Głubczyce

Głubczyce (em silesiano: Gubczýcé,[3] em alemão: Leobschütz, em tcheco/checo: Hlubčice) é um município da Polônia, na voivodia de Opole, condado de Głubczyce e sede da comuna urbano-rural de Głubczyce. Está situada no rio Psina, no planalto Głubczycki (que faz parte da planície da Silésia). Głubczyce está localizada na Alta Silésia. Obteve um foral de município antes de 1253.[4] Estende-se por uma área de 12,52 km², com 12 552 habitantes, segundo os censos de 2019, com uma densidade de 1016 hab/km².[1][2] Está localizada na região de floresta de Prudnik (distrito de Prudnik).[5]

Głubczyce
Głubczyce
POL Głubczyce COA.svg
2012-04 Głubczyce 22.jpg
Prefeitura e coluna mariana barroca na praça principal de Głubczyce
Voivodia Opole
Condado Głubczyce
Comuna Głubczyce
Área 12,52 km²
População (2019) 12 552[1][2] habitantes
Densidade 1016 hab/km²
Altitude 266 metros
Código telefônico 77
Matrículas de automóveis OGL
Website Portal Głubczyce
Localização
Localização de Głubczyce na Polónia 50° 12' N 17° 50' 03" E
Cidade da Polónia Flag of Poland.svg

NomeEditar

 
O nome Leobszyce entre outros nomes de cidades da Silésia aparece em um documento oficial prussiano de 1750 emitido em polonês em Berlim[6]

O significado do nome do local não é claro. Existem várias teorias sobre sua origem. Os etimologistas os derivam das palavras "lubić", "głęboki", "głupi" ou "gołąb".

A primeira menção histórica da cidade data de 1107.[7] Naquela época, era um pequeno assentamento da Morávia chamado Glubcici, que consistia principalmente de um forte de colina. Em 1131 foi citado como Glupcicih, em 1183 - Glubcice, e nos anos: 1224, 1281, 1354 e 1434 Lubschicz.[8]

Em 1750, o nome polonês "Leobszyce" foi mencionado por Frederico II da Prússia entre outras cidades da Silésia em uma ordem oficial emitida para os habitantes da Silésia.[9] O nome "Głupczyce" no livro "Um breve esboço da geografia da Silésia para a ciência inicial" publicado em Głogówek em 1847 foi mencionado pelo escritor silesiano Józef Lompa.[10] Em 1945 já era usado oficialmente.[11]

HistóriaEditar

Idade MédiaEditar

 
Torre na praça Wiosenny - uma parte das fortificações da cidade

O assentamento estava localizado na margem direita do rio Psina. A data provável de fundação da cidade é o ano de 1224, quando houve um assentamento na cidade de Lubschicz (informações sobre a câmara alfandegária em "Lubschicz", anteriormente revelou-se falsificada) durante o reinado de Otacar I da Boêmia. Em 1270, a cidade recebeu direitos de cidade concedidos por Otacar II.

Século XVI - início do século XXEditar

 
Panorama de Głubczyce, século XVIII

Em 1523, o movimento protestante chegou à cidade. Em 1558, uma igreja e uma escola luterana foram construídas. Em resposta a esses eventos, os padres franciscanos e judeus foram expulsos da cidade.

Durante a Guerra dos Trinta Anos, a cidade foi completamente destruída, a maior parte dos danos foi feita pelos invasores suecos em 1645. No século XVIII, Głubczyce ficou sujeita a inspeção fiscal em Prudnik.[12]

Como resultado da Primeira Guerra da Silésia (1740-1742) entre a Áustria e a Prússia, a cidade ficou sob o domínio da Prússia.

Nos anos de 1753 a 1770, um complexo de mosteiro foi erguido em Głubczyce de acordo com o projeto do arquiteto Jan Innocent Töpper de Prudnik.[13] Em 1781, a população da cidade era de 2 637 habitantes. À medida que a cidade crescia, sua população aumentava gradualmente. Em 1825, a cidade era habitada por 4 565 pessoas e, em 1870, por 9 546. No final do século XIX, um importante centro de reuniões para os poloneses locais era a casa de Stanisław Karwowski, professor da escola secundária local e historiador polonês.[14]

De acordo com as disposições do Tratado de Versalhes, que encerrou a Primeira Guerra Mundial, um plebiscito foi realizado na Alta Silésia, a fim de saber se a população queria pertencer ao Estado polonês ou alemão. Na cidade, 99,5% dos moradores votaram a favor dos alemães, incluindo mais de 35% dos chamados “Plebiscitos emigrantes” (trazidos para as áreas de plebiscitos a fim de levantar o resultado final).[15]

1933–1945Editar

 
Imagem do pré-guerra da praça principal com a prefeitura em Głubczyce

No início de 1945 - durante a marcha dos prisioneiros dos campos de concentração pela cidade, a escolta alemã assassinou 21 prisioneiros que não conseguiam continuar caminhando. Os corpos foram enterrados no cemitério judeu.[16]

Em 18 de março de 1945, a cidade foi cercada pelo exército soviético. Foi defendida pela 18.ª SS Panzergrenadierdivision (granadeiros panzer) e pela 371.ª Divisão Wehrmacht. Do lado soviético, lutaram unidades de 314 divisões de infantaria de 59 exércitos, 28 corpos de infantaria de 60 exércitos e o 5.º corpo mecanizado do 4.º exército blindado da 1.ª Frente Ucraniana (após 1945, foram erguidos Monumentos de Gratidão ao Exército Vermelho no parque da cidade e na rua Skłodowska-Curie).[17] Como resultado do cerco e saque pelos soldados soviéticos que durou até 24 de março de 1945, cerca de 40% da cidade foi destruída na primeira semana após o seu término.

Depois de 1945Editar

Depois de 1945, a cidade foi temporariamente chamada de Głąbczyce, que foi substituído pelo nome oficial de Głubczyce em 1946.[18] Em 6 de abril de 1945, o Ministério da Segurança Pública estabeleceu os Campos Centrais de Trabalho. O campo de trabalho n.º 101 funcionava na cidade.[19] A cidade passou a ser a sede do condado e da comuna. Perdeu o estatuto de sede de condado em 1975 e foi-lhe concedido novamente em 1998.

Em 1982, ativistas da oposição democrática em Prudnik, Jan Naskręt e Eugeniusz Wyspiański fizeram cerca de 2 500 panfletos com a inscrição "O Solidariedade vencerá", que foram pendurados por Stanisław Żądło, entre outros em Głubczyce, Niemodlin e nas paredes do ZPB "Frotex" em Prudnik.[20] Em 2016, Głubczyce foi admitida na Associação Internacional de Cidades de Boa Vida "Cittaslow".[21]

Monumentos históricosEditar

 
Igreja da Natividade da Bem-Aventurada Virgem Maria
 
Edifício do tribunal distrital
 
Coluna mariana barroca na praça principal, esculpida por A. Jörg em 1732

De acordo com o registo do Instituto do Patrimônio Nacional, a lista de monumentos históricos inclui:[22]

