Lista de episódios censurados de Pokémon

artigo de lista da Wikimedia

O anime Pokémon, que estreou no Japão em 1 de abril de 1997, teve mais de 1.000 episódios exibidos em 2018. Por várias razões, alguns foram retirados ou não foram reexibidos em certos países, enquanto outros foram alterados ou completamente banidos.

Episódios banidos mundialmenteEditar

"Dennō Senshi Porygon" (Episódio 38)Editar

 Ver artigo principal: Dennō Senshi Porygon

"Dennō Shi Porygon" (でんのうせんしポリゴン, Dennō Senshi Porigon, traduzido como "Cyber Soldado Porygon" ou "Soldado Elétrico Porygon") foi ao ar apenas uma vez na TV Tokyo no Japão em 16 de dezembro de 1997, às 18:30 (Horário padrão do Japão, UTC+9).[1] No final do episódio, em uma cena em que Pikachu usa um choque do trovão destrutivo para parar um míssil cibernético, uma explosão pisca luzes vermelhas e azuis rapidamente.[2] Embora flashes vermelhos e azuis tenham sido mostrados no início do episódio, uma técnica chamada "paka paka" tornou essa cena especialmente intensa;[1] esses flashes eram luzes estroboscópicas extremamente brilhantes, com piscadas a uma taxa de cerca de 12 Hz por cerca de 5 segundos em tela quase inteira e, em seguida, por 2 segundos em tela inteira total.[3]

Nesse ponto, alguns espectadores reclamaram de visão embaçada, dores de cabeça, tontura e náusea.[2][4] Apreensões, cegueira temporária, convulsões e perda de consciência também foram relatados. 685 espectadores, sendo 310 meninos e 375 meninas, foram levados a hospitais por ambulâncias.[2][5] Embora muitos tenham se recuperado durante a viagem de ambulância, mais de 150 espectadores foram internados em hospitais.[2][5] Duas pessoas permaneceram hospitalizadas por mais de duas semanas.[5] Outros tiveram convulsões enquanto assistiam a reportagens que reexibiam trechos da cena.[4] Uma fração das 685 crianças tratadas foi diagnosticada com epilepsia fotossensível.[6]

A notícia do incidente se espalhou rapidamente pelo Japão. Em 17 de dezembro, um dia após a transmissão, a TV Tokyo pediu desculpas à população japonesa, suspendeu o programa e disse que investigaria a causa dos ataques.[2] Oficiais agindo sob ordens da Agência Nacional de Polícia interrogaram os produtores da animação sobre o conteúdo e processo de produção.[1] O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar realizou uma reunião de emergência para discutir o caso com especialistas e coletar informações de hospitais. A série foi cancelada temporariamente.[2]

Estudos posteriores mostraram que 5–10% dos espectadores tinham sintomas leves que não precisavam de tratamento hospitalar.[7] Aproximadamente 12.000 crianças relataram sintomas leves, mas eles se assemelhavam mais aos sintomas de uma doença psicogênica em massa do que a uma grande convulsão.[2][8] Um estudo que acompanhou 103 pacientes ao longo de três anos descobriu que a maioria dos telespectadores não teve mais convulsões.[9] Os cientistas acreditam que as luzes piscantes desencadearam ataques de fotossensibilidade em que estímulos visuais podem causar alteração da consciência. Embora cerca de 1 em 4.000 pessoas sejam suscetíveis a esses tipos de convulsões, o número de pessoas afetadas por essa transmissão foi sem precedentes.[5]

Após a exibição de "Dennō Senshi Porygon", o anime Pokémon teve um hiato de quatro meses. O logotipo do círculo vermelho da TV Tokyo e o texto Chu! (チュッ!) foi removido dos créditos de abertura e finais, o flash foi removido do segmento Quem é esse Pokémon? (だれだ?, Dare da?) no Japão, e a emissora apenas reprisou os primeiros 37 episódios de Pokémon até seu retorno em 16 de abril de 1998.[10][11] Após o hiato, o dia de exibição mudou de terça para quinta-feira. O tema de abertura foi refeito, telas pretas mostrando vários Pokémon em holofotes foram divididas em quatro imagens por tela, e a animação de abertura omitiu o logotipo da TV Tokyo e o texto Chu!. O segmento Quem é esse Pokémon? foi refeito, começando com uma tela preta sem o flash e continuando na tela azul sem o flash. Antes do incidente, a abertura mostrava uma imagem Pokémon por tela, terminando com o logotipo do círculo vermelho da TV Tokyo e o texto Chu!, e um flash no segmento Quem é esse Pokémon?.[12] Antes da volta da transmissão, foi exibido um programa intitulado "Relatório de Verificação de Problemas do Anime Pokémon" (アニメ ポケットモンスター問題検証報告, Anime Poketto Monsutā Mondai Kenshō Hōkoku). Transmitido no Japão em 11 de abril de 1998, a apresentadora Miyuki Yadama pediu mais uma vez, em nome da emissora, desculpas pelo incidente, falou sobre as circunstâncias do formato do programa e os avisos na tela no início dos programas animados, além de mostrar cartas e desenhos de fãs enviados pelos espectadores, a maioria dos quais estavam preocupados de que o incidente levasse ao cancelamento do anime.[12] Depois que o episódio foi ao ar, episódios anteriores que tivessem efeitos semelhantes aos da convulsão foram editados (especialmente os lançamentos não-japoneses).

"Dennō Senshi Porygon" foi o quinto episódio a ser banido na Coreia do Sul devido a flashes de luz. Este foi o 38º episódio da série original japonesa.

Por causa deste episódio, seu horário foi substituído por Class King Yamazaki (学級王ヤマザキ, Gakkyūōyamazaki).

Episódios não-exibidosEditar

"Battle of the Quaking Island! Dojoach vs. Namazun!!" (Episódio 377)Editar

Em "Batalha da Ilha Quaking! Dojoach (Barboach) vs. Namazun (Whiscash)!!" Ash Ketchum acabou de terminar o ginásio da cidade de Mossdeep, e seu próximo objetivo é o ginásio final da cidade de Sootopolis. Ash e seus amigos viajam em direção à Ilha Jojo no caminho e são pegos por um terremoto causado por Whiscash. Eles então conhecem um treinador Pokémon chamado Chōta.

O episódio foi originalmente programado para ir ao ar no Japão em 4 de novembro de 2004, mas foi pulado devido às semelhanças do episódio com o terremoto de Chūetsu em 23 de outubro de 2004. O episódio foi adiado posteriormente, mas foi pulado em ordem de rotação e eventualmente interrompido. Enquanto a maioria dos outros episódios não foram dublados para lançamento em inglês ou retirados das rotações de distribuição em inglês, este episódio de Pocket Monsters Advanced Generation foi o segundo episódio que não foi ao ar fora do Japão, e o primeiro episódio não foi ao ar no Japão. Desde então, o movimento de terremoto ao lado de movimentos semelhantes, como Fissura e Magnitude, não foram usados no anime. Este foi o 377º episódio da série de anime Pokémon.

"Team Rocket vs. Team Plasma!" (Episódios 682 e 683)Editar

Ash tenta resolver um problema em que um grupo de Venipede invadem a cidade e também, acaba se encontrando com a Equipe Rocket, em que Giovanni estava tentando fazer aparecer a outra organização, a Equipe Plasma. Seriam os episódios 683 e 684. Com um terremoto que houve no Japão, não houve exibição do episódio e a TV Tokyo não voltou atrás para exibir os episódios duplos.

Episódios banidos fora da ÁsiaEditar

Episódios removidos pela 4Kids EntertainmentEditar

"Beauty and the Beach" (Episódio 18)Editar

"Beauty and the Beach" é o 18º episódio da série original japonesa. Foi o primeiro episódio a ser originalmente pulado pela 4Kids Entertainment após a transmissão americana original da série até 2000. Em 24 de junho de 2000, uma versão em inglês do episódio foi ao ar no canal Kids 'WB como "Beauty and the Beach".

