Abrir menu principal
Lazzo Matumbi
www.lazzomatumbi.com
Informação geral
Nome completo Lazzo Matumbi
Nascimento 25 de março de 1957
Local de nascimento Salvador, BA
Nacionalidade  Brasileiro
Gênero(s) MPB, música negra, reggae, axé, afoxé
Ocupação(ões) Cantor, compositor
Período em atividade cantor_compositor_interprete

Lazzo Matumbi é um cantor e compositor brasileiro. Interpretou "Rose" em uma homenagem a Ederaldo Gentil, no disco Pérolas Finas em 1999.[1] Lazzo, tem suas influências pela música negra, África e culturas da Bahia. Em 2015 participou do concerto "Pérolas Mistas", convidado de Carlinhos Brown com participação de Ellen Oléria e Mariene de Castro. Em março de 2019, teve um participação em Noite Inteira, primeiro single de Matriz, quinto álbum de estúdio da cantora Pitty.

Plenário do Senado (31102275441).jpg

Desde muito cedo, o músico, intérprete e compositor baiano Lazzo Matumbi costumava frequentar o dia santo de São João no bairro da Federação, mesmo bairro do Terreiro do Gantois de Mãe Menininha, na cidade de Salvador, Bahia. A música tocada nessas ocasiões ainda era o samba de roda do Recôncavo Baiano, na formação típica do samba chula com viola o pandeiro, atabaque, prato e taubinha (pedaços de madeira), e as vozes entoando cantos do dia de um trabalhador dos engenhos de cana de açúcar .

Nesse ambiente, surgiram as primeiras composições e, ao apresentar suas primeiras canções nas rodas de amigos, começou chamar a atenção pelo timbre e a beleza da sua voz. Rapidamente se tornou em uma grande revelação no meio artístico passando a ser conhecido como Lazinho (O Diamante Negro).

Em 1981 Lazzo Matumbi inicia carreira solo tendo o samba como sua fonte principal de criação, incorporando influências de ritmos como maracatu, xote, baiao e o reggae. Suas maiores inspirações são Bob Marley, Ray Charles e Marvin Gaye. Em 1991 Lazzo aceita o convite de Jimmy Cliff para abrir os shows da tournee por vários países ao redor do mundo, temporada que durou 3 anos. Durante esta parceira com Jimmy Cliff, Lazzo realiza um encontro inevitável com a Jamaica passando uma temporada na Jamaica onde dedicou-se a pesquisa do reggae, dando um mergulho ainda maior na obra do seu grande ídolo: Bob Marley. ​​​​​​​ ​​​​​​​Desta experiência Lazzo produziu um álbum com a participação de músicos jamaicanos. Lazzo Matumbi tem oito discos gravados ao longo de 37 anos de carreira e é a maior referencia na Bahia por ter uma forma peculiar de cantar influenciando toda uma geração de cantores. Carinhosamente é chamado pelos seus admiradores de “a voz da Bahia”.

DiscografiaEditar

  • 2013 - Lazzo Matumbi (Lzz Produções Artísticas)
  • 2008 - Lazzo Matumbi Ao vivo (Lzz Produções Artísticas)
  • 2002 – Do Lundu ao Axé - 100 Anos de Música Baiana
  • 2000 - Nada de Graça ((Lzz Produções Artísticas)
  • 1999 – Pérolas Finas
  • 1997 – Tropicália - 30 Anos
  • 1989 - Arte de Viver (Lzz Produções Artísticas)
  • 1988 – Afros e Afoxés da Bahia
  • 1988 - Atrás do Pôr do sol ((Lzz Produções Artísticas)
  • 1985 – Mensageiro da Alegria
  • 1985 - Filho da Terra (Pointer)
  • 1983 – Viver, sentir e amar (Pointer)
  • 1981 – Compacto simples - Obras Salve a Jamaica (lado1) e Guarajuba (lado 2) (Fermata)

Referências

  1. «Biografia no Cravo Albin». dicionariompb.com.br. Consultado em 15 de fevereiro de 2014 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre músico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.