  • Traçado urbano da Cidade Velha, com uma forma quadrada única na Europa (semelhante se encontra em Nysa) e uma rede de ruas, sendo as mais antigas as ruas Wodna e Kościelna. Da atual rua Kozielska, na seção da praça principal, até os poços de Santa Floriana era chamado de Mercado do Cavalo,[23]
  • Igreja de Natividade da Bem-Aventurada Virgem Maria, estilo gótico do século XIII, expandida no século XIV e, em seguida, nos anos de 1579, 1903-1907, de acordo com o projeto de M. Hasak,
  • Igreja de Santa Ana (anteriormente da Santíssima Trindade) de 1776,
  • Capela de São Fabiano e São Sebastião, de 1501,
  • Complexo do mosteiro franciscano. Todo o complexo foi construído nos anos de 1753 a 1770 de acordo com um projeto de J.I. Töpper. Adjacente ao mosteiro está um edifício erguido em 1752, que outrora abrigou um ginásio, rua Zakonna 3,
    • Igreja de de São Idzi e Bernardo, estilo barroco de 1756, decoração barroca e rococó,
    • Mosteiro característico de quatro alas com um pátio no meio,
  • Cemitério judeu, rua Wrocławska, dos anos 1890-1939,
  • Sepultura coletiva de guardas tchecos e funcionários da alfândega no cemitério municipal, de 1938,
  • Muralhas e torres defensivas da segunda metade do século XIII, incluindo a torre perto dos correios (rua Pocztowa/Praça Wiosenny),
  • Prefeitura, destruída em 1945 e gradualmente demolida em épocas posteriores, foi reconstruída em 2006-2008.
  • Tribunal distrital, rua Kochanowskiego 1, de 1850,
  • Prisão Kochanowskiego 3, a partir da metade de século XIX,
  • Casas antigas, na praça Kościelny 1, século XVI ao XVIII,
  • Casas, rua Jana Pawła II ( antiga Sobieskiego 10), 7 (antiga Sobieskiego 11), 9 (antiga Sobieskiego 12), do século XVI ao XVII,
  • Casas, rua Ratuszowa 10, 12 (d. 30), do século XVIII, XIX e XX

outros monumentos:

  • Edifício na rua Niepodległości 14, construído na segunda metade do século XIX em estilo eclético. Atualmente é a sede das autarquias e da Câmara Municipal
  • Estação ferroviária (atualmente fechada) construída em meados do século XIX[24]
  • Coluna mariana barroca na praça principal, esculpida por A. Jörg em 1732

DemografiaEditar

Głubczyce está subordinada ao Serviço de Estatística em Opole, filial em Prudnik.[25].

Pirâmide etária dos habitantes de Głubczyce em 2017
 [1]
Panorama de Głubczyce (oeste-nordeste)

EconomiaEditar

Atualmente, as maiores empresas que operam na cidade são:

  • Cooperativa Distrital de Laticínios — uma empresa cooperativa que associa produtores de leite de Głubczyce e das cidades vizinhas das voivodias de Opole e Silésia. A cooperativa processa 20 milhões de litros de leite anualmente e emprega 100 pessoas. Os produtos OSM Głubczyce incluem vários tipos de leite, nata, iogurte, leitelho, kefir e queijo cottage, que também estão disponíveis em versões maiores para a gastronomia.[26]
  • Galmet — empresa que fabrica produtos da indústria de aquecimento. A empresa emprega mais de 700 pessoas e a produção ocorre em pavilhões com área superior a 22 mil m². A empresa fabrica produtos como: aquecedores elétricos, caldeiras com serpentina de aquecimento central, permutadores de calor bivalentes, reservatórios de acumulação de calor combinados, reservatórios tampão, caldeiras de aquecimento central ecológicas para carvão ecológico com tanque de combustível, caldeiras de aquecimento central sem reservatório, coletores solares ou bombas de calor.[27]

TransportesEditar

Głubczyce é a única cidade da voivodia de Opole, que atualmente não tem conexões ferroviárias de passageiros (suspensa em 3 de abril de 2000 [24]). Durante anos, os governos locais ao longo desta conexão têm se esforçado ativamente pela restauração da linha ferroviária Racibórz-Racławice Śląskie através de Głubczyce: os condados de Prudnik, Głubczyce e Racibórz (no outono de 2020, o pedido de revitalização desta linha foi qualificado para o segunda etapa do programa governamental Railway Plus).[28] O transporte público é realizado principalmente pela estação de ônibus local. Há um ônibus particular para Breslávia.[29] Sem transporte público, você pode usar táxis.

