James Comey

Advogado estadunidense e sétimo diretor do Federal Bureau of Investigation (FBI)

James Brien “Jim” Comey, Jr. (14 de dezembro de 1960) é um advogado estadunidense que serviu como o sétimo diretor do Federal Bureau of Investigation (FBI) de 4 de setembro de 2013 até sua demissão em 9 de maio de 2017 pelo presidente Donald Trump.[1]

James Comey
James Comey
7º Diretor do Federal Bureau of Investigations
Período 4 de setembro de 2013
até 9 de maio de 2017
Presidente Barack Obama
Donald Trump
Antecessor(a) Robert Mueller
Sucessor(a) Christopher A. Wray
31º Procurador-Geral Adjunto dos Estados Unidos
Período 9 de dezembro de 2003
a 15 de agosto de 2005
Presidente George W. Bush
Antecessor(a) Larry Thompson
Sucessor(a) Paul McNulty
Procurador dos Estados Unidos para o Distrito Sul de Nova York
Período 7 de janeiro de 2002
a 15 de dezembro de 2003
Presidente George W. Bush
Antecessor(a) Mary Jo White
Sucessor(a) David N. Kelley
Dados pessoais
Nascimento 14 de dezembro de 1960 (60 anos)
Yonkers, Nova Iorque,
Estados Unidos
Alma mater Faculdade de William e Mary (BA)
University of Chicago (JD)
Esposa Patrice Failor
Ocupação Advogado
Assinatura Assinatura de James Comey

BiografiaEditar

Comey foi procurador dos Estados Unidos para o distrito Sul de Nova Iorque, a partir de janeiro de 2002 a dezembro de 2003, e, posteriormente, o Procurador-Geral Adjunto dos Estados Unidos de dezembro de 2003 a agosto de 2005. Como Procurador-Geral Adjunto, Comey foi o segundo mais alto funcionário do Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DOJ).

Em agosto de 2005, Comey deixou o DOJ e tornou-se chefe do departamento jurídico e vice-presidente da Lockheed Martin, sediada em Bethesda, Maryland. Em 2010, tornou-se chefe do departamento jurídico da Bridgewater Associates, localizada em Westport, Connecticut. No início de 2013, ele deixou a Bridgewater para se tornar um Pesquisador Sênior e recipiente da bolsa de pesquisa Hertog para Direito de Segurança Nacional, na Escola de Direito de Columbia, em Nova Iorque. Serviu no Conselho de Administração da HSBC Holdings até julho de 2013.[2][3]

Em setembro de 2013, Comey foi nomeado Diretor do FBI pelo então presidente Barack Obama.[4][5]

Em 9 de maio de 2017, foi demitido pelo presidente Donald Trump, que citou recomendações do procurador-geral Jeff Sessions e do vice-procurador-geral, Rod J. Rosenstein.[1] O memorando de Rosenstein à Sessions, explanando a recomendação, fez objeções à conduta de Comey com respeito à investigação sobre os emails de Hillary Clinton.[6]

JuventudeEditar

Comey nasceu em Yonkers, Nova York, filho de Joan Marie Comey e J. Brien Comey.[7] O seu avô, William J. Comey, foi oficial e posteriormente comissário do Departamento de Polícia de Yonkers.[8] A sua família mudou-se para Allendale, New Jersey no início dos anos de 1970.[9][10] O seu pai trabalhava com imóveis corporativos e a sua mãe era consultora de computadores e dona de casa.[11] Comey é de ascendência irlandesa.[12] Ele frequentou a Northern Highlands Regional High School em Allendale.[13] Em 1977, ele e seu irmão foram vítimas de uma invasão domiciliar por um criminoso chamado "The Ramsey Rapist".[14] Comey formou-se com louvor no College of William and Mary em 1982, com especialização em química e religião. Na sua tese de final de curso, Comey analisou o teólogo Reinhold Niebuhr e o televangelista Jerry Falwell, enfatizando a sua crença comum na ação pública.[15] Ele recebeu o seu Juris Doctor (JD) na University of Chicago Law School em 1985.[16]

Inicio da carreira (1985-1993)Editar

Depois da faculdade de direito, Comey foi secretário de direito do juiz distrital dos Estados Unidos John M. Walker Jr. em Manhattan. Então, ele era um associado da Gibson, Dunn & Crutcher no seu escritório em Nova York. Ele ingressou no Gabinete do Procurador dos Estados Unidos para o Distrito Sul de Nova York, onde trabalhou de 1987 a 1993. Enquanto esteve lá, ele foi Vice-Chefe da Divisão Criminal e ajudou a processar a família criminosa Gambino.[17]

