de Pintura.[2][3]

Fez parte da Primeira Missão Estética de Férias, em Tomar, no ano de 1938.[2][3]

Nos anos 40 realizou diversos quadros figurativos de raiz cubista.[4] Participou e colaborou na decoração da Exposição do Mundo Português, em 1940,[3] na qualidade de pintor.[2][4] A 4 de Março de 1941 foi feito Oficial da Ordem Militar de Nosso Senhor Jesus Cristo[3][5] e obteve o Prémio Columbano do Secretariado Nacional de Informação na Exposição do Secretariado de Propaganda Nacional em 1944.[2][3]

Há alguns trabalhos seus no Museu de Arte Contemporânea, no Museu de Lisboa, e alguns em colecções particulares, em Londres.[2][3]

Colaborou em várias revistas nacionais e estrangeiras[3] e deu colaboração literária à revista Luso-Brasileira "Atlântico".[2]

Foi professor do Ensino Técnico[2][3] e do curso de Arquitetura da Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa (ESBAL)[1] (1958).[6]

Participou na 1.ª Exposição de Design Português em 1971, organizada pelo Instituto Nacional de Investigação Industrial, e Interforma – Equipamento de Interiores (INI).[7]

A 4 de Fevereiro de 1989 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito.[5]

O Espólio de Frederico George, que se encontra arquivado na Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais (DGEMN) no (Forte de Sacavém), é constituído por 1.748 pastas, 10.584 desenhos e 24.602 fotografias.[8]

Tem uma Rua com o seu nome no Lumiar, em Lisboa.

Casou com Maria Margarida de Sousa Canavarro de Meneses Fernandes Costa (Ilha de São Tomé, 23 de Fevereiro de 1917 - Lisboa, 25 de Dezembro de 2003), viúva de D. Fernando Mascarenhas, que em Monarquia seria Representante dos Títulos de Marquês da Fronteira e de Conde de Coculim, 12.º Conde da Torre, sem geração.

ObrasEditar

 
Museu de Marinha e Planetário Calouste Gulbenkian

PrémiosEditar

Referências

  1. a b George, Frederico Henrique. 10. [S.l.]: DURCLUB, S.A. 2004. p. 6204. ISBN 84-96330-10-9  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda);
  2. a b c d e f g h i Vários. Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira. [S.l.]: Editorial Enciclopédia, L.da. pp. Volume 12. 327 
  3. a b c d e f g h i j Quem é Alguém. [S.l.]: Portugália Editora, L.da. Lisboa, 1947. 352  Verifique data em: |ano= (ajuda)
  4. a b c George, Frederico Henrique. 9. [S.l.]: Temas e Debates Lda e Larouusse/VUEF. 2007. p. 3301. ISBN 978-972-759-929-5  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda);
  5. a b «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Frederico Henrique George". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 7 de abril de 2015 
  6. a b c d e George, Frederico. 10. [S.l.]: Editorial Verbo, S.A. 2004. p. 4056. ISBN 972-22-2300-3  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda);
  7. «1.ª Exposição de Design Português». 1870 Livros. Consultado em 15 de Novembro de 2011 
  8. «DIRECTÓRIO DE ARQUIVOS PESSOAIS E ESPÓLIOS» (PDF). www.monumentos.pt. Consultado em 15 de Novembro de 2011 
  9. a b c «Arquivo & Biblioteca / Cronologia». Fundação Mário Soares. Consultado em 14 de Novembro de 2011 
  10. «O Teatro Gil Vicente fazia parte do Pavilhão Portugal». www.ctac.gov.br. Consultado em 15 de Novembro de 2011 
  11. «Almeida Araújo : pintor, escultor, arquitecto». Consultado em 15 de Novembro de 2011 
  12. «A Ponte Salazar». Bibliotecas Municipais de Lisboa. Consultado em 15 de Novembro de 2011 
  13. «A Universidade » Honoris Causa » 2000-2001». Universidade Técnica de Lisboa. Consultado em 15 de Novembro de 2011 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar