Jordi Savall

Instrumentista, regente e compositor catalão

Jordi Savall i Bernadet (Igualada, Espanha, 1 de agosto de 1941) é um gambista, regente e compositor catalão, especialista em música antiga, tendo já traduzido inúmeros manuscritos de origens várias: mourisca, turca, grega e espanhola.

Jordi Savall
Savall quan va rebre la Medalla d'Or de la Generalitat de Catalunya, 2014
Nascimento Jordi Savall i Bernadet
1 de agosto de 1941 (80 anos)
Igualada
Cidadania Espanha
Cônjuge Maria Bartels
Filho(s) Arianna Savall, Ferran Savall
Alma mater
  • Conservatório Superior de Música do Liceu
Ocupação compositor, musicólogo, maestro, gambista, professor, violoncelista
Prêmios
  • Prêmio de Música Léonie Sonning (2012)
  • Creu de Sant Jordi (1990)
  • Medalha de Ouro da Generalidade da Catalunha (2014)
  • Cavaleiro da Legião de Honra (2013)
  • Prêmio César de Melhor Música Escrita para um Filme (Tous les Matins du Monde, 1992)
  • Prize of Honor Lluís Carulla (2000)
  • Comendador das Artes e das Letras (2012)
  • Gold Medal of the Círculo de Bellas Artes (2016)
  • Medalha de Ouro do Mérito nas Belas Artes (1998)
  • Victoires de la Musique (Gestão de carreira, 2002)
  • Prêmio Nacional de Música (musical performance, 2014)
  • Prêmio Handel (2009)
  • doutor honoris causa da Universidade de Utrecht
  • doutor honoris causa da Universidade da Basileia
  • honorary doctor of the Catholic University of Louvain
  • Guardó Pau Casals (2017)
  • Medal of Honor of the Parliament of Catalonia (2003)
  • Canigó Award (2019)
  • doutor honoris causa da Universidade de Barcelona (2006)
Jordi Savall, 2007

Em 1974 formou, com a sua esposa, Montserrat Figueras — uma brilhante cantora também catalã, falecida em 2011 —, o Ensemble Hespèrion XXI, cujo esforço tende a revitalizar a música original antiga, desde o século VII.

BiografiaEditar

Savall começou a estudar música aos seis anos em Igualada. Em 1965 terminou os seus estudos superiores de música e violoncelo no Conservatório de Barcelona.

Em 1968 mudou-se para Basileia, na Suíça, com o objetivo de ampliar a sua formação na Schola Cantorum Basiliensis, reivindicando um instrumento antigo quase esquecido, a viola da gamba, e defendendo a importância da música antiga da Península Ibérica. Neste centro foi discípulo de August Wenzinger, a quem sucedeu em 1973.

Em 1970, iniciou uma carreira muito exitosa como intérprete de viola da gamba, da qual é considerado pela crítica um dos maiores intérpretes.

Entre 1974 e 1989 fundou três conjuntos, Hespèrion XX em 1974 (Hespèrion XXI desde 2000), La Capella Reial de Catalunya em 1987, e Le Concert des Nations em 1989 - conjuntos com repertórios que vão desde a Idade Média ao século XVIII, sempre interpretados com o máximo rigor histórico.

Dirigiu orquestras de prestígio como a Orquestra Gulbenkian, a Orquestra Camerata de Salzburgo, a Wiener Kammerorchester e a Philarmonia Baroque Orchestra de San Francisco.

Jordi Savall recebeu numerosas distinções durante os seus mais de 25 anos de carreira. Em 1988, foi condecorado Officier de l'Ordre des Artes et des Lettres pelo Ministério de Cultura francês; em 1990, recebeu o Prêmio Creu de Sant Jordi da Generalidade da Catalunha; em 1998, o Ministério de Cultura de Espanha outorgou-lhe a Medalha de Ouro de Belas Artes; desde 1999, é membro de honra da Konzerthaus de Viena e, em 2006, recebeu o título de Doutor honoris causa da Universidade da Catalunha.

A sua discografia, em diferentes editoras, supera a centena de gravações, pelas quais recebeu mais de cinquenta prémios internacionais. Desde 1998 edita os seus discos através da sua própria editora, a Alia Vox [1].

O seu trabalho também inclui música para banda sonora de filmes, destacando-se a do filme Todas as manhãs do mundo, de Alain Corneau, pela qual ganhou um César em 1992.

Referências

Ligações externasEditar