Ben Solo, que mais tarde assumiu o nome de Kylo Ren,[1][2] é um personagem do universo de Star Wars, servindo como o principal antagonista (ao lado de Palpatine) da terceira trilogia e tendo uma relação complicada com a protagonista Rey, neta do Imperador, sendo ela sua principal rival, ao mesma tempo em que eles progressivamente começam a se apaixonar um pelo outro.

Ben Solo (Kylo Ren)
Personagem fictícia de Star Wars
Kylo Ren empunhando seu sabre de luz
Nascimento 5 anos depois da Batalha de Yavin
Morte 35 anos depois da Batalha de Yavin
Origem Chandrila (com ancestralidade em Tatooine, Naboo e Corelia)
Espécie Humano
Cabelo Preto
Olhos Castanhos
Afiliações Padawan Jedi
Cavaleiros de Ren
Primeira Ordem
Família Leia Organa (mãe falecida)
Han Solo (pai falecido)
Luke Skywalker (tio falecido)
Anakin Skywalker (Darth Vader) (avô falecido)
Padmé Amidala (avó falecida)
Shimi Skywalker (bisavó falecida)
Ruwee Naberrie (bisavô)
Jobal Naberrie (bisavó)
Rey "Skywalker" (díade da Força/ interesse amoroso)
Armas Sabre de luz vermelho
Primeira aparição Star Wars: Episódio VII - O Despertar da Força
Última aparição Star Wars: Episódio IX - A Ascenção Skywalker
Interpretado por Adam Driver
Veículos Nave de comando do Kylo Ren

TIE Silencer

Star Wars The Force Awakens Kylo Ren.jpg

Foi treinado por Luke Skywalker, seu tio. Mas escolheu ir para o Lado Negro da Força, tornando-se mestre dos Cavaleiros de Ren além de aliado e, após a morte de seu antecessor e mestre Snoke, Supremo Líder da Primeira Ordem, cerca de trinta anos após a Batalha de Endor.[carece de fontes?]

Conceito e criaçãoEditar

Após a Walt Disney Company adquirir a Lucasfilm em 2012, o roteiro de The Force Awakens foi escrito por Lawrence Kasdan, J.J. Abrams e Michael Arndt, sem nenhuma participação direta de George Lucas, criador de Star Wars. De acordo com Abrams, Ren foi originalmente concebido como um representante na Primeira Ordem da admiração por Darth Vader e do Império Galáctico, que a organização nutria. Abrams disse que a Primeira Ordem foi inspirada pela teoria de ODESSA, que alega que agentes da SS fugiram para a Argentina após a Segunda Guerra Mundial.[3]

Numa entrevista para a revista Time, o figurinista de The Force Awakens, Michael Kaplan, disse que Ren foi o personagem mais difícil de se projetar para o filme. Abrams pediu que o personagem fosse criado de modo que tivesse traços que fossem marcantes para uma criança. Após inúmeras tentativas de receber a aprovação de Abrams, o design final foi escolhido, em grande parte devido ao revestimento de tecido com um estilo "espaguete" através do corpo e as linhas prateadas pela máscara. A princípio, era um vilão anônimo, mas mais tarde ganhou um nome.[4]

A jornada do personagem de Ren apresenta semelhanças com a história de Jacen Solo, do universo expandido de Star Wars (não canônico), já que Jacen também é um filho de Han Solo com Leia Organa que se torna um Jedi traidor da galáxia.[5][6]

Segundo outro membros do elenco, Adam Driver é um ator de métodos, o que significa que às vezes ele ficava nos sets como Ren e não tirava sua máscara entre as diferentes cenas. Driver explicou que seu objetivo era "esquecer que estava em Star Wars e agir como se fosse qualquer outro trabalho que está repleto de momentos e problemas", porque, da perspectiva dos personagens que vivem no mundo filme, "Darth Vader é real".[7]

HistóriaEditar

PassadoEditar

Ben Solo, filho de Han Solo e Leia Organa, era um padawan de seu tio Luke Skywalker, até se virar para o Lado Sombrio e adotar o nome de Kylo Ren. Ren nasceu alguns anos após a Batalha de Endor (que ocorreu durante o filme O Retorno de Jedi).

Desde criança Ben tinha problemas de raiva, pois não conseguia controlar seus poderes de sensitivo que se manifestavam em objetos caindo e escutando vozes. A criança se achava diferente das outras e pensava que os pais o achavam um monstro (TLJ Novel). Leia tem a certeza de que Snoke atormentou seu filho com o lado sombrio desde o ventre.

