Abrir menu principal
José ephim midilim Academia Brasileira de Letras
Nome completo José Ephim Mindlin
Nascimento 8 de setembro de 1914
São Paulo
Morte 28 de fevereiro de 2010 (95 anos)
São Paulo
Nacionalidade Brasileiro
Ocupação Repórter, advogado, empresário, escritor e bibliófilo
Prêmios Prêmio Juca Pato (1998)

Ordem do Mérito Cultural (2006)
Grã-Cruz da Ordem do Ipiranga (2010, post-mortem)

Magnum opus No mundo dos livros

José Ephim Mindlin (São Paulo, 8 de setembro de 1914 — São Paulo, 28 de fevereiro de 2010) foi um repórter, advogado, empresário, escritor e bibliófilo brasileiro.

Índice

BiografiaEditar

Carreiras não-literáriasEditar

Filho do dentista Ephim Mindlin e de Fanny Mindlin, judeus nascidos em Odessa, na atual Ucrânia, José, ex-aluno do Colégio Rio Branco, começou a trabalhar aos 15 anos de idade como repórter no jornal O Estado de S. Paulo, o que, segundo ele, foi uma experiência muito importante para a sua formação[1]. Posteriormente, José formou-se na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo e advogou ainda por alguns anos até fundar a empresa Metal Leve, que mais tarde se tornou uma potência nacional no setor de peças para automóveis. José deixou a empresa em 1996. Posteriormente, entre outras atividades, presidiu a Sociedade de Cultura Artística.

De acordo com o jornalista Hélio Contreiras, pelo menos dois empresários se recusaram a colaborar na produção da estrutura repressiva da Operação Bandeirante, constituindo exceções: José Mindlin e Antônio Ermírio de Moraes.[2]. O documentário Cidadão Boilesen entrevista Mindlin, que descreve como se deram os fatos.

Carreira literária e bibliofiliaEditar

Após sua aposentadoria do mundo empresarial, José pode dedicar-se integralmente a uma paixão que tinha desde os 13 anos: colecionar livros raros. Seu primeiro livro foi o livro de 1740 Discours sur l'Histoire universelle (do francês: "Discurso sobre a história universal"), de Jacques-Bénigne Bossuet. Ao completar 95 anos, acumulava um acervo de aproximadamente 40 mil volumes, incluindo obras de literatura brasileira e portuguesa, relatos de viajantes, manuscritos históricos e literários (originais e provas tipográficas), periódicos, livros científicos e didáticos, iconografia e livros de artistas (gravuras). Foi então considerada a maior biblioteca pessoal e também a mais importante do País[1].

 Imortal da Academia Brasileira de LetrasEditar

Em 20 de junho de 2006, José foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras para ocupar a cadeira número 29, sucedendo a Josué Montello. Após saber da vitória na eleição, o renomado escritor declarou: "De certa forma, corôa uma vida dedicada aos livros"[3]. No mesmo ano, decidiu doar todas as obras brasileiras da vasta coleção pessoal à Universidade de São Paulo (USP)[4]. A partir de então, a biblioteca passou a ser chamada "Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin". O prédio da biblioteca, situado no campus da USP, ficou pronto em 23 de março de 2013 e é aberto ao público para visitação gratuita desde 25 de março de 2013[5][6][7].

MorteEditar

Na manhã de 28 de fevereiro de 2010, José faleceu aos 95 anos por falência múltipla de órgãos na cidade de São Paulo, após um mês internado no Hospital Albert Einstein[8]. Em 17 de março de 2010, foi condecorado post-mortem com a Grã-Cruz da Ordem do Ipiranga pelo Governo do Estado de São Paulo.[9]

Referências

  1. a b Henrique Veltman, "Mindlin, um imortal" Arquivado em 22 de maio de 2014, no Wayback Machine., Educar para Crescer, 01/03/2010. Acesso: 31 de março, 2013
  2. Jornal Opção: “Não acredito no fim dos jornais” - Jornal Opção - 12 de julho de 2012 Arquivado em 11 de setembro de 2014, no Wayback Machine., acesso: 5/9/2015
  3. "José Mindlin", Academia Brasileira de Letras
  4. "José Mindlin começa a esvaziar biblioteca", Folha Online: Ilustrada, 22/09/2008
  5. a b "José Mindlin: fascinado pela capacidade de inovar", Estadão.com.br
  6. "Brasiliana USP: A Biblioteca Mindlin na USP", Brasiliana USP
  7. "Biblioteca Brasiliana, na USP, abre hoje para público", Estadão.com.br, 25/03/2013
  8. "Morre aos 95 o bibliófilo José Mindlin", Folha Online: Ilustrada, 28/02/2010
  9. «DECRETO Nº 55.580». Portal da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. 17 de março de 2010. Consultado em 13 de março de 2018 

Ligações externasEditar