Abrir menu principal
Natura
Empresa de capital aberto
Slogan O mundo é mais bonito com você
Cotação BM&F Bovespa: NATU3
Atividade Cosméticos
Gênero Sociedade Anônima
Fundação 1969 (50 anos)
Fundador(es) Antônio Luiz Seabra
Sede Cajamar, São Paulo, Brasil
Locais Mundo
Presidente João Paulo Ferreira [1]
Empregados 7.000 (2013)
Produtos Cosméticos, Perfumaria e Cuidados Pessoais
Subsidiárias Avon
Valor de mercado Aumento R$ 18,133 bilhões (2014)[2]
Lucro Baixa R$ 842,6 milhões (2013)
LAJIR Aumento R$ 1,609 bilhões (2013)
Faturamento Aumento R$ 7,010 bilhões (2013)[3]
Website oficial Natura.com

Natura é uma empresa brasileira que atua no setor de produtos de tratamento para o rosto, corpo, sabonetes, barba, desodorantes, óleos corporais, maquiagem, perfumaria, cabelos, proteção solar, e infantil. Fundada em 1969 por Antônio Luiz Seabra, hoje está presente no Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, México, Peru, Venezuela, França e Estados Unidos, além de outros 63 países indiretamente. O número de funcionários, chamados na empresa de "colaboradores", atingiu 7.000 em 2013[4] e o de consultoras estimado em 1,5 milhão.[5]

A Natura foi criada em agosto de 1969 por Antônio Luiz Seabra após abrir uma loja e uma pequena fábrica no bairro da Vila Mariana em São Paulo,[6] em 1974 a empresa deixou de oferecer seus produtos em lojas e passou a vendê-los no modelo de venda-direta.[7]

Em 2016, adquiriu por um valor não informado a compra da Emeis Holdings Pty Ltd, dona da rede de cosméticos australiana Aēsop.[8] Em 2017, realizou a compra da rede The Body Shop da L'Oréal, por cerca de € 1 bilhão, aumentando significantemente sua presença internacional e faturamento global.[9][10]

Em maio de 2019, a empresa anunciou ao mercado a compra da concorrente norte-americana Avon por aproximadamente US$ 3,7 bilhões (cerca de R$ 15 bilhões), criando o quarto maior grupo de beleza do mundo avaliado em US$ 11 bilhões de dólares. A operação foi realizada por meio de trocas de ações entre as duas companhias.[11]

Após a fusão com a Avon , anunciada pela Natura em 22 de maio de 2019 e que deve ser concluída até 22 de julho de 2020, a Natura assumira o posto de maior empresa de venda direta do mundo.

PerfilEditar

Em 2007, a companhia investiu cerca de 108 milhões de reais em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, consagrando-se como a empresa de cosméticos da América Latina que mais investe nessa área.[12] Para desenvolver seus produtos, as etapas de desenvolvimento e produção de seus cosméticos, a Natura não realiza desde dezembro de 2006 testes em animais e segue as mais rigorosas normas de segurança internacionais.[13] A empresa detém as certificações NBR ISO 14001 e NBR ISO 9001.[14]

A Natura abriu seu capital na Bovespa em Maio de 2004, tem suas ações listadas no Novo Mercado, o mais alto nível de governança corporativa da Bolsa de Valores de São Paulo, no dia da estreia da empresa na Bovespa, a Natura conseguiu arrecadar R$ 160 milhões.[15] Em 2014, a Natura foi a única empresa brasileira entre as cinquenta marcas de cosméticos mais valiosas do mundo, listadas pelo site Brand Finance. A empresa ficou na 17ª posição, avaliada em US$ 2 465 bilhões.[16]

A empresa trabalha com o modelo da venda direta. É por meio das consultoras e consultores Natura que os produtos chegam às mãos dos clientes.[17]

Preservação ambientalEditar

PioneirismoEditar

A Natura foi, em 1983, a primeira empresa a introduzir refis no setor de cosméticos brasileiro.[18] Em 2007 passou a fornecer aos seus consumidores produtos de carbono neutro, graças ao seu Programa Carbono Neutro, destinado a reduzir e compensar as emissões de gases geradores do efeito estufa (GEEs), desde a atividade de extração de matérias-primas até a disposição final do produto no meio ambiente.[19] No mesmo ano, foi pioneira ao disponibilizar aos seus clientes a Tabela Ambiental: um quadro informativo impresso nas embalagens dos produtos, que apresenta dados técnicos sobre as formulações e embalagens. Inspirada na tabela nutricional de produtos alimentícios, traz informações como o percentual de ingredientes de origem vegetal renovável e número recomendado de refilagens.[20]

Sua fábrica, na cidade de Cajamar, na Grande São Paulo, foi projetada com conceitos arquitetônicos que priorizam a sustentabilidade e a ampliação do convívio humano.[21] Em 2012, a Natura inaugurou o Núcleo de Inovação Natura Amazônia, como parte de um programa do MCTI, voltado exclusivamente para o desenvolvimento sustentável de região Amazônica.

