Abrir menu principal

Wikipédia β

NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde dezembro de 2014).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Hanna-Barbera foi uma empresa de desenho animado criada em 1957 pela dupla de cartunistas norte-americana William Hanna e Joseph Barbera, ex-funcionários da MGM Cartoons. Vendido para Taft Broadcasting no final de 1966, ele passou duas décadas como sua subsidiária.

Hanna-Barbera Productions, Inc.
Hanna-Barbera logo 1990-2001.png
HannaBarbera.JPG
Antigo edifício do estúdio. Fotografia de 2007.
Tipo Privada (até 1967)
Subsidiária (1967-2001)
nome de uma unidade da Warner Bros. Animation (2001-presente)
Indústria Animação
Fundação 7 de julho de 1957
Fundador(es) William Hanna
Joseph Barbera
George Sidney
Encerramento 22 de março de 2001 (absorvida pela Warner Bros e transformada no Cartoon Network Studios)
Sede Los Angeles, Califórnia,
 Estados Unidos
Proprietário(s) Independente (1957-1967)
Taft Broadcasting (1967-1987)
Great American Broadcasting (1987-1991)
Turner Broadcasting System(1991-1996)
Time Warner(1996-2001)
AOL Time Warner (2001-2003)
Time Warner (2003-atualmente)
Produtos Programas de televisão

No final de 1991, o estúdio foi comprado de Taft (então chamada de Great American Broadcasting) por Turner Broadcasting System (empresa de Ted Turner), que usou muito do seu catálogo para programar o seu novo canal de TV, Cartoon Network. Depois de Turner comprar a empresa, Hanna e Barbera continuou a servir como consultores criativos e mentores.

Turner se fundiu com a Time Warner em 1996 e o estúdio tornou-se uma subsidiária da Warner Bros. Animation, na qual Hanna-Barbera foi absorvida após Hanna falecer em 2001. Cartoon Network Studios continuou os projetos para o canal. Barbera passou a trabalhar para a Warner Bros. Animation até sua morte em 2006.

A partir de 2016, o estúdio existe apenas no nome, usado licenciamentos e produções associadas com a biblioteca da Hanna-Barbera, especificamente os personagens clássicos.

Índice

HistóriaEditar

Eles se conheceram em 1937 e começaram a trabalhar juntos no estúdio de animação da Metro-Goldwyn-Mayer em 1939. Na década de 1940, enviaram seus desenhos para Walt Disney, que prometeu viajar até Nova Iorque na semana seguinte para contratá-los. Nunca apareceu.

O primeiro projeto de animação criado e desenvolvido pelos dois foi o desenho Puss Gets the Boot (1940), que iniciou a premiada e popularíssima série Tom e Jerry. Em 1957 foi fundado o estúdio Hanna-Barbera.[1]

Com a popularização da televisão, Hanna e Barbera passaram a desenvolver novos trabalhos e personagens para a essa mídia a partir de 1957. Seu primeiro sucesso foi a série Jambo & Ruivão, seguido dos famosos Dom Pixote, Plic, Ploc & Chuvisco, Zé Colméia, Pepe Legal, Bibo Pai e Bob Filho, Olho Vivo e Faro Fino e Loopy Le Beau, este último feito para exibição no cinema. Depois viriam as séries de horário nobre: Os Flintstones, Manda Chuva, Os Jetsons, Jonny Quest, dentre outros. No final da década de 1960 surgiria outro mega-sucesso: Scooby-Doo.

Em comparação com o trabalho cinematográfico anterior, a animação televisiva era bem precária, repetindo-se cenários de fundo e reaproveitando-se gestos e expressões dos personagens a exaustão. Mas o sucesso era garantido com as divertidíssimas piadas que recheavam os episódios e alegravam tanto adultos como crianças.

Os desenhos Hanna-Barbera dominavam a programação infantil da televisão, até que em 1993 o monopólio Hanna-Barbera acabou.

Em 1990, os estúdios da Hanna-Barbera foram contratados pela Turner Enterprises, conglomerado de comunicação do empresário Ted Turner, para produzir Tom & Jerry Kids[2] (que adquiriu a franquia em 1986),[3] no ano seguinte, a empresa foi adquirida pela Turner,[4] entre as empresas da Turner Enterprises estão os canais de tevê por assinatura CNN, TNT e Cartoon Network — e o nome "HB" hoje é usado apenas nas produções anteriores à compra. As produções posteriores passaram a receber o rótulo "Cartoon Network Studios". As únicas exceções foram O Laboratório de Dexter, Johnny Bravo, A Vaca e o Frango, Eu Sou o Máximo e As Meninas Superpoderosas, que utilizaram a logomarca "HB" até 1998, antes de adotar o seu rótulo definitivo.

Em 1996, a Turner foi adquirida por outro conglomerado de comunicação, o "Time-Warner",[5] e a ex-Hanna-Barbera foi junto na transação. Muitos criticam tal aquisição como danosa à concorrência nos meios de entretenimento e jornalismo, já que ambas as empresas possuíam seus próprios departamentos de reportagens, filmes, séries de televisão e desenhos animados. Nesse último ponto, ainda não está claro o impacto que isto terá na qualidade das produções, já que a Hanna-Barbera e a Warner Bros. eram rivais ferrenhas na disputa pelos espectadores de desenhos.

Quando William Hanna morreu, em 22 de março de 2001, com 90 anos, o estúdio Hanna-Barbera foi adquirido pela Warner Bros. Animation, e transformado no Cartoon Network Studios.

Em 18 de dezembro de 2006 faleceu, com 95 anos, Joseph Barbera, por causas naturais.

Desenhos clássicosEditar

Os maiores sucessos infantis das décadas de 1950, 1960, 1970, 1980 e 1990 estão desde o fim da década de 1990 até o meio da década de 2000 perdendo espaço. Em 1993 foi fundado o canal Cartoon Network, e exibia alguns desenhos do Hanna-Barbera. A partir daí os clássicos foram perdendo espaço até sumirem em 2010

Em 1999 a Turner deu para HB sua segunda chance com o canal só dela, o Boomerang. No caso da América Latina, em 8 anos o canal retirou de uma só vez todos os desenhos clássicos e agora exibe uma nova programação.

Recentemente, os desenhos de Hanna-Barbera voltaram à programação televisiva através de outro canal recém-criado pela Turner, denominado Tooncast. Os clássicos Tom e Jerry e Scooby-Doo estão atualmente na programação do canal Cartoon Network.

Guinness BookEditar

O desenho Scooby-Doo entrou no livro do Guinness Book como o desenho com mais episódios no ano de 2004, com 360 episódios.

Ver tambémEditar

Referências

  1. «William Hanna — Awards». allmovie. Consultado em 22 de maio de 2012 
  2. Ann F. Howey, Stephen Ray Reimer (2006). A Bibliography of Modern Arthuriana (1500-2000). [S.l.]: Boydell & Brewer. 526 páginas. ISBN 9781843840688 
  3. Turner Sells The Studio, Holds On To The Dream
  4. Company News; Turner buys remaining 50% stake in Hanna-Barbera
  5. Time, TBS deal sealed

Ligações externasEditar