Em 1855, uma conexão ferroviária entre Głubczyce e Racibórz foi aberta como parte da ferrovia privada Wilhelm (Wilhelmsbahn), depois em 1873 uma conexão com Karniów (mais para Głuchołazy) e em 1876 com Racławice Śląskie (mais para Prudnik e Kędzierzyn-Koźle).[24]

Comunidades religiosasEditar

 
Interior da igreja paroquial

As seguintes igrejas e associações religiosas realizam atividades na cidade:

  • Igreja católica romana:
    • Paróquia da Natividade da Bem-aventurada Virgem Maria
  • Igreja Pentecostal:
    • Igreja em Głubczyce
  • Testemunhas de Jeová:
    • Igreja em Głubczyce

EducaçãoEditar

 
Igreja e mosteiro franciscano em Głubczyce

Jardim de infância:

  • Jardim de infância n.º 1, Maria Konopnicka
  • Jardim de infância n.º 2, Ursinho Pooh
  • Jardim de infância n.º 3

Escola Primária:

  • Escola primária n.º 1, Tadeusz Kościuszko
  • Escola primária n.º 2, Janusz Korczak
  • Escola primária n.º 3, Maria Skłodowskiej-Curie

Escolas secundárias:

  • Complexo de Escolas de Educação Geral Adam Mickiewicz
  • Escola Mecânica
  • Complexo Escolar do Centro de Educação Agrícola Władysław Szafer

Instituições educacionais:

  • Escola Especial e Centro Educacional

Outras:

  • Escola Estadual de Música do 1º Grau Ignacy Jan Paderewski
  • Centro Distrital de Formação de Professores e Aconselhamento Psicológico e Pedagógico
  • Centro franciscano de Ajuda à Criança

EsportesEditar

O Clube Polonia Głubczyce foi fundado em 1945.[30] O clube foi promovido ao Campeonato Polonês de Futebol 3ª Divisão nas temporadas de 1982/83 e 1985/86, e também participou da Copa da Polônia nas temporadas de 1961/62, 1963/64 e 2018/19.

CulturaEditar

 
Edifício da prefeitura na praça principal, atualmente Museu da Região de Głubczyce

Instituições culturaisEditar

  • Centro Cultural Municipal
  • Biblioteca Pública Municipal e Comunal, sede da Câmara Municipal (2.º andar)
  • Museu da região de Głubczyce, sede da prefeitura (1.º andar)

Eventos cíclicosEditar

  • Festival Internacional de Jovens Pianistas - festival de promoção de jovens pianistas organizado pela Escola Estadual de Música de 1.º grau I. J. Paderewski em Głubczyce desde 1994. No âmbito do evento, no qual participam jovens artistas da Polônia e do estrangeiro, é realizado o concurso principal, bem como numerosos workshops, concertos e seminários temáticos.[31]
  • Dias Culturais de Głubczyce - uma série de eventos culturais, como concertos, exposições, apresentações de teatro, recitais, shows, leituras, etc., que acontecem todos os anos em Głubczyce. O evento acontece no outono, em outubro-novembro, nas instalações de Głubczyce e nas aldeias vizinhas.[32]
  • Licealia - um evento juvenil organizado pelo Complexo de Escolas Secundárias em Głubczyce. Acontece antes do final do ano letivo, e os alunos percorrem a cidade em uma colorida procissão, e então inúmeras atrações como shows, competições esportivas e apresentações são organizadas para eles e os moradores da cidade.[33]
  • Dias de Głubczyce - o evento acontece desde 2008 e começou com a celebração da inauguração da prefeitura reformada. Acontece na temporada de verão e dura de 2 a 3 dias. Durante este tempo, inúmeros shows, competições esportivas, performances e muitos eventos diferentes de acompanhamento acontecem.[34]

Meios de comunicaçãoEditar

 
Prefeitura de Głubczyce

Imprensa local, portais de notícias e televisão

  • Głos Głubczyc - boletim de informações do governo local da comuna de Głubczyce (mensal)
  • Rzecz Powiatowa - boletim de informações do governo local do condado de Głubczyce
  • TV Głubczyce - transmissão de televisão privada pela rede a cabo e na Internet[35]
  • twojeglubczyce.pl - portal de informações
  • Super Senior - um mês dedicado ao grupo-alvo de 50+
  • Jornal Prudnik24 com um encarte "Głubczyce 24"[36]

