Harry Morgan (Dexter)

O Detective Harrison "Harry" Morgan é uma personagem ficcional da série de televisão da Showtime, Dexter, e dos livros de Jeff Lindsay no qual foi baseada. Na série de TV é protagonizado por James Remar. Harry é o pai adoptivo de Dexter Morgan, agora falecido. Durante as primeiras duas temporadas da série ele aparece apenas em pensamentos e recordações da infância de Dexter, tendo morrido 10 anos antes do início da série. A partir da terceira temporada, as recordações são substituídas com a apariçãod e Harry a Dexter como "fantasma" que comenta e dá conselhos sobre todos os problemas que o seu filho enfrenta ao longo da série.

Biografia da personagemEditar

Nos livrosEditar

Harry Morgan é um detective e muito respeitado membro do Departamento da Polícia de Miami e um amigo próximo do seu superior imediato Tenente Tom Matthews. No desenvolvimento de um caso de droga, Harry começa uma relação ilícita com Laura Moser, a mão biológica de Dexter, para juntar informação e provas dos barões de droga em questão. Os traficantes eventualmente, descobrem que ela informa a polícia, e fazem dela um exemplo; assassinam-na brutalmente e a outras três pessoas com serras eléctricas num contentor. Os seus filhos Brian e Dexter são deixados no contentor durante vários dias, sentados numa poça de sangue, até que Harry e a equipa de polícias os salvam. Harry adopta Dexter, enquanto que Brian é enviado para um abrigo; Harry acredita que o Brian está permanentemente traumatizado pela situação e que não se pode "salvar", mas que Dexter ainda é novo e portanto pode ser "salvo". Quando Dexter é adolescente, Harry descobre que ele anda a matar os animais de estimação dos vizinhos, e percebe que o rapaz tem um necessidade de matar.

A princípio, Harry tenta controlar as tendências violentas de Dexter permitindo-lhe apenas matar animais, mas ele eventualmente chega à conclusão que a patologia de Dexter não pode ser reprimida, apenas controlada. Harry decide treiná-lo como vigilante, para caçar e matar assassinos sem deixar pistas. Dexter aprecia as suas lições como meio para satisfazer as suas tendências homicidas com a aprovação do pai, chamando-lhe "O Código de Harry". A relação de Harry com a sua filha biológica Debra, entretanto, é mais complicada; ela implora pela aprovação do pai, mas sente que ele favorece Dexter (Harry mantêm-na sem saber de nada sobre o "treino" de Dexter).

Quando Dexter tem 19 anos, Harry fica gravemente doente e dá "permissão" a Dexter para matar uma das suas enfermeiras, que intencionalmente o envenenou com morfina. Ele morre um ano depois.

Em Darkly Dreaming Dexter, Harry está alarmado quando Dexter quase mata um abusador na escola, e leva-o a visitar um assassino em série no corredor da morte, esperando que o homem condenado sirva de exemplo vivo de não ser capturado.

Na série de TVEditar

Nos livros, Harry está morto há já alguns anos, mas permanece como uma importante influência no seu filho. Dexter muitas vezes imagina que fala com o espírito de Harry, que lhe dá conselhos sobre matar.

Nos livros, ele é extremamente parcial.

A personagem de Harry na série de TV difere da dos livros. No fim da primeira temporada, é revelado que ele recuperou da sua doença. Quando Juan Rinez, um intermediário que mata as suas próprias prostitutas, é libertado devido a um problema no seu mandato de captura, Harry perde a calma e diz a Dexter que tinha razão em treiná-lo. Quando Dexter mata Rinez, Harry fica horrorizado pela forma como Dexter lhe mostra com orgulho o corpo do assassino desmembrado; é a primeira vista de Harry do "trabalho" de Dexter, e fica envergonhado do treino que deu a Dexter. Segundo Matthews, Harry suicidou-se passado alguns dias com uma overdose da sua medicação, mas não sem antes dizer a Matthews para olhar pelas suas crianças.

Dexter descobre os segredos de Harry na terceira temporada, e inadvertidamente revela a Debra que Harry traiu a sua mulher várias vezes. Esta revelação tem um profundo efeito em Debra, que perde todo o respeito pelo homem que sempre teve como exemplo. Dexter, entretanto, começa a questionar o "código" de Harry, percebendo que ele é o único com controlo sobre o seu "Passageiro Obscuro". É também revelado na quarta temporada que Harry dormiu com várias informantes, não só Laura.

Na oitava temporada, Dexter descobre que Harry fez confidências à Dra. Evelyn Vogel (Charlotte Rampling) sobre as tendências homicidas de Dexter, e que ela o ajudou a criar o "código". 

Harry finalmente separa-se de Dexter no penúltimo episódio da série, Monkey in a Box, quando Dexter decide deixar Oliver Saxon (Darri Ingolfsson) para a polícia e juntar-se ao seu filho Harrison e à sua namorada Hannah McKay (Yvonne Strahovki) no aeroporto para irem para a Argentina. Harry diz a Dexter que ele não precisa mais dele, e diz-lhe adeus.

Links externosEditar

  Este artigo sobre uma personagem de ficção é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.