Abrir menu principal

Esta é uma lista de museus do estado do Acre, na Região Norte do Brasil, organizados por município e apresentados em ordem alfabética. A história da museologia no Acre é relativamente recente, tendo como marco inicial a criação do Museu da Borracha, em 1978, por ocasião da comemoração do centenário da migração nordestina para o estado. Não obstante, o Acre é hoje a unidade federativa com maior porcentagem de municípios dotados de museus na Região Norte e possui a segunda melhor relação de número de habitantes por museu do país, atrás apenas do Rio Grande do Sul. Segundo dados do Cadastro Nacional do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o Acre possui hoje 23 instituições museológicas, divididas por seis municípios. A capital do estado, Rio Branco, concentra a maior parte dos museus (catorze, ou 60,9% dos museus acrianos). A lista engloba, além de museus stricto sensu, os acervos públicos, centros científicos, espaços culturais e reservas naturais em conformidade com a definição de museu do International Council of Museums (ICOM).[1]

Índice

MunicípiosEditar

Cruzeiro do SulEditar

Imagem Instituição Natureza administrativa Ano de criação Tipologia do acervo Outras informações
  Museu de Cruzeiro do Sul Público (Estadual) 2006 Antropologia e etnografia; arqueologia; artes visuais; ciências naturais e história natural; história O museu está instalado em um edifício da década de 1940, que já sediou a prefeitura da cidade e o Teatro José de Alencar. Abriga em seu interior o Memorial José Augusto de Araújo, dedicado ao primeiro governador do Acre eleito por voto popular, cujo mandato foi cassado em 1964, por ocasião do golpe militar.[2][3]
  Parque Nacional da Serra do Divisor Público (Federal) 1989 Localizado na fronteira entre o Brasil e o Peru, possui extensão superior a 800 mil hectares, abrangendo, além de Cruzeiro do Sul, os municípios de Mâncio Lima, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter e Rodrigues Alves.[3][4]

Manoel UrbanoEditar

Imagem Instituição Natureza administrativa Ano de criação Tipologia do acervo Outras informações
  Parque Estadual Chandless Público (Estadual) 2004 Possui 695.303 hectares, distribuídos entre os municípios de Manuel Urbano, Sena Madureira e Santa Rosa do Purus.[3][5]

Porto AcreEditar

Imagem Instituição Natureza administrativa Ano de criação Tipologia do acervo Outras informações
  Sala Memória de Porto Acre Público (Estadual) 1991 História O museu está sediado no edifício da antiga Igreja Nossa Senhora de Nazaré, erguida na década de 1940.[3][6]