Ben Solo não sabia que era neto de Darth Vader até os 20 anos de idade, pois seus pais e tio esconderam o fato de Leia ser uma Skywalker - filha de Darth Vader e Padmé Amidala - e que o Lorde Sith era Anakin Skywalker. Ele descobriu seu parentesco com Anakin num momento de escândalo midiático e político, quando políticos do Senado da República Galáctica que eram opositores da Senadora Leia Organa expuseram a verdadeira origem da princesa de Aldeeran pela HoloNet (Bloodline Novel).

Como um adulto, cerca de anos mais tarde, ele se tornou um seguidor do Lado Sombrio da Força e um membro dos Cavaleiros de Ren, adotando Ren como seu sobrenome após seu tio Luke pensar em matar o sobrinho e padawan depois de ter uma visão dele como Kylo Ren num futuro possível. Esse ato fez a visão se tornar o futuro real - o mesmo que ocorre com as visões de Anakin sobre a morte de Padmé -, pois Ben ainda não tinha caído para o Lado Negro, mesmo Snoke atormentando o garoto e alimentando os sentimentos de abandono que o mesmo tinha desde criança. Han e Leia não sabiam como ajudar o filho com seus descontroles na Força, assim os fazendo se afastar da criança para cuidar da galáxia como generais enquanto mandavam Ben para a Ordem Jedi de Luke.

Ben chamava Lando, amigo de seu pai, de tio quando mais jovem. Sua deserção para o lado sombrio foi o principal motivo para o exílio de Luke Skywalker e a separação de seus pais. Construiu seu próprio sabre de luz,[8] um projeto perigoso e irregular ao contrário do que é um típico sabre.

Ren é obcecado pelo Lorde Sith Darth Vader, seu avô materno e uma figura poderosa do antigo Império Galáctico. Acredita-se que modelou sua aparência e comportamento a partir dele e promete terminar o que seu avô começou. Uma das motivações para a sua obsessão é o dever que ele sente para com seu falecido avô.

Ren também é conhecido por seu temperamento explosivo. Quando lidava com adversidades, ele tinha ataques de cóleras dramáticas onde ele podia atacar com seu sabre de luz qualquer coisa à vista, devastando equipamentos simplesmente para expressar sua frustração. Se pudessem, stormtroopers preferiam ficar longe do mentalmente instável Kylo Ren quando ele estava naquele estado de espírito.

Aliando-se com a Primeira Ordem, uma junta militar nascida a partir dos restos do Império Galáctico, trabalhou sob o líder da organização, Snoke, uma figura poderosa no lado sombrio e iniciou um relacionamento turbulento com o general Hux.

O Despertar da ForçaEditar

Ren deseja a destruição da Resistência, uma organização que se opôs à Primeira Ordem e que foi fundada pela sua mãe, Leia Organa.

Depois que Han planta explosivos para destruir a Base Starkiller, ele confronta Ren - chamando-o pelo seu nome verdadeiro, Ben - e implora para que ele abandone o lado sombrio, avisando-o de que Snoke o matará quando ele atingir seu objetivo de assumir o controle da galáxia. Ren diz a Han que se sente em conflito e pede ajuda ao pai, que Han promete dar; Ren então acende seu sabre de luz, empalando e matando Han. Chewbacca, enfurecido, atira em Ren, ferindo-o. Logo depois se envolve em um confronto com Finn, um ex-stormtrooper da Primeira Ordem, porém o deixou inconsciente no duelo com Rey. Quando ela estava prestes a derrotá-lo, a Base Starkiller entrou em colapso, partindo o chão e os separando. Após isso, foi completar o seu treinamento no Lado Sombrio com o seu mestre, Líder Supremo Snoke.

Os Últimos JediEditar

O conflito interno de Ren continua, particularmente através de suas conversas com Rey, com quem ele se conecta através da Força. Rey descobre com Luke por que Ben Solo se voltou para o Lado Sombrio: Luke teve uma visão da destruição que Ben causaria e ficou brevemente tentado a matá-lo enquanto o sobrinho dormia; quando Ben acordou para ver Luke com o sabre de luz empunhado, se voltou contra o tio e destruiu o templo Jedi. Rey acredita que ainda há coisas boas em Ren e resolve trazê-lo de volta ao lado da Luz.