Neste episódio, todas as personagens femininas entram em um concurso de beleza. A Equipe Rocket também entra, com James vestindo um traje com seios infláveis. Uma cena do episódio envolve James exibindo seus seios artificiais para um efeito humorístico, provocando Misty dizendo: "Talvez, um dia, quando você for mais velha, você terá um peito como este!" e em uma cena, ele incha os seios até o dobro do tamanho original. Quando foi dublado e exibido em 2000, todas as cenas de James de biquíni (cerca de 40 segundos) foram editadas. Há uma série de outras cenas sexualizadas, como uma em que Ash e Brock ficam surpresos ao ver Misty de biquíni e outra em que um homem mais velho parece se sentir atraído por ela. Além disso, todo o texto em japonês nas placas, etc. permanece intacto neste episódio, ao contrário de outros episódios da primeira temporada em que foi substituído digitalmente por texto em inglês.

A Lenda de Dratini (Episódio 35)Editar

O episódio 35, "Miniryu no densetsu" (ミニリュウの伝説?), "A Lenda de Dratini", nos Estados Unidos, "The Legend of Dratini" foi o segundo episódio a ser pulado pela 4Kids Entertainment, e o primeiro episódio que nunca foi ao ar em qualquer formato dublado. Este foi o 35º episódio da série original japonesa.

Este episódio foi proibido em quase todos os países fora do Japão, em grande parte devido ao uso frequente de armas de fogo. Uma cena em particular envolve o diretor do safári, Kaiser, apontando um revólver para Ash e perguntando se ele quer levar um tiro. Também nesse episódio, há uma cena em que Meowth aparece com um bigode semelhante ao de Adolf Hitler. A ausência deste episódio leva a problemas de continuidade, já que Ash captura 29 Tauros neste episódio, com um 30 vindo de Brock usando uma de suas Bolas Safari. Os Tauros aparecem em episódios posteriores e são usados em torneios por Ash, e apenas um episódio alude de onde eles vieram.

Dratini teve que esperar até o episódio 251, Beauty is Skin Deep para ser finalmente visto fora do Japão pela primeira vez.

Caverna de Gelo (Episódio 252)Editar

"Kōri no Dōkutsu!?" (氷の洞窟!?), traduzindo, "A Caverna de Gelo" no Brasil e nos Estados Unidos: "Ice Cave", é um episódio de número 252 da quinta temporada do anime que não foi exibido. Nele, o Pokémon Jynx participa do episódio. Este episódio, foi banido com a "justificativa" de que durante a travessia da Caverna de Gelo, Brock fica com febre e então, uma Jynx fica para cuida-lo. Durante a febre, ele teve uma alucinação e pensa que a Jynx é a Enfermeira Joy. Iludido, beija o Pokémon. Os americanos acham que uma cena de um beijo entre um humano e um Pokémon, uma cena inapropriada. Então, decidiram banir o episódio. Mas, alguns fãs alegam que o real motivo do banimento seja apenas a presença do Pokémon Jynx, que foi considerado uma conotação racista pelo ocidente por lembrar uma mulher negra, pela sua cor de pele e lábios grossos (o que forçou a Game Freak mudar o seu design, trocando a sua cor de preta para roxa nos episódios futuros). Em Portugal, foi exibido fora da ordem original.

Episódios temporariamente retirados nos Estados Unidos após os ataques de 11 de setembroEditar

Esses episódios foram temporariamente removidos após os ataques de 11 de setembro por conter destruição de edifícios, ou alusão ao nome e/ou armas no episódio.[carece de fontes?]

Tentacool & Tentacruel (Episódio 19)Editar

Este episódio foi temporariamente retirado da rotação após os ataques de 11 de setembro de 2001, principalmente por causa das semelhanças entre os ataques e o ataque de Tentacruel à cidade. A personagem Nastina também usou armas de estilo militar durante as cenas de luta do episódio. No entanto, Tentacruel batendo em um prédio não foi removido do tema de abertura da dublagem, e o episódio foi lançado nos Estados Unidos em DVD. O episódio foi ao ar um mês após os ataques de 11 de setembro, e não foi ao ar nos Estados Unidos novamente até que a série começou a ir ao ar no Cartoon Network e Boomerang. Também não foi mostrado por um curto período de tempo em 2005 após o furacão Katrina, pois retrata uma cidade inundada debaixo d'água. O episódio teve sua exibição normal no Brasil e em Portugal.[carece de fontes?]