Administração Clinton (1996-2001)Editar

Procurador-Geral AssistenteEditar

De 1996 a 2001, Comey foi Procurador-Geral Assistente dos Estados Unidos encarregado da Divisão de Richmond do procurador dos Estados Unidos para o Distrito Leste da Virgínia.[18] Em 1996, Comey atuou como conselheiro especial adjunto do Comitê Whitewater do Senado.[19] Ele também foi o promotor principal no caso sobre o atentado às Torres Khobar em 1996 na Arábia Saudita.[20] Enquanto em Richmond, Comey foi professor adjunto de direito na University of Richmond School of Law.[21]

Considerações para a Suprema Corte dos Estados UnidosEditar

O Politico informou em maio de 2009 que funcionários da Casa Branca pressionaram pela inclusão de Comey na pequena lista de nomes para substituir o juiz David Souter na Suprema Corte dos Estados Unidos. Politico posteriormente relatou que ativistas liberais estavam chateados com a possibilidade do nome de Comey ser incluído. John Brittain, do Comitê de Advogados para Direitos Civis sob a Lei , declarou: "[Comey] entrou com os Bushies. O que o faz pensar que ele estaria apenas uma ou duas polegadas a mais do centro do que [John] Roberts ? Eu fique muito desapontado".[22]

Em 2013, Comey foi signatário de uma petição amicus curiae submetida à Suprema Corte em apoio ao casamento entre pessoas do mesmo sexo durante o caso Hollingsworth v. Perry.[23]

Diretor do FBIEditar

Os relatórios de maio de 2013 tornaram-se oficiais no mês seguinte, quando o presidente Barack Obama revelou que nomearia Comey para ser o próximo diretor do Federal Bureau of Investigation, substituindo assim o diretor cessante Robert Mueller.[24][25] Comey foi supostamente escolhido em vez de outra candidata, Lisa Monaco, que supervisionou questões de segurança nacional no Departamento de Justiça durante o ataque ao consulado dos EUA em Benghazi, Líbia, a 11 de setembro de 2012.[26]

A 29 de julho de 2013, o Senado confirmou Comey para um mandato completo de dez anos como diretor do FBI. Ele foi confirmado por uma votação de 93-1.[27] Ele foi empossado como diretor do FBI a 4 de setembro de 2013.[28] Comey foi demitido pelo presidente Donald Trump a 9 de maio de 2017.[29]

Investigação sobre os e-mails de Hillary ClintonEditar

A 10 de julho de 2015, o FBI abriu uma investigação criminal sobre o uso de um servidor de e-mail privado por Hillary Clinton enquanto ela era secretária de Estado.[30] A 29 de junho de 2016, a procuradora-geral Loretta Lynch e Bill Clinton encontraram-se a bordo do seu avião na pista do Aeroporto Internacional Phoenix Sky Harbor, levando a pedidos de recusa sobre o caso. Lynch então anunciou que aceitaria "totalmente" a recomendação do FBI em relação à investigação.[31] A 2 de julho, os agentes do FBI concluíram na sua investigação entrevistando Hillary Clinton na sede do FBI, após o que Comey e seus agentes decidiram que não havia base para acusações criminais no caso.

Documentando reuniões com TrumpEditar

A 16 de maio de 2017, foi relatado pela primeira vez que Comey havia preparado um conjunto detalhado de notas após cada reunião e telefonema que ele teve com o presidente Trump.[32]

Vida após saída do governoEditar

Comey é descendente de irlandeses e foi criado numa família católica romana,[33][34] mas agora pertence à Igreja Metodista Unida, onde lecionou na escola dominical.[35]

Comey conheceu a sua esposa, Patrice Failor, quando os dois eram alunos no College of William and Mary. Eles casaram-se em 1987 e têm cinco filhos,[36] sendo que um filho morreu na infância. Eles também foram pais adotivos.[37]

A sua filha mais velha, Maurene, formou-se na Harvard Law School em 2013 e atualmente é advogada assistente do Ministério Público do Distrito Sul de Nova York.[38]

Em seu livro Donald Trump v. The United States , Michael S. Schmidt revelou que Comey sofria de cancro colorretal em estágio 3 em 2006.

