Jônathas de Barros Nunes

Jônathas Nunes
Jônathas Nunes
Deputado federal pelo Piauí
Período 1983-1987
Dados pessoais
Nascimento 5 de junho de 1934 (85 anos)
Jerumenha, PI
Cônjuge Maria Helena Nunes
Partido PDS, PFL, PDT, PTB, PMDB
Profissão professor, Doutor em Física e político
Assinatura Assinatura de Jônathas de Barros Nunes

Jônathas de Barros Nunes (Jerumenha, 5 de junho de 1934) é um professor universitário, escritor, ex-coronel do Exército e político brasileiro que foi deputado federal pelo Piauí.

BiografiaEditar

Filho de Aurino da Rocha Nunes e Maria Balduíno Nunes é Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Bacharel em Física pela Universidade de Brasília além de ter cursado a Academia Militar das Agulhas Negras. É Coronel da Reserva do Exército Brasileiro. Possui Curso Superior de Proficiência em Língua Inglesa pela Universidade de Cambridge e Doutor (Ph. D) em Física pela Universidade de Londres (1973) defendendo a tese intitulada Massive Spin Two Fields and General Relativity.

Assessor do Ministério da Educação e do Conselho Nacional de Educação, foi Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, onde lecionou. Foi professor também na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, a Universidade de Brasília e a Universidade Federal do Piauí. Sua carreira política teve início em 1982[1] ao ser eleito deputado federal pelo PDS passando brevemente pelo PDT quando foi candidato a Prefeito de Teresina em 1985.[1] Sob a legenda do PFL foi eleito segundo suplente de deputado federal em 1986[1] e ficou na décima sexta suplência como candidato a deputado estadual em 1990.[1] Filiado ao PTB perdeu a eleição para deputado federal em 1994.[1]

Ao longo da gestão de Francisco de Assis de Moraes Souza, o Mão Santa, como governador do Piauí foi Reitor da Universidade Estadual do Piauí de janeiro de 1995 a novembro de 2001 e em 1998 acumulou esse cargo com o de Secretário de Educação. Como reitor, foi responsável por um revolucionário processo de expansão e interiorização da UESPI, que chegou aos mais distantes rincões do Estado do Piauí e invadiu o Maranhao e a Bahia, com a criação de 23 núcleos universitários nos estados vizinhos. A instituição saltou de 4 campi para 45, 12 cursos para quase 400, 2 mil alunos para 40 mil, menos de mil inscritos no vestibular 1995 para 61 mil inscritos em 2001. Foram criados cursos pioneiros na instituição e até no estado, como psicologia, medicina, eng. civil, eng. elétrica, segurança pública, direito, fisioterapia, odontologia, comunicação social, além de cursos pré-matutinos e cursos sequenciais de curta duração em áreas específicas do saber. Foram celebrados convênios para cursos de mestrado e doutorado com diversas universidades brasileiras e do exterior. Candidato a governador pelo PMDB em 2002,[1] foi nomeado Superintendente de Ciência e Tecnologia no primeiro governo Wellington Dias. Disputou um mandato de deputado estadual pelo PTB em 2006[1] e 2010,[1] mas não foi eleito.

Perseguição da ditaduraEditar

Pertencia aos quadros do Exército Brasileiro mas com o golpe de 1964 foi cassado pelo Ato Institucional Número Um, preso em Brasília e levado ao Quartel-General da 33ª Zona Aérea do Rio de Janeiro onde permaneceu preso por 10 dias, por ser considerado de esquerda.[2] Em 4 de dezembro de 2013 publica a segunda edição do livro 1964: O DNA da conspiração em coautoria com o também ex-militar cassado pela Ditadura de 1964, Gastão Rúbio de Sá Weyne.[3]

É membro da Academia Piauiense de Letras e da Academia de Ciências do Piauí, a qual preside desde 2015.

ObrasEditar

Lista a completar.

  • Notas Técnicas de Física (1992)
  • Tempo de universidade (1994)
  • Caminhando no Tempo (1998)
  • Educação em Dois Tempos (1999)
  • Jonathas com a Palavra (2008)
  • Maria Helena: Farol de Olhos Azuis (2009)
  • 1964: O DNA da Conspiração (2012)
  • 1964: O DNA da Conspiração - Ed. Atualizada (2013)
  • A Moça da Igreja e o Homem da Rosa Vermelha (2016)

Fontes de pesquisaEditar

  • NUNES, Jônathas. Tempo de Universidade. Teresina, Edufpi, 1994.
  • SANTOS, José Lopes dos. Novo Tempo Chegou. Brasília, Senado Federal, 1983.
  • SANTOS, José Lopes dos. Política e Políticos: Eleições 86. Vol. II. Teresina, Gráfica Mendes, 1988.
  • SANTOS, José Lopes dos. A Vida e Seus Caminhos. Vol. II. Teresina, Gráfica Mendes, 2002.

Referências

  1. a b c d e f g h «Tribunal Regional Eleitoral do Piauí: acervo eletrônico». Consultado em 23 de outubro de 2012 
  2. Jornal Diário do Povo do Piauí, edição de 3 de dezembro de 2013. página 17
  3. Idem, referência 2

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.