Grupo Paranaense de Comunicação

Conglomerado de mídia brasileiro

Grupo Paranaense de Comunicação (também chamado pela sigla GRPCOM) é um conglomerado de mídia brasileiro sediado em Curitiba, capital do estado do Paraná. Teve início no segmento de jornal impresso, por meio da compra da Gazeta do Povo.[1]

Grupo Paranaense de Comunicação - GRPCOM
empresa privada
Atividade comunicação
Fundação 1962 (60 anos)
Fundador(es) Francisco Cunha Pereira Filho
Edmundo Lemanski
Sede Bandeira de Curitiba.svg Curitiba, PR
Locais Paraná
Presidente Guilherme Cunha Pereira
Pessoas-chave Guilherme Cunha Pereira
Ana Amélia Filizola
Produtos televisão, rádio, jornal, internet
Subsidiárias 98 FM
Capital FM
Gazeta do Povo
Instituto GRPCOM
Mundo Livre FM Curitiba
Mundo Livre FM Maringá
RPC
Tribuna do Paraná
Acionistas Família Cunha Pereira
Família Lemanski
Significado da sigla GRupo
Paranaense de
Comunicação
Website oficial grpcom.com.br

O conglomerado controla uma rede estadual composta por oito emissoras de televisão aberta, quatro emissoras de rádio, dois jornais e dois portais eletrônicos, totalizando 13 veículos de comunicação. Há ainda o Instituto GRPCOM, organização sem fins lucrativos responsável pela elaboração de projetos voltados à educação.[2]

HistóriaEditar

A atuação do grupo teve início a partir da compra do jornal diário Gazeta do Povo pelos sócios Francisco Cunha Pereira Filho e Edmundo Lemanski, em 1962.[1]

Sete anos mais tarde, em 1969, o empresário Nagib Chede vende, para Francisco e Edmundo, a TV Paranaense, então afiliada às redes REI e TV Excelsior, e a partir de 1976, à Rede Globo, marcando o início da atuação do conglomerado no meio televisivo.[3] Em outubro de 1979, a TV Coroados de Londrina foi vendida por Paulo Pimentel para o grupo.[4] Em 1978, o grupo adquire a TV Cultura de Maringá, dos empresários Joaquim Dutra e Samuel Silveira.[5]

Em 1988, foi inaugurada a 98 FM, primeira emissora de rádio do grupo, operando em 98,9 MHz.[6]

Em 1 de julho de 1989, a TV Cataratas, emissora do grupo em Foz do Iguaçu, é inaugurada.[7] Em 1993, a TV Esplanada, então afiliada à Rede Bandeirantes, passa a fazer parte do conglomerado, e se afilia à Rede Globo.[8]

Em 1996, adquire a TV Independência, afiliada à Band na cidade de Guarapuava, que é renomeada para TV Guairacá, afiliando-se à Rede Globo. Inicialmente, esta emissora repetia a programação da TV Esplanada, sem produzir programas locais.[9]

Em 1997, a TV Imagem do Noroeste, sediada em Paranavaí, outra então afiliada da Band, é vendida ao grupo.[10]

Em 1999, o Jornal de Londrina passa a fazer parte do conglomerado.[11] Em março de 2000, a TV Carimã, então emissora própria da CNT, é comprada pela Rede Paranaense e é renomeada para TV Oeste em 1 de abril. No mesmo dia, a emissora passa a retransmitir a programação da Globo.[12]

Em novembro de 2000, o grupo passa a se identificar oficialmente como Rede Paranaense de Comunicação.[9] No mesmo mês, a TV Guairacá passa a produzir programação local.[13]

Em 1 de julho de 2006, a Rede Paranaense inaugura a Globo FM, na frequência 93,9 MHz. Em 10 de fevereiro de 2008, a emissora muda de nome e formato, e a passa a se chamar Mundo Livre FM.[14]

Em 2010, o grupo passa a se denominar Grupo Paranaense de Comunicação. No mesmo ano, cria o jornal digital Gazeta Maringá.[9]