Enquanto isso, Ren é humilhado por Snoke por não ter conseguido derrotar Rey, sendo que esta nunca havia empunhado um sabre de luz antes do confronto contra Kylo Ren na Base Starkiler, então Ren tenta provar a si mesmo liderando um ataque a uma nave estelar da Resistência. Ele hesita em destruí-la depois de sentir a presença de sua mãe, mas seus subordinados destroem a ponte da nave, quase matando Leia. Após a chegada de Rey, Ren a captura e a leva para Snoke, que a tortura para obter a localização de Luke antes de ordenar que Ren a mate. Em vez de cumprir, Ren usa a Força para acender o sabre de luz de Luke ao lado de Snoke e cortá-lo ao meio, e posteriormente mata a guarda real de Snoke com a ajuda de Rey. Depois que os guardas são mortos, Ren revela a Rey seu objetivo de criar uma nova ordem na galáxia, separada dos legados criados por Snoke e Luke, e pede que Rey se junte a ele para que juntos governarem a galáxia. Ele a força a reconhecer que seus pais a abandonaram e diz que ele é o único que realmente se importa com ela. Rey se recusa a se juntar a ele, percebendo que Ren não voltará para o lado da luz; os dois lutam brevemente pelo sabre de luz de Luke com a Força, resultando na arma quebrando ao meio e deixando ambos os guerreiros inconscientes.

Depois que Rey escapa, Ren a acusa pelo o assassinato de Snoke, força o General Hux a reconhecê-lo como o novo Líder Supremo da Primeira Ordem e ordena que suas forças ataquem a base da Resistência em Crait. Durante o ataque, Luke aparece e é fortemente atingido, e depois é atacado pessoalmente por Ren. Luke permanece em pé, revelando que ele está presente apenas como uma projeção da Força, servindo como uma distração para permitir que a Resistência escape da Primeira Ordem. Depois que Luke desaparece, a Primeira Ordem invade a base, mas a Resistência já foi evacuada. Ren compartilha um olhar final com Rey através da Força antes de Rey bater a porta da Millennium Falcon e escapar com a Resistência.

A Ascenção SkywalkerEditar

Ren costumava escutar em sua cabeça a voz de seu avô, Darth Vader, que o convencia a seguir os caminhos do Lado Sombrio, como matar seu pai, Han Solo, e assassinar seu mestre Snoke e tomar o trono da Primeira Ordem, o que em teoria o faria superar Darth Vader, que nunca chegou a tomar o trono de seu mestre, Darth Sidious. Ren, que governa como Líder Supremo da Primeira Ordem há um ano, procura na galáxia um Localizador Sith para levá-lo ao planeta Sith de Exegol, com a esperança de matar o ressuscitado Imperador Palpatine como uma demonstração de seu poder. Porém, ao chegar em Exegol, ele descobre que, além de Snoke ter sido criado por Darth Sidious, o mesmo tem sido a voz de Vader em sua cabeça, o manipulando o tempo inteiro. Palpatine promete a Ren um novo império sobre o qual Ren governará como Imperador, afirmando que ele conseguira isso através de uma enorme frota de Star Destroyers, embora ele primeiro dê a Ren a condição de que ele deve matar Rey.

Furioso por ter sido enganado e manipulado por Sidious, mas ainda cheio de ambição, Ren ficou mais determinado a trazer Rey para o Lado Sombrio, para que ambos pudessem derrotar Sidious e tomassem o poder dos Sith para para que juntos governassem a galáxia (curiosamente este foi um dos argumentos que Anakin usou para explicar seus atos a Padmé quando este foi para o Lado Sombrio: de que um dia ele derrotaria Sidious e que juntos governariam a galáxia).

Ren procura Rey pela galáxia e continua se comunicando com ela através da Força, usando essas correspondências para discernir sua localização. Ren tenta impedi-la de encontrar o outro Localizador, embora em uma de suas conversas com ela, ele diga a ela que ela tem uma parte maior da história do que ele havia pensado inicialmente e promete contar a ela toda a história pessoalmente. Quando eles finalmente se encontram cara a cara mais uma vez, Ren diz a Rey que ela é neta de Palpatine e, além disso, eles são uma díade na Força com potencial extremamente poderoso quando unidos. Ele pede a ela mais uma vez que pegue sua mão e se junte a ele para derrotar Palpatine juntos; porém no entanto Rey se recusa.

