Abrir menu principal

Guaraci (São Paulo)

município brasileiro do estado de São Paulo
Guaraci
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Guaraci
Bandeira
Brasão de armas de Guaraci
Brasão de armas
Hino
Gentílico guaraciense
Localização
Localização de Guaraci em São Paulo
Localização de Guaraci em São Paulo
Guaraci está localizado em: Brasil
Guaraci
Localização de Guaraci no Brasil
Mapa de Guaraci
Coordenadas 20° 29' 56" S 48° 56' 42" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Municípios limítrofes Icém, Altair, Olímpia, Barretos, Fronteira (MG) e Frutal (MG)
Distância até a capital 465 km
História
Fundação 30 de novembro de 1944 (75 anos)
Aniversário 30 de novembro
Administração
Prefeito(a) Elson Machado da Silveira (PSD, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 641,5 km²
População total (Censo IBGE/2010[2]) 9 976 hab.
Densidade 15,55 hab./km²
Clima Aw (Cfa)
Altitude 481 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000[3]) 0,758 alto
PIB (IBGE/2009[4]) R$ 105 016 mil
PIB per capita (IBGE/2009[4]) R$ 11 102,28

Guaraci é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se às margens do Rio Grande, a uma latitude 20º29'55" sul e a uma longitude 48º56'41" oeste, estando a uma altitude de 481 metros. Tem uma população de 9.976 habitantes (IBGE/2010) e área de 641,5 km².[1]

HistóriaEditar

O núcleo inicial que deu origem à cidade de Guaraci surgiu por volta do início do século XX a partir da doação de um patrimônio religioso em glebas de terra próximas ao Rio Grande. Sendo rota do gado vinda de Minas Gerais em direção ao polo frigorífico de Barretos, a cidade teve sua primeira atividade econômica voltada à pecuária, atividade essa que foi sempre importante para a economia do município.

Acompanhando as tendências regionais, a partir das primeiras décadas do século XX a produção de café cresceu consideravelmente no município, impulsionada pela vinda de imigrantes europeus, em especial italianos, dando fôlego à economia local.

Guaraci emancipou-se em 1944, tendo sido até então distrito do município de Olímpia. A cidade tinha então sua economia exclusivamente voltada ao setor agropecuário, não havendo atividade comercial significativa e um setor industrial inexistente. A falta de empregos no município impulsionou a migração para cidades maiores.

A partir dos anos 70 com o chamado boom da laranja, o setor da citricultura deu um novo impulso à economia regional. A lavoura de laranja foi, a partir da década de 1990 e em especial nos anos 2000 gradativamente suplantada pela lavoura canavieira, devido a vários fatores que levaram à decadência da citricultura. A partir da instalação da usina de açúcar e álcool no município, essa atividade passou a integrar a maior fonte de renda local, levando a cana-de-açúcar ao posto de principal atividade econômica em Guaraci e motivo do crescimento da migração de trabalhadores de vários locais para o município. Instalada no município desde 2003 e localizada a 15 km do centro urbano, a Usina Vertente é hoje a origem do maior número de empregos no município, sendo ainda a maior fonte de arrecadação da cidade.

GeografiaEditar

ClimaEditar

Dados do Cepagri - UNICAMP

Temperatura média anual

Média anual máxima: 30,9°C Maior - 32,3°C (Setembro e Outubro) Menor - 28°C (Julho)

Média anual mínima: 17,1°C Maior - 20,2°C (Fevereiro) Menor - 12,8°C (Julho)

Média anual: 24°C, sendo o mês mais quente, o mês de fevereiro, com média de 26°C e o mês mais frio, o mês de julho, com média de 20,6°C.

O volume de chuvas é irregularmente distribuído por todo o ano, sendo uma característica regional, os verões quentes e úmidos e os invernos amenos e secos, com grande amplitude térmica diária. A média de chuvas mensais ultrapassa os 100 mm. de outubro a março, sendo o mês de janeiro o mais chuvoso (275,5 mm.). De abril a setembro, ocorrem os meses mais secos, sendo que as médias mensais ficam entre 15,5 mm. em julho (mês mais seco) e 73,1 mm. em abril. O total de chuvas anuais no município de Guaraci é de 1421,6 mm.

DemografiaEditar

Dados do Censo 2010[1]

População total: 9.976

  • Urbana: 8.927
  • Rural: 1.049
  • Homens: 5.084[5]
  • Mulheres: 4.892

Densidade demográfica (hab./km²): 15,55

Dados do Censo 2000

(Fonte: IPEADATA)

Composição da população Fonte: PNAD - IBGE (2005)

A população da Região Administrativa de Barretos, que engloba Guaraci e outros 18 municípios é etnicamente formada por:

Brancos: 74,1% Negros e Pardos: 25,3% Asiáticos e Indígenas: 0,6%

Dados não oficiais, informam que na região norte do estado de São Paulo, onde se localiza Guaraci, em média 65% da população têm origem italiana, sendo ainda os portugueses, afro-brasileiros, espanhóis e, em menor número, japoneses e árabes os outros grupos que contribuíram para compor a população local. O componente indígena é praticamente inexistente na região.[carece de fontes?]

HidrografiaEditar

  • Rio Grande
  • Córrego Tanque
  • Córrego Limoeiro
  • Córrego Bocaina
  • Córrego Crisciúma
  • Córrego Talhado
  • Córrego Santana
  • Córrego Vertente.

RodoviasEditar

ComunicaçõesEditar

A cidade foi atendida pela Companhia Telefônica Brasileira (CTB) até 1973[6], quando passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP), que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[7], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[8] para suas operações de telefonia fixa.

AdministraçãoEditar

Referências

  1. a b c «Censo Populacional 2010 - IBGE» (PDF). IBGE.gov.br. Consultado em 25 de agosto de 2011 
  2. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 27 dez. 2011. Arquivado do original (PDF) em 3 de março de 2016 
  5. «SIDRA IBGE - Tabela 608 - População residente, por situação do domicílio e sexo». IBGE. Consultado em 25 de agosto de 2011 
  6. «Relação do patrimônio da CTB incorporado pela Telesp» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  7. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  8. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externasEditar