Referências

  1. a b c «Głubczyce (Opole) mapas, imóveis, Escritório Central de Estatística, acomodações, escolas, região, atrações, códigos postais, salário, desemprego, ganhos, tabelas, educação, jardins de infância, demografia». Polska w liczbach (em polonês). Consultado em 11 de janeiro de 2020 
  2. a b GUS. «Área e população no perfil territorial em 2016». stat.gov.pl (em inglês). Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  3. Nome da Silésia: Reinhold Olesch, O vocabulário do dialeto polonês de Sankt Annaberg, Berlim, 1958. A versão ampliada do alfabeto proposta por Grzegorz Wieczorek e a Sociedade para a Piastowania da Língua da Silésia foi usada „Danga” – pronúncia nos dialetos da vizinhança de Głubczyce – Gubczicy.
  4. Robert Krzysztofik, Localizações da cidade no território da Polônia. Documentação geo-histórica, Katowice 2007, p. 30-31.
  5. «Bank Danych o Lasach». www.bdl.lasy.gov.pl. Consultado em 16 de setembro de 2021 
  6. «Wznowione powszechne taxae-stolae sporządzenie, Dla samowładnego Xięstwa Sląska, Podług ktorego tak Auszpurskiey Konfessyi iak Katoliccy Fararze, Kaznodzieie i Kuratusowie Zachowywać się powinni. Sub Dato z Berlina, d. 8. Augusti 1750 - Śląska Biblioteka Cyfrowa». www.sbc.org.pl (em polonês). Consultado em 17 de setembro de 2021 
  7. Opolszczyzna, novembro de 1961, p. 10.
  8. Stanisław Drzażdżyński, Nazwy topograficzne. Słowiańskie nazwy miejscowości na Szląsku Pruskim. Powiat Głubczycki, „Wisła”, vol. XI, 1897, p. 124.
  9. «Wznowione powszechne taxae-stolae sporządzenie, Dla samowładnego Xięstwa Sląska, Podług ktorego tak Auszpurskiey Konfessyi iak Katoliccy Fararze, Kaznodzieie i Kuratusowie Zachowywać się powinni. Sub Dato z Berlina, d. 8. Augusti 1750 - Śląska Biblioteka Cyfrowa». www.sbc.org.pl (em polonês). Consultado em 17 de setembro de 2021 
  10. Józef Lompa, „Krótki rys jeografii Śląska dla nauki początkowej”, Głogówek 1847, p. 12.
  11. «Rozporządzenie Ministra Obrony Narodowej w porozumieniu z Ministrem Administracji Publicznej z dnia 21 sierpnia 1945 r. o utworzeniu nowych, o zmianach istniejących dotychczas rejonowych komend uzupełnień i o ustaleniu ich zasięgu terytorialnego.». isap.sejm.gov.pl. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  12. «Historia Powiatu Prudnickiego - Starostwo Powiatowe w Prudniku». www.powiatprudnicki.pl. Consultado em 17 de setembro de 2021. Cópia arquivada em 16 de novembro de 2020 
  13. Draguła, Sławomir (20 de março de 2013). Franciszkanie z Głubczyc modlili się i uczyli (em polonês). [S.l.: s.n.] 
  14. S. Karwowski, Historya Wielkiego Księstwa Poznańskiego. vol. 1, 1815–1852, Poznań 1918, cap. XII
  15. Borowicz, Dorota (2004). Mapy narodowościowe Górnego Śląska od połowy XIX wieku do II wojny światowej. Breslávia: Wydawn. Uniwersytetu Wrocławskiego. p. 39. OCLC 65287880 
  16. Rejestr miejsc i faktów zbrodni popełnionych przez okupanta hitlerowskiego na ziemiach polskich w latach 1939–1945. Województwo opolskie, Varsóvia 1980, p. 21.
  17. Przewodnik po upamiętnionych miejscach walk i męczeństwa : lata wojny 1939-1945 Wyd. 4., rozsz. i uzup ed. Warszawa: Wydawn. "Sport i Turystyka". 1988. p. 490. OCLC 20723006 
