Abrir menu principal
Question book.svg
Esta biografia de uma pessoa viva não cita as suas fontes ou referências, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2019).
Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Leandro Fortes, jornalista, escritor e professor. Diretor-executivo da CobraCriada-#InteligênciaEmRede

Leandro Boavista Fortes (Rio de Janeiro, 18 de março de 1966) é um jornalista, professor e escritor brasileiro.

Formado pela Universidade Federal da Bahia, foi repórter, em Salvador, da Tribuna da Bahia, Jornal da Bahia e TV Itapoan. Em Brasília, atuou no Correio Braziliense e nas sucursais de O Estado de S.Paulo, Zero Hora, Jornal do Brasil, O Globo, revista Época, TV Globo e CartaCapital.

Na Radiobrás (atual EBC), foi chefe da Agência Brasil e comentarista da Voz do Brasil, da Rádio Nacional.

É criador do curso de jornalismo on line do Senac do Distrito Federal, diretor da Escola Livre de Jornalismo e foi professor do curso de Jornalismo do Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB).

É criador da Agência PT de Notícias e coordenou as redes sociais do Partido dos Trabalhadores, durante a campanha eleitoral de 2014.

Atualmente, é sócio-diretor da agência digital CobraCriada - #InteligênciaEmRede, empresa especializada em criação de sistemas de comunicação via redes sociais.

É autor dos livros "Cayman: o dossiê do medo" (2002, Editora Record), "Fragmentos da Grande Guerra" (2004, Editora Record), "Jornalismo investigativo" (2005, Editora Contexto), "O Brasil no contexto" (co-autor, 2007, Editora Contexto), "Políticos ao entardecer" (co-autor, 2007, Editora Cultura) e "Os segredos das redações" (2008, Editora Contexto). Pela Editora Senac-DF, publicou os livros "Beirute - Aromas, Amores e Sabores" (2004), "O Bistrô de Alice" (2005), "Gula D'África" (2007) e “Louco por café” (2009).

Referências

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar