Abrir menu principal
Jan Magnussen
Jan Magnussen cropped.jpg
Informações pessoais
Nome completo Jan Ellegaard Magnussen
Nacionalidade dinamarquês
Nascimento 4 de julho de 1973 (45 anos)
Registros na Fórmula 1
Temporadas 1995, 1997-1998
GPs disputados 25
Títulos 0 (15º em 1998)
Vitórias 0
Pódios 0
Pontos 1
Pole positions 0
Primeiro GP GP do Pacífico, Aida-Japão, 1995
Último GP GP do Canadá, Montreal, 1998
Registros na Champ Car
Temporadas 1996, 1999
Equipes 2 (Hogan/Penske e Patrick Racing)
Corridas 11
Vitórias 0
Pódios 0
Pole positions 0
Primeira corrida GP de Mid-Ohio, 1996
Última corrida GP de Surfer's Paradise, 1999
Registros nas 24 Horas de Le Mans
Edições 1999 - 2006
Equipes Panoz, Audi Sport Goh, Corvette Racing
Vitórias em classe(s) 3 (2004, 2005, 2006)

Jan Ellegaard Magnussen (Roskilde, 4 de julho de 1973) é um ex-piloto dinamarquês de Fórmula 1 e piloto da fábrica da GM. Hoje corre na ALMS (American Le Mans Series).

Índice

CarreiraEditar

KartEditar

Magnussen começou a correr aos 11 anos, no kart. No ano seguinte, é campeão do esporte em seu país, na categoria Minipop. É o início de uma série de títulos. Em 1986, ele sobe de categoria no kart e é campeão da POP 2 na Dinamarca, e em 1987, é Campeão Mundial de Kart na categoria Júnior. Em 1988, fica parado, mas volta em 1989, sendo novamente campeão mundial de kart.

Em 1990, Magnussen é campeão escandinavo, finlandês e mundial de Fórmula K. Em 1991, é vice campeão de Fórmula K na Escandinávia. Faz um treino de Fórmula Ford, no final do ano, na pista de Jyllands-Ringen. Em 1992, Jan estréia na Fórmula Ford 1600, terminando em terceiro lugar, com 7 vitórias. Dessas, a mais importante foi a vitória do Festival de Fórmula Ford em Brands Hatch, o mais importante da categoria. Em 1993, disputa os campeonatos europeu e inglês de Fórmula Vauxhall, com resultados medianos: quatro vitórias nas duas categorias. Nesse mesmo ano, disputa duas corridas de Fórmula 3 pela equipe de Paul Stewart, filho de Jackie Stewart, tricampeão do mundo de F-1. Termina as duas corridas no pódio, em Truxton.

1994: Magnussen chega ao paraísoEditar

1994 é um verdadeiro ano dos sonhos para Jan. Ele disputa a temporada inteira de Fórmula 3, e "liquida a fatura" sobre os outros pilotos: foram 14 vitórias em 18 corridas, inclusive chegando em segundo no GP de Macau, o mais importante da categoria - superando uma marca de Ayrton Senna. No final do ano, é contratado pela McLaren como piloto de testes para 1995, mas chega a testar um carro da equipe em Estoril, em novembro de 1994, aos 21 anos.

1995: passagem por corridas de turismo e chegada à Fórmula 1Editar

Para 1995, ele também é contratado pela Mercedes, fornecedora de motores da Mclaren, para disputar o DTM, o Campeonato de Turismo Alemão, e o Campeonato Mundial, o ITC. Jan vence uma corrida em Estoril (pelo ITC) e é vice-campeão. No meio do ano, ele sofre um acidente de moto e fica de fora de algumas corridas. No fim do ano, disputa o GP do Pacífico, substituindo Mika Häkkinen, após seu acidente em Adelaide. Uma estréia razoável: termina em décimo.

Apesar de ser melhor em monopostos, Magnussen continua no ITC em 1996. Começa bem, com uma vitória em Hockenheim, mas uma série de abandonos relega o dinamarquês à décima posição no campeonato. No final do ano, é chamado pela Hogan Racing para disputar algumas corridas na extinta CART, substituindo o lesionado Emerson Fittipaldi, mas sem grandes resultados.

1997-1998: do céu ao infernoEditar

Em 1997, Jackie e Paul Stewart fundam a Stewart Grand Prix, e Jan é contratado pela equipe para formar dupla com o brasileiro Rubens Barrichello. O promissor dinamarquês, tido como "o novo Senna", finalmente fez sua estreia definitiva na F-1. Mas a realidade é outra. É seguidamente batido por Barrichello, e seu melhor resultado é o sétimo lugar em Mônaco, ofuscado pelo segundo lugar de Rubinho. Se destaca na Áustria, onde se classifica em sexto e se mantém em quarto por várias voltas, até o carro quebrar. É quando as críticas e as pressões por resultados melhores começam. Jan não lembrava em nada o "triturador de adversários" da F-3.

Em 1998, um início semelhante. Jan, sempre derrotado por Barrichello, tem como melhor resultado o sexto lugar no Canadá, seu único ponto na F1. Depois dessa corrida, é demitido da Stewart.

1999: volta à CART e ao turismo de FórmulaEditar

Jan, sem perspectivas de voltar à categoria-mor do automobilismo, retorna à CART em 1999, pela Patrick Racing, substituindo P. J. Jones, tendo como melhor resultado o sétimo lugar em Vancouver. Mas ele consegue melhores resultados na American Le Mans Series, pela Panoz, e ganha uma corrida, em Nurburgring, ao lado de David Brabham, e sobe ao pódio 5 vezes. Em 2000, Jan ganha 2 corridas, em Portland e Mid-Ohio. Nesse ano, ele começa a disputar o Campeonato Dinamarquês de Turismo, pela Peugeot. A temporada de 2002 na ALMS é semelhante à de 2000, com 2 vitórias, em Sears Point e Washington. No DTCC, ganha 5 vezes. Em 2003, deixa a Panoz e passa a correr pela Riley & Scott, passando logo após para a Prodrive, pilotando carros da Ferrari. A temporada no ALMS é ruim, mas Jan é campeão do DTCC, com 6 vitórias e vários pódios. Magnussen, atualmente, corre no DTCC, a categoria inglesa de carros de turismo.


2005: parceria com PriaulxEditar

Em 2005, Megnussen foi para o WTCC, formando dupla com Andy Priaulx, na equipe BMW Team UK, com um BMW 320i.

AtualidadeEditar

Alternando sua participação na ALMS, Magnussen continua sendo piloto de fábrica da GM. Também corre no inexpressivo Campeonato Dinamarquês de Turismo.

O filho de Jan, Kevin Magnussen, estreia em 2014 na Fórmula 1, sendo considerado um dos mais promissores esportistas da Dinamarca.

  Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.