Em 19 de abril de 2011, estreou o canal de TV a cabo ÓTV, no canal 23 da NET Digital.[15] No mesmo ano, em 7 de dezembro, o GRPCOM adquire a rádio Cultura FM de Maringá.[16] Também adquiriu, no mesmo mês o jornal impresso Tribuna do Paraná e o portal de notícias Paraná Online.[17]

Em abril de 2013, é criada a Zaag, agência especializada em marketing promocional.[18]

No dia 1 de janeiro de 2014, a Cultura FM muda de nome e formato e se torna a primeira emissora da Mundo Livre FM no interior do Paraná. Em 14 de dezembro, o canal ÓTV é encerrado, em meio a cortes de gastos em diversas subsidiárias do grupo.[19]

Referências

  1. a b Fadel, Evandro (20 de março de 2009). «Morre empresário da comunicação no PR». E+. O Estado de S. Paulo. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  2. Calsavara, Fábio (1 de novembro de 2021). «Instituto GRPCOM completa 20 anos de trabalho em prol da Educação e do Terceiro Setor». Gazeta do Povo. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  3. Presas, Guadalupe (abril de 2003). «A Desregionalização da Televisão: Uma Análise do Fenômeno no Paraná» (PDF). Universidade Federal do Paraná. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  4. Júnior, Antônio Mariano (25 de fevereiro de 2010). «TV Coroados inaugura transmissão digital em Londrina». Gazeta do Povo. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  5. Skura, Ivânia (2015). «SOCIEDADE E IMPRENSA: REPRESENTAÇÕES DE BELEZA DE MULHER NO JORNAL FOLHA DO NORTE DO PARANÁ» (PDF). Universidade Estadual do Paraná. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  6. Klisiewicz, Eduardo Luiz (8 de outubro de 2019). «Campeã entre os ouvintes! Rádio 98FM é líder de audiência por nove meses seguidos em Curitiba». Tribuna do Paraná. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  7. da Costa, Osmani (julho de 2019). «Concessão de Canais de Televisão e Política no Paraná durante a Redemocratização Brasileira (1985-1989)» (PDF). Intercom. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  8. da Costa, Osmani (2012). «A TELEVISÃO E O PALÁCIO: concessões e desenvolvimento das emissoras e redes televisivas no Paraná (1954-1985)» (PDF). Universidade Estadual Paulista. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  9. a b c «Nossa história». GRPCOM. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  10. da Costa, Osmani (2015). Televisão e política: Uma história dos canais e redes de TV no Paraná (1954-1985). Londrina: Eduel. p. 231. ISBN 978-85-7216-718-5 
  11. «Grupo de Curitiba compra o Jornal de Londrina». Folha de Londrina. 6 de outubro de 1999. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  12. Mazzetto, Edson (29 de março de 2000). «Rede Paranaense terá emissora em Cascavel». Folha de Londrina. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  13. «Reconstruindo uma trajetória: a história da televisão em Guarapuava (Fase 3: TV Guairacá)» (PDF). Revista Brasileira de História da Mídia. 1 (2): 61-71. Dezembro de 2012. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  14. Grimm, Thaís; de Carvalho, Guilherme (maio de 2016). «Rock Marginal: O local na rádio curitibana Mundo Livre FM» (PDF). Intercom. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  15. «Nova emissora do Grupo Paranaense de Comunicação "Ó TV" entra no ar em Curitiba». Acontecendo Aqui. 19 de abril de 2011. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  16. Ayres, Marcus (7 de dezembro de 2011). «Cultura FM será lançada como novo veículo do GRPCOM». Gazeta do Povo. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  17. «Grupo paranaense compra o jornal "Tribuna do Paraná"». Folha de S.Paulo. 10 de dezembro de 2011. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  18. «Zaag chega ao mercado promo paranaense». Promoview. 15 de abril de 2013. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  19. Garcia, Renato (9 de dezembro de 2014). «ÓTV encerrará suas atividades em Curitiba». SulBRTV. Consultado em 8 de janeiro de 2022 

Ligações externasEditar