Igreja Matriz de Monchique

Disambig grey.svg Nota: Para consultar outras igrejas com a mesma designação, veja Igreja de Nossa Senhora da Conceição.
Igreja Matriz de Monchique
Portugal 2012 (8010509482).jpg
Apresentação
Tipo
Estilo
Período de construção
XVI século
Estatuto patrimonial
Localização
Endereço
Coordenadas

A Igreja Matriz de Monchique, igualmente conhecida como Igreja de Nossa Senhora da Conceição, é um edifício religioso no concelho de Monchique, na região do Algarve, em Portugal. Foi classificada como Imóvel de Interesse Público.[1]

Pórtico principal da Igreja, em estilo manuelino.

DescriçãoEditar

A Igreja Matriz de Monchique apresenta uma miscelânea de estilos arquitectónicos, devido às várias modificações e expansões ao longo da sua história, mas ainda sobreviveram alguns elementos originais, principalmente os portais, que são de traça manuelina.[2] Com efeito, a Igreja é considerada uma das mais interessantes produções locais desta corrente estilística.[2] O pórtico principal, de arco quebrado,[1] está ladeado com colunas de forma retorcida, rematadas por pináculos.[3] Os capitéis estão ricamente esculpidos, destacando-se a representação de duas cabeças humanas, uma de cada lado, como se servissem para vigiar a entrada do edifício.[2] Este portal é considerado um exemplo raro do estilo Manuelino, devido à sua forma polilobulada e desenho raiado, tendo sido encontrados apenas alguns modelos semelhantes noutras regiões do país, como a Igreja de Redinha, no Distrito de Leiria, e na antiga Índia Portuguesa, nomeadamente a Igreja de Nossa Senhora da Esperança, em Cochim.[4] O portal é encimado por um óculo, igualmente no estilo manuelino.[1] Os portais laterais, de forma mais sóbria, também serão do mesmo período.[3] Nos capitéis concentram-se as realizações figurativas, com duas pequenas cabecitas humanas em cada lado, como que a tutelar a passagem para o interior do templo

O interior está dividido em três naves, separadas por várias colunas com capitéis de cordões torcidos, espelhando desta forma a decoração da porta principal.[3] Na capela-mor destaca-se o retábulo barroco[1] do Século XVIII, com talha dourada joanina, de estrutura tripartida, com uma larga tribuna axial, flanqueada por dois corpos com colunas salomónicas, que aguentam o conjunto das arquivoltas.[2] Destacam-se as duas figuras dos anjos no arco, segurando representações da Lua e do Sol, e os dois atlantes, que suportam parte do conjunto.[3] Outro elemento de especial interesse é o sacrário, que apresenta uma forma de templete.[3] No centro está uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, do Século XVIII, que provavelmente foi obra do escultor Machado de Castro.[3]

A capela do Santíssimo Sacramento apresenta igualmente um retábulo barroco,[1] e um interessante conjunto de azulejaria seiscentista, que cobre a abóbada manuelina, destacando-se os quatro painéis com alminhas, e parte das paredes, representando o São Francisco a salvar almas, e São Miguel a combater o diabo.[3] Na capela de Nossa Senhora do Carmo encontra-se um retábulo do Século XVIII, em madeira de castanho encerada, e que apresenta uma planta de forma convexa, o que é considerado raro na região do Algarve.[3] Este retábulo terá provavelmente terá vindo do antigo Convento de Nossa Senhora do Desterro.[3] A capela do Sagrado Coração também tem um retábulo barroco.[1] A capela lateral, no estilo manuelino, tem uma cobertura com abóbadas de ogivas simples, em cujo fecho foi representada a Cruz de Cristo, e as paredes estão forradas com azulejos figurativos,[1] do Século XVII[2] ou dos finais do Século XVIII.[1] Inclui um retábulo em talha dourada do Século XVIII, igualmente de forma tripartida.[2] No interior da igreja também se destacam as várias imagens e um tesouro sacro, formado por peças de culto, igualmente oriundas do antigo convento, e por paramentos.[3]

O edifício inclui um pequeno museu, onde foram expostos vários instrumentos litúrgicos.[1]

 
Interior da Igreja, em 2018.

HistóriaEditar

A igreja foi construída entre os séculos século XV e século XVI,[3] tendo-se avançado a teoria que terá sido sagrada em 1495, ano em que a vila de Monchique foi visitada pelo rei D. João II.[2] Porém, o edifício apresenta uma aparência típica do Século XVI, estando plenamente integrada no estilo conhecido como Manuelino.[2]

Durante os séculos seguintes, a igreja conheceu uma grande expansão a nível de elementos artísticos e religiosos, tendo por exemplo as paredes e a abóbada da capela lateral sido forrados de azulejos no Século XVII, e em Setecentos foram instalados os dois retábulos da capela lateral e da capela-mor.[2] Por seu turno, tanto o arco triunfal como o arco de entrada da capela baptismal também são provavelmente setencentistas ou da transição para aquele século.[2] O edifício foi muito danificado pelo terramoto de 1755, tendo ainda no mesmo século sido feitas as obras de reconstrução, que incidiram sobre a sacristia, a abóbada da capela-mor, a tribuna e a torre.[5]

Nos princípios do Século XX o edifício voltou a ser alvo de grandes obras de restauro e expansão, tendo entre 1900 e 1901 sido conservadas as colunas e construído o guarda vento, e em 1902 foi instalado o baptistério.[5] Em 1903 foi feita a pintura das coberturas, restaurada a capela do Santíssimo Sacramento, e instaladas as capelas do Sagrado Coração de Jesus e das Almas.[5] Por volta de 1910, foram abertos os arcos para as capelas do Espírito Santo, e entre 1910 e 1920 foi feita a construção das capelas de Nossa Senhora de Fátima e de Santa Teresinha.[5] Em Fevereiro de 1969, o edifício da igreja sofreu danos devido a um sismo.[5] Em 1989 e 1994, foram feitos algumas obras de restauro,[2] e em 1997 a igreja foi classificada como Imóvel de Interesse Público.[6]

 
Portal lateral, igualmente de corrente manuelina.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d e f g h i «Igreja Matriz de Monchique». Visit Algarve. Região de Turismo do Algarve. Consultado em 26 de Setembro de 2020 
  2. a b c d e f g h i j k «Igreja matriz de Monchique». Património Cultural. Direcção Geral do Património Cultural. Consultado em 26 de Setembro de 2020 
  3. a b c d e f g h i j k «Igreja Matriz de Monchique». Câmara Municipal de Monchique. Consultado em 25 de Setembro de 2020 
  4. FERNANDES e JANEIRO, 2005:45
  5. a b c d e «Igreja Paroquial de Monchique / Igreja de Nossa Senhora da Conceição». Sistema de Informação para o Património Arquitectónico. Direcção Geral do Património Cultural. Consultado em 26 de Setembro de 2020 
  6. PORTUGAL. Decreto n.º 67/97, de 31 de Dezembro. Ministério da Cultura. Publicado no Diário da República n.º 301, Série I-B, de 31 de Dezembro de 1997.

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Igreja Matriz de Monchique


  Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.