Guilherme I, conde da Borgonha

Guilherme I da Borgonha (1020 - Besançon, 1087), cognomionado de o Grande ou o Imprudente (em francês: Tête Hardi, isto é Cabeça Dura) foi conde da Borgonha e Mâcon desde 1057 até 1087.[1] A sua descendência esteve entre as mais conhecidas da Europa do seu tempo chegando a ter um filho papa.

Guilherme I, conde da Borgonha
Pintura de la catedral de Sant Joan de l'Arquebisbat de Besançon
Nascimento 1020
Desconhecido
Morte 12 de novembro de 1087
Besançon
Sepultamento Besançon Cathedral
Cidadania Borgonha
Progenitores
Cônjuge Stephanie of Burgundy
Filho(s) Reinaldo II, Conde da Borgonha, Estêvão I de Borgonha, Raimundo de Borgonha, Papa Calisto II, Sibylla of Burgundy, Duchess of Burgundy, Gisela da Borgonha, Clementina da Borgonha, Ermentrud of Burgundy, Ottaviano di Savona, Hugues III de Bourgogne, Bertha of Leon
Irmão(s) Guy of Brionne, Alberada of Buonalbergo
Ocupação aristocrata
Título conde, count of Burgundy

Faleceu na cidade de Besançon e encontra-se sepultado na Catedral de São João (Saint Jean.

No ano de 1057, sucedeu ao seu pai no Condado da Borgonha, governando territórios com maior extensão do que o atual Franco Condado.

Relações familiaresEditar

Foi filho de Reinaldo I da Borgonha (990 - 3 de setembro de 1057) e de Alice da Normandia (990 -?), filha de Ricardo II da Normandia (970 - 28 de agosto de 1027) e de Judite da Bretanha (980 -?).

Foi casado com Estefânia da Borgonha (também identificada como Estefânia de Longwy ou também como Étiennette de Longwy, e tida como filha[2] de Adalberto da Lorena e de Clemência de Foix; embora muitas historiadores, atualmente não considerem estes dados como totalmente corretos, Tiveram:

  1. Reinaldo II da Borgonha (? - 1097) casado com Regina d' Oltigen, foi sucessor de seu pai à frente dos destinos do condado, faleceu na Primeira Cruzada.
  2. Estêvão I da Borgonha (também conhecido pela alcunha em francês "Tête Hardi", o "Cabeça Dura"), foi regente do condado na ausência de seu irmão Reinaldo II. Foi casado com Beatriz da Lorena, filha de Gerardo da Lorena. Estêvão veio a morrer na Guerra Santa durante a Cruzada de 1101.
  3. Raimundo de Borgonha, casado em 1090 com Urraca de Leão e Castela, rainha regente do reino de Castela.
  4. Guido de Viena, eleito Papa em 1119 na Abadia de Cluny, com o nome de Calisto II.
  5. Sibila (depois Mahaut, ou Matilde) (1065 - 1101), casada em 1080 com Eudo I, Duque da Borgonha.
  6. Gisela, casada 1ª vez em 1090 com Humberto II de Saboia e 2ª vez com Rainério I de Monferrato.
  7. Guilherme, fal. a 1090, sem mais informações.
  8. Berta, casou-se a 25 de Novembro de 1093 com o rei Afonso VI de Leão e Castela, de quem foi a terceira esposa. Ela faleceu sem gerar filhos.
  9. Eudo, filho mais velho, fal. a 1087.
  10. Hugo III, arcebispo de Besanção.
  11. Clemência da Borgonha, casada 1ª vez com Roberto II da Flandres, conde de Flandres, foi regente da Flandres durante a ausência do marido. Casou-se 2ª vez c. Godofredo I de Brabante.
  12. Estefânia (ou Étiennette, em francês), casou-se com Lambert François de Valence.
  13. Ermentruda, casada em 1065 com Teodorico I de Montbéliard.
  14. e talvez mais uma filha.

Referências

  1. Les Comtes Palatins de Bourgogne, Thierry Le Hête, Thierry Le Hête, 1ª Edição, La Bonneville-sur-Iton, 1995, pág. 44.
  2. Ela foi identificada como a filha de Adalberto da Lorena , em um artigo de Szabolcs de Vajay em Annales de Bourgogne , XXXII :247-267 (out-dez 1960), mas o autor, posteriormente fez uma retratação incondicional de esta afirmação em " Parlons bis d'Etiennette "em Prosopographica et genealógica, Vol. 3 Onomastique dans l'Occident et Parente medieval, KSB Keats-Rohan e C. Settipani, eds. (2000), pp 2-6.