Em 2020, a gestão de Comey como diretor do FBI foi retratada na minissérie da TV Showtime , The Comey Rule ; ele foi retratado por Jeff Daniels.[39]

Referências

  1. a b Shear, Michael D.; Apuzzo, Matt (9 de maio de 2017). «F.B.I. Director James Comey Is Fired by Trump». The New York Times. ISSN 0362-4331. Consultado em 9 de maio de 2017 
  2. «James B. Comey, Hertog Fellow in National Security Law, Tapped to Lead FBI» 
  3. "Former US Deputy Attorney General joins HSBC Board".
  4. Schmidt, Michael S. (29 de maio de 2013). «Obama to Pick James B. Comey to Lead F.B.I.». The New York Times. ISSN 0362-4331 
  5. "Himes Congratulates Westport's James Comey as New FBI Director" Arquivado em 19 de agosto de 2016, no Wayback Machine..
  6. Smith, David (9 de maio de 2017). «Donald Trump fires FBI director Comey over handling of Clinton investigation». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077. Consultado em 9 de maio de 2017 
  7. CNN, Miranda Green. «Comey's father: Trump was 'scared to death' of FBI director». CNN. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  8. «Reported FBI Nominee Comey Is Grandson Of Former YPD Commissioner». Yonkers Daily Voice (em inglês). 4 de junho de 2013. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  9. Boburg, Shawn. «Archive: FBI nominee Comey was held captive as a Bergen teen». North Jersey Media Group (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  10. Research, CNN Editorial. «James Comey Fast Facts». CNN. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  11. «Meet Martha's Prosecutor». Observer (em inglês). 16 de junho de 2003. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  12. Schmidt, Michael S. (12 de fevereiro de 2015). «F.B.I. Director Speaks Out on Race and Police Bias (Published 2015)». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  13. Weiser, Benjamin (2 de dezembro de 2001). «Man in the News; Reputation for Tenacity; James Brien Comey (Published 2001)». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  14. Media, Jacqueline Cutler | For NJ Advance (16 de abril de 2018). «James Comey talks Trump rumors, N.J. roots in new book». nj (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  15. «James Comey - United States Attorney - Justice Department - Nymag». New York Magazine (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  16. «Former Deputy Attorney General James B. Comey». georgewbush-whitehouse.archives.gov. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  17. Graff, Garrett M. (30 de maio de 2013). «James Comey at FBI, a man who can say no». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  18. McLean, Bethany. «The True Story of the Comey Letter Debacle». Vanity Fair (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  19. «Inside the FBI Investigation of Hillary Clinton's E-Mail». Time. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  20. «Opinion | A Worthy New York Prosecutor (Published 2001)». The New York Times (em inglês). 1 de dezembro de 2001. ISSN 0362-4331. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  21. «Former Deputy Attorney General James B. Comey». georgewbush-whitehouse.archives.gov. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  22. Gerstein, Josh. «Some on left souring on Obama». POLITICO (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  23. Avlon, John (28 de fevereiro de 2013). «The Pro-Freedom Republicans Are Coming: 131 Sign Gay Marriage Brief». The Daily Beast (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  24. Holland, Steve (29 de maio de 2013). «Obama expected to pick James Comey as next FBI chief: source». Reuters (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  25. Press |, Associated (21 de junho de 2013). «Obama's FBI pick: James Comey, challenged wiretapping by Bush White House». The Mercury News (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  26. Schmidt, Michael S. (29 de maio de 2013). «Former Bush Official Said to Be Obama Pick to Lead F.B.I. (Published 2013)». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  27. «Now voting on confirmation of Comey nomination (FBI) | Senate Democrats». web.archive.org. 15 de julho de 2014. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  28. «FBI — James B. Comey Sworn in as FBI Director». web.archive.org. 15 de julho de 2014. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  29. News, A. B. C. «FBI Director Comey fired amid Russia probe». ABC News (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  30. Apuzzo, Matt; Schmidt, Michael S.; Goldman, Adam; Lichtblau, Eric (22 de abril de 2017). «Comey Tried to Shield the F.B.I. From Politics. Then He Shaped an Election. (Published 2017)». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  31. Ruelas, Richard. «Report details Sky Harbor meeting between Clinton and Lynch». The Arizona Republic (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  32. CNN, Pamela Brown. «Comey documented 'everything he could remember' after Trump conversations». CNN. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  33. Boburg, Shawn. «Archive: FBI nominee Comey was held captive as a Bergen teen». North Jersey Media Group (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  34. «Irish American from Yonkers James Comey named head of FBI». IrishCentral.com (em inglês). 31 de julho de 2013. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  35. «Next FBI director is a United Methodist | The United Methodist Church». web.archive.org. 19 de junho de 2016. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  36. «James Comey». Wikipedia (em inglês). 17 de janeiro de 2021. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  37. «James Comey». Wikipedia (em inglês). 17 de janeiro de 2021. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  38. «James Comey». Wikipedia (em inglês). 17 de janeiro de 2021. Consultado em 19 de janeiro de 2021 
  39. Daniels, Jeff; Hunter, Holly; Kelly, Michael; Ehle, Jennifer (27 de setembro de 2020), The Comey Rule, CBS Studios, Home Run Productions, Secret Hideout, consultado em 19 de janeiro de 2021 


  Este artigo sobre um advogado(a) ou jurista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.