Isso faz com que ambos entrem em um intenso duelo nos destroços da Segunda Estrela da Morte, onde um quase mata o outro, estando quase completamente tomados pelo Lado Sombrio, se não fosse o sacrifício final de sua mãe, Leia (também mestra Jedi de Rey na época), que usou suas últimas forças para se comunicar com o que restou de Ben Solo, e assim impedindo que ambos se matassem, mas ela morre no processo. O duelo termina com Rey empalando Ren, que havia sido distraído por sua mãe, Leia, estendendo a mão para ele através da Força. Rey usa a Força para curar Ren e sai a bordo de sua nave, depois de lhe dizer que ela queria pegar a mão de Ben Solo, mas não a de Kylo Ren.

Abalado com a morte da mãe, tendo percebido que tinha perdido tudo, ele confronta uma projeção de seu pai, que lhe dá uma nova chance para voltar a ser Ben Solo, e ele aceita. Ele então joga seu sabre de luz no mar, renunciando ao seu papel de Líder Supremo e recuperando sua antiga identidade de Ben Solo.

Determinado a remediar todo o mal que fez a seus pais, e também porque Rey era a única pessoa que lhe restara na vida, Ben parte para Exegol, o planeta natal dos Sith, para ajudá-la a confrontar Sidious, e evitar que ela vá para o Lado Sombrio, assim como ela havia feito por ele. Rey sente sua presença e dá a ele o sabre de luz que tinha sido de seu tio Luke e de seu avô Anakin, que Ben usa para derrotar os Cavaleiros de Ren. Palpatine então sente a conexão de Rey e Ben como uma díade da Força, e absorve sua energia para restaurar um corpo inteiro para si mesmo, antes de lançar Ben em um abismo.

Porém, durante o confronto, Rey e Sidious matam um ao outro, e Ben sai do abismo e, ao encontrar o corpo de Rey, transfere sua essência de vida para ela, ressuscitando-a. Antes de partir, Ben e Rey compartilham um beijo (que espelha o beijo dos pais de Ben, Han e Leia, antes do primeiro ser congelado em carbonita), então Ben morre pacificamente nos braços de Rey, por ter esgotado toda a sua vida para salvá-la em um ato de amor e sacrifício, e ele se torna Um com a Força, terminando assim a linhagem Skywalker. Mais tarde, Rey leva seu sobrenome materno, Skywalker, para homenageá-lo e também homenagear sua mãe e tio que a orientaram.

No fim das contas, Ben acabou fazendo o que sempre disse que faria, mas não da forma como ele esperava inicialmente, que era terminar o que o avô dele tinha começado. Ele passou quase sua vida toda tentando tomar o trono da galáxia e eliminar os Jedi como Vader, mas no final, ao se redimir como Anakin fez antes dele, Ben conseguiu usar a Força para salvar sua amada da morte (objetivo no qual Anakin havia fracassado), só que ele assim o fez usando o Caminho dos Jedi, e não dos Sith.

Ator originalEditar

Referências

  1. J. J. Abrams explica um pouco da história de Kylo Ren em Star Wars Arquivado em 21 de novembro de 2015, no Wayback Machine. no Jovem Nerd. Visitado em 06/11/2015
  2. Kylo Ren em StarWars.com. Vistitado em 12/10/2015
  3. «JJ Abrams Spills Details On Kylo Ren». Empire (em inglês). Consultado em 25 de dezembro de 2015 
  4. Staff, TIME. «How Kylo Ren's Terrifying Mask Was Designed to Be Unforgettable». TIME.com. Consultado em 25 de dezembro de 2015 
  5. Bouie, Jamelle (16 de dezembro de 2015). «How The Force Awakens Remixes the Star Wars Expanded Universe». Slate (em inglês). ISSN 1091-2339 
  6. «Star Wars 7: Kylo Ren Backstory Explained». Screen Rant (em inglês). http://plus.google.com/+ScreenRant/posts. Consultado em 25 de dezembro de 2015 
  7. «'Star Wars' Strikes Back: Behind the Scenes of the Biggest Movie of the Year». Rolling Stone. https://plus.google.com/+rollingstone. Consultado em 25 de dezembro de 2015 
  8. Detalhes do sabre de luz de Kylo Ren em Star Wars: O Despertar da Força Arquivado em 22 de dezembro de 2015, no Wayback Machine. no Jovem Nerd. visitado em 04/11/2015