  18. «Internetowy System Aktów Prawnych». web.archive.org. 23 de setembro de 2016. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  19. «Okupacja w imię sojuszu. Armia sowiecka w Polsce 1944-1956 (fragmenty) | forumemjot». web.archive.org. 13 de outubro de 2018. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  20. «Tygodnik Prudnicki - Artykuły Tygodnika». www.tygodnikprudnicki.pl. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  21. «Głubczyce | Cittaslow International». www.cittaslow.org (em inglês). Consultado em 17 de setembro de 2021 
  22. «Rejestr zabytków nieruchomych woj. opolskiego» (PDF). Narodowy Instytut Dziedzictwa. p. 22. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  23. «Na jakim planie wybudowano głubczycki rynek?». plus.nto.pl (em polonês). 12 de julho de 2017. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  24. a b c Piotr Kopczyk: Historia stacji kolejowej w Głubczycach, "Świat Kolei" nr 10/2013, p.16-23
  25. Andrzej Dereń (8 de dezembro de 2004). «Polska bardziej polska». Prudnik: Spółka Wydawnicza ANEKS. Tygodnik Prudnicki. 49 (732). ISSN 1231-904X 
  26. «OSM Głubczyce :: O firmie». web.archive.org. 15 de julho de 2013. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  27. «o firmie - Galmet». web.archive.org. 6 de abril de 2013. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  28. netkoncept.com. «Koleją z Racławic Śląskich do Raciborza?». Samorząd Województwa Opolskiego (em polonês). Consultado em 17 de setembro de 2021 
  29. «Przewozy do Holandii z Nysy | Busy do Holandii Nysa». Bus Tom | Przewóz osób do Niemiec i Holandii (em polonês). Consultado em 17 de setembro de 2021 
  30. «Skarb - Polonia Głubczyce». www.90minut.pl. Consultado em 18 de setembro de 2021 
  31. «Międzynarodowy Festiwal Młodych Pianistów – Państwowa Szkoła Muzyczna I stopnia» (em polonês). Consultado em 18 de setembro de 2021 
  32. «Głubczyckie Dni Kultury». glubczyce.pl (em polonês). Consultado em 18 de setembro de 2021 
  33. «LICEALIA 2014 - Zespół Szkół Ogólnokształcących w Głubczycach». lo.powiatglubczycki.pl. Consultado em 18 de setembro de 2021 
  34. «Dni Głubczyc 2012 - plakat». glubczyce.pl (em polonês). Consultado em 18 de setembro de 2021 
  35. «TV POGRANICZE». TVPOGRANICZE.PL (em polonês). Consultado em 18 de setembro de 2021 
  36. «Gazeta Prudnik24 i portal informacyjny - Prudnik, Głubczyce, Głuchołazy». Prudnik24 (em polonês). Consultado em 18 de setembro de 2021 
  • Kalendarz Głubczycki 1994-2007
  • Elżbieta Dziegieć, Edward Dziegieć, Stanisław Pączka, Franciszek Zając, Głubczyce jako ośrodek lokalny. Opole: Instytut Śląski, 1964.
  • Katarzyna Maler, Dzieje Głubczyc do 1742 roku. Opole: Wydawnictwo Instytut Śląski, 2003.
  • Katarzyna Maler, Dzieje Głubczyc w latach 1742–1945. Opole: Państwowy Instytut Wydawniczy: Instytut Śląski, 2006.
  • Katarzyna Maler, Barbara Piechaczek, Głubczyce – portret miasta. Racibórz: „WiG Art”, 1998.
  • Mieczysław Razik, Głubczyce przedwczoraj i jutro?. Branice: Oficyna Wydawnicza Zakładu Aktywności Zawodowej, 2008.

Ligações externasEditar

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Głubczyce