Reconhecimento internacionalEditar

Em 27 de setembro 2015, a Natura recebeu o prêmio internacional Champions of the Earth 2015, na categoria "Visão Empreendedora", concedido pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), em reconhecimento ao compromisso da companhia em priorizar a sustentabilidade na sua estratégia de negócios. O prêmio é a mais alta honraria ambiental concedida pelo PNUMA, que reconhece lideranças mundiais em programas ambientais inspiradores em âmbitos de governo, negócios, pesquisa e ativistas.[22]

Estratégia de ExpansãoEditar

A Natura tem procurado diversificar seus canais e pontos de venda com o objetivo de expandir e explorar novos mercados.[23] A Natura se transformou de marca especializada em venda direta através de catálogos e consultoras de venda, à varejista de peso no mercado de cosméticos, inclusive no mercado internacional. A marca conta com seis lojas no exterior, em países como França e Estados Unidos.[24] Em 2016, a marca abriu a sua primeira loja física no shopping Morumbi, em São Paulo com o objetivo de atingir um público mais amplo e diversificado.[25] Em 2017, a nova estratégia da marca propõe a abertura de franquias para as consultoras mais antigas e de maior sucesso da marca. Assim, a empresa torna oficiais os pontos de venda informais que já existem no mercado.[26]

Referências

  1. «"Alessandro Carlucci deixa a presidência da Natura"». Exame. Consultado em 19 de Agosto de 2014 
  2. «NATU3:BM&FBOVESPA Stock Quote - Natura Cosmeticos SA». Bloomberg.com. Consultado em 10 de março de 2017 
  3. «Rel Nat 013 PRINT» (PDF) [ligação inativa]
  4. «Home» (PDF). PNUD Brasil. Consultado em 10 de março de 2017 
  5. «Em SP, Guerra faz discursos opostos sobre PSDB-DEM - Política - Estadão». Estadão 
  6. «A Natura começou distribuindo rosas, não produtos» 
  7. «História». Natura. 30 de novembro de 2015. Consultado em 1 de agosto de 2014. Arquivado do original em 8 de agosto de 2014 
  8. Estadão Conteúdo (20 de dezembro de 2016). «Natura conclui compra das ações de dona da Aesop». Exame. Consultado em 4 de julho de 2017 
  9. Reuters (26 de junho de 2017). «Natura anuncia compra de 100% da britânica The Body Shop». Época Negócios. Consultado em 4 de julho de 2017 
  10. «L'Oréal aceita aquisição da The Body Shop pela Natura». Folha de S.Paulo. 20 de junho de 2016. Consultado em 4 de julho de 2017 
  11. Maria Carolina Abe e Juliana Elias. «Natura confirma compra da Avon e cria grupo avaliado em US$ 11 bilhões». UOL Economia. Consultado em 23 maio 2019 
  12. «Consultora NATURA - Loja de CSGuedesCosmeticos». 3 de março de 2016. Consultado em 10 de março de 2017 
  13. «Posicionamento da Natura sobre testes em animais». Natura. 30 de novembro de 2015. Consultado em 1 de agosto de 2014. Arquivado do original em 8 de agosto de 2014 
  14. Administradores.com (8 de abril de 2006). «Natura acredita numa gestão empresarial socioambientalmente responsável». Administradores.com 
  15. «:: ABEVD:: Associao Brasileira de Vendas Diretas». 5 de dezembro de 2010. Consultado em 10 de março de 2017 
  16. «Natura é a única brasileira entre as marcas de cosméticos mais valiosas do mundo..». Veja Economia. 22 de abril de 2014. Consultado em 27 de Agosto de 2014 
  17. «:: ABEVD:: Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas». 2 de agosto de 2014. Consultado em 10 de março de 2017 
  18. «Saude e bem estar/natura inova refis para reduzir producao de residuos e emissao de co2». Consultado em 1 de agosto de 2014. Arquivado do original em 11 de agosto de 2014 
  19. NaturaCarbonoNeutro - Mensagem do presidente.
  20. «Votorantim e Natura vencem I Prêmio ÉPOCA de Mudanças Climáticas». 8 de dezembro de 2008. Consultado em 13 de abril de 2012 
  21. «Arquiteturas: Fábrica da Natura». Sesc São Paulo. 10 de maio de 2013. Consultado em 25 de agosto de 2013 
  22. Adm. do portal (2015). «Largest Brazilian Cosmetics Manufacturer Recognized with United Nations Top Environmental Award». PNUMA (Nações Unidas). Consultado em 1º de setembro de 2015 
  23. «Natura vai acelerar expansão de rede de franquias comandadas por consultoras - ISTOÉ DINHEIRO». ISTOÉ DINHEIRO. 18 de dezembro de 2017 
  24. «Natura abre 2º loja em Paris em plano de expansão internacional». Folha de S.Paulo 
  25. «Natura inaugura sua primeira loja física no Brasil». Negócios. 27 de abril de 2016 
  26. «Natura vai acelerar expansão de rede de franquias comandadas por consultoras - ISTOÉ DINHEIRO». ISTOÉ DINHEIRO. 18 de dezembro de 2017 

Ligações externasEditar