Abrir menu principal
João António Correia
Nascimento 26 de dezembro de 1822
Porto
Morte 16 de março de 1896 (73 anos)
Porto
Cidadania Portugal
Alma mater Universidade do Porto
Ocupação pintor

João António Correia (Porto, 1822 - Porto, 1896) foi um pintor e professor português.

BiografiaEditar

Nasceu na cidade do Porto a 26 de dezembro de 1822.

Entrou como aluno voluntário na Academia Real de Marinha e Comércio, no Porto, no curso de Desenho, nos anos letivos de 1836-1837 e 1837-1838. No ano letivo seguinte, matriculou-se no 1.º ano do curso de Matemática, tendo ficado aprovado por exame final. Continuou o curso de Desenho tendo ficado aprovado e sido premiado com um desenho da réplica da estampa "Vénus ligando as asas do Amor".

Em 1839-1840 frequentou, também como aluno voluntário, a Aula de Pintura Histórica da Academia Portuense de Belas-Artes. Para além, frequentou as aulas de Anatomia Pictórica, Perspetiva Linear e Óptica, Pintura Histórica.

Na 1.ª exposição trienal de 1842 obtém o 1.º lugar no concurso trienal.

Vai para Paris, através de uma subscrição particular patrocinada por um grupo de portuenses, de onde se destacava o padre Manuel de Cerqueira Vilaça Bacelar. Nesta cidade, conviveu com o pintor Théodore Chassériau (1819-1856), o qual ajudou a preparar-se para o concurso à Escola de Belas Artes de Paris, frequentou a Academia Imperial das Belas Artes de Paris, tendo por isso contacto com as correntes artísticas que muito influenciaram a sua pintura como o classicismo, o naturalismo e o romantismo.

De volta a Portugal, em 1851, é nomeado professor substituto da Aula de Pintura Histórica da Academia Portuense de Belas-Artes. Nesta Academia e já professor (1857), introduz na Aula de Desenho Histórico, a Aula de Nu e o modelo vivo, foi ainda seu diretor entre 1882 e 1896, data da sua morte.

Foi professor de Soares dos Reis, Marques de Oliveira, Silva Porto, Henrique Pousão, e Artur Loureiro.

Pintou os retratos de Manuel de Clamouse Browne (1823?-1870), sócio-fundador da Associação Comercial do Porto e de Constantino António do Vale Pereira Cabral (1806-1873), fundador do Club Portuense, fez também pintura religiosa tendo pintado quadros para a Igreja Matriz de Valongo e Igreja de Santo Ildefonso, todavia o seu trabalho mais popular é o quadro O Negro, de 1869.

As suas obras podem ser apreciadas em vários museus e instituições nacionais, como o Museu da Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto, a Casa-Museu Fernando de Castro, a Associação Comercial do Porto, a Casa-Museu Teixeira Lopes, em Vila Nova de Gaia, o Museu Municipal de Viana do Castelo, a Casa-Museu Almeida Moreira e o Museu Grão Vasco, em Viseu, o Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra e o Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa.

Autor de imensas obras, contribuiu para a renovação do retrato da segunda metade do século XIX sendo também considerado uma figura relevante da arte portuguesa oitocentista.

Faleceu a 16 de Março de 1896, na sua casa no desaparecido Largo do Corpo da Guarda.

Ligações externasEditar