A Torre do Terror (Episódio 23)Editar

Este episódio foi temporariamente retirado após os ataques de 11 de setembro devido ao seu título, que aludia aos ataques terroristas. Desde então, foi ao ar normalmente do episódio. O episódio apresenta Ash e seus amigos viajando para Lavender Town para capturar um Pokémon Fantasma na Torre Pokémon. Ash Ketchum e seu Pokémon, Pikachu, "morreram" durante este episódio e assombraram seus amigos com o Pokémon do tipo fantasma Gastly, Haunter e Gengar, antes que seu espírito voltasse para seu corpo vivo e voltasse à vida. Embora o episódio em questão não tenha semelhanças com os ataques de 11 de setembro, o episódio provavelmente foi retirado devido ao título. No Brasil e em Portugal, foi exibido normalmente.[carece de fontes?]

Referências

  1. a b c Wudunn, Sheryl (18 de dezembro de 1997). «TV Cartoon's Flashes Send 700 Japanese Into Seizures». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 2 de agosto de 2021 
  2. a b c d e f g Radford, Benjamin. «Pokémon Panic of 1997». Skeptical Inquirer. Consultado em 2 de agosto de 2021. Arquivado do original em 19 de março de 2008 
  3. Takahashi, Takeo; Tsukahara, Yasuo (1998). «Pocket Monster incident and low luminance visual stimuli: Special reference to deep red flicker stimulation». Pediatrics International (em inglês) (6): 631–637. ISSN 1442-200X. doi:10.1111/j.1442-200X.1998.tb02006.x. Consultado em 2 de agosto de 2021 
  4. a b «Japanese cartoon triggers seizures in hundreds of children». CNN. 17 de dezembro de 1997. Consultado em 2 de agosto de 2021 
  5. a b c d «Pokemon on the Brain». Neuroscience for Kids. Consultado em 2 de agosto de 2021 
  6. «Did an Episode of 'Pokemon' Cause Seizures in Children?». Snopes.com (em inglês). Consultado em 2 de agosto de 2021 
  7. Takahashi, T.; Tsukahara, Y. (dezembro de 1998). «Pocket Monster incident and low luminance visual stimuli: special reference to deep red flicker stimulation». Acta Paediatrica Japonica: Overseas Edition (6): 631–637. ISSN 0374-5600. PMID 9893306. doi:10.1111/j.1442-200x.1998.tb02006.x. Consultado em 2 de agosto de 2021 
  8. Radford, B.; Bartholomew, R. (fevereiro de 2001). «Pokémon contagion: photosensitive epilepsy or mass psychogenic illness?». Southern Medical Journal (2): 197–204. ISSN 0038-4348. PMID 11235034. Consultado em 2 de agosto de 2021 
  9. Ishiguro, Yoshiko; Takada, Hiroyuki; Watanabe, Kazuyoshi; Okumura, Akihisa; Aso, Kosaburo; Ishikawa, Tatsuya (abril de 2004). «A follow-up survey on seizures induced by animated cartoon TV program "Pocket Monster"». Epilepsia (4): 377–383. ISSN 0013-9580. PMID 15030500. doi:10.1111/j.0013-9580.2004.18903.x. Consultado em 2 de agosto de 2021 
  10. «10th Anniversary of Pokemon in Japan». Anime News Network (em inglês). Consultado em 2 de agosto de 2021 
  11. Hamilton, Robert (2002). «Empire of Kitsch: Japan as Represented in Western Pop Media». Bad Subjects. Consultado em 2 de agosto de 2021. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2012 
  12. a b «ポケモン騒動を検証する». TVアニメ資料館 (em japonês). Consultado em 2 de agosto de 2021. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2008