Rio BrancoEditar

Imagem Instituição Natureza administrativa Ano de criação Tipologia do acervo Outras informações
  Biblioteca da Floresta Público (Estadual) 2007 Antropologia e etnografia; arqueologia; artes visuais; história; imagem e som Abriga exposições permanentes sobre os povos indígenas do Acre, o zoneamento ecológico e econômico e a história de Chico Mendes. O acervo bibliográfico é especializado na história da Amazônia e do Acre.[3][7]
Casa de Memória Daniel Pereira de Mattos Particular (Entidade religiosa) 1995 Antropologia e etnografia; arqueologia; artes visuais; história; imagem e som Sediada em uma réplica da antiga residência de Daniel Pereira de Mattos, fundador do "Centro Espírita e Culto de Oração Casa de Jesus - Fonte de Luz". A instituição conserva um acervo documental com mais de 18.000 itens, além de 3.000 fotografias e negativos, relativos à história do fundador e do culto do Santo Daime.[3][8]
  Casa dos Povos da Floresta Público (Estadual) 2001 Antropologia e etnografia; arqueologia; artes visuais; história; imagem e som; virtual O espaço abriga um acervo permanente sobre a história e a cultura dos povos indígenas do Acre, dos povos ribeirinhos e dos seringueiros, bem como sobre as manifestações folclóricas regionais. É equipado com sala de projeção, biblioteca e salas para exposições temporárias.[3][9]
Centro Cultural do Tribunal de Justiça do Acre Público (Estadual) 2008 Artes visuais; história; imagem e som Localiza-se no Palácio da Justiça, antiga sede do poder judiciário no estado do Acre, inaugurado em 1957 e tombado como patrimônio do estado em 2002. Abriga em seu interior o Museu Histórico do Poder Judiciário do Estado do Acre.[3][10]
Espaço Memória da Justiça Eleitoral Público (Estadual) 2011 História; imagem e som Localizada na sede do Tribunal Regional Eleitoral do Acre, a instituição conserva um acervo relacionado à evolução do processo eleitoral no estado.[11]
Laboratório de Pesquisas Paleontológicas da Universidade Federal do Acre Público (Federal) / Universitário 1983 Ciências naturais e história natural O Laboratório de Pesquisas Paleontológicas da Universidade Federal do Acre conserva um dos mais importantes acervos fósseis da Amazônia Ocidental, amealhado através de pesquisas e coletas realizadas a partir da década de 1970. A coleção abrange mais de 5.000 peças.[3][12]
  Memorial Chico Mendes Público (Estadual) 1996 História Localizado no interior do Parque Ambiental Chico Mendes, área verde de 53 hectares em meio à mancha urbana de Rio Branco, o memorial é equipado com objetos e materiais relacionados à história de Chico Mendes e da atividade seringalista.[13]
  Memorial dos Autonomistas Público (Estadual) 1999 Artes visuais; história; imagem e som Possui acervo especializado na história da Revolução Acriana. Abriga os túmulos do líder do movimento autonomista, José Guiomard dos Santos, e de sua esposa, Lídia Hames. Anexo ao Memorial, encontra-se o Teatro Hélio Melo, com capacidade para 150 pessoas.[3][14]
  Museu da Borracha "Governador Geraldo Mesquita" Público (Estadual) 1978 Antropologia e etnografia; arqueologia; artes visuais; história; imagem e som É a mais antiga instituição museológica do Acre, e conserva um dos mais relevantes, numerosos e diversificados acervos do estado, particularmente importante no segmento referente à memória da economia seringalista na Região Norte.[1]
Museu da Luz Misto (Empresa federal de economia mista e instituição privada) 2006 História; imagem e som Mantida pela Eletroacre, distribuidora do sistema operado pela Eletrobrás, foi inaugurado por ocasião das comemoração do 39º aniversário da empresa. Está sediado na Usina Fontenele de Castro, onde foram instaladas as primeiras máquinas de geração de energia elétrica para Rio Branco. Atualmente, o museu está fechado para reforma e não há previsão para reabertura.[3][15]
  Museu do Palácio Rio Branco Público (Estadual) 2002 Antropologia e etnografia; arqueologia; artes visuais; ciências naturais e história natural; história; imagem e som; virtual Localizado no Palácio Rio Branco, sede do governo do Acre, tombado pelo patrimônio estadual desde 2005. A construção do palácio, projetado pelo arquiteto alemão Alberto Massler, foi iniciada na década de 1920. A inauguração ocorreu em 1930, mas a conclusão das obras só se deu em 1948. O museu apresenta objetos históricos, fotografias e documentos sobre a história do Acre.[3][16]
Museu Seringal Capitão Ciríaco Público (Municipal) 1994 História; imagem e som Localizado no interior do Parque Capitão Ciríaco. O local, com 4,6 hectares de área, pertenceu ao capitão Ciríaco Joaquim de Almeida, um dos líderes da Revolução Acriana. É dotado de diversos equipamentos culturais, dedicados à história e à cultura do Acre e ao surgimento da cidade de Rio Branco. Também abriga a sede da Fundação Garibaldi Brasil.[3][17]
Museu Universitário da Universidade Federal do Acre Público (Federal) / Universitário 2008 Artes visuais; ciências naturais e história natural; história; imagem e som O museu, em processo de implantação, foi criado para reunir os acervos históricos, artísticos e científicos sob guarda da Universidade Federal do Acre. O acervo base é composto por onze coleções distintas, somando mais de 400 mil itens - incluindo a coleção de documentos raros do Centro de Documentação Histórica da UFAC (CDH), o acervo do Centro de Paleontologia e o Herbário (com mais de 12 mil espécies catalogadas).[3][18]
Parque Zoobotânico da Universidade Federal do Acre Público (Federal) / Universitário 1979 Ciências naturais e história natural Localizado no campus da UFAC, o Parque Zoobotânico ocupa uma área de 144 hectares, sendo a maior área verde dentro do perímetro urbano da cidade de Rio Branco. Possui a maior coleção botânica do estado, com mais de 30 mil espécies vegetais catalogadas em seu herbário e outras 20 mil aguardando inclusão no catálogo. A fauna é composta, majoritariamente, por pequenos mamíferos, répteis, anfíbios e aves. O parque produz, em média, 30 mil mudas por ano.[3][19]
Sala Memória Bacurau Particular 2006 Antropologia e etnografia; artes visuais; história; imagem e som A instituição conserva documentos, fotografias e objetos relacionados à história do líder comunitário Francisco Augusto Vieira Nunes, o Bacurau, e de sua militância em prol da eliminação da hanseníase e do preconceito contra portadores da patologia.[3][20]

Sena MadureiraEditar

Imagem Instituição Natureza administrativa Ano de criação Tipologia do acervo Outras informações
  Museu de Sena Madureira Público (Estadual) 2004 Arqueologia; artes visuais; história O museu está instalado em um edifício erguido em 1947, por iniciativa da Legião Brasileira de Assistência, ao lado do Instituto Santa Juliana, com o objetivo de abrigar órfãos carentes do município.[3][21]

XapuriEditar

Imagem Instituição Natureza administrativa Ano de criação Tipologia do acervo Outras informações
  Casa de Chico Mendes Privado (Fundação) 1992 História; imagem e som Casa histórica onde Chico Mendes residiu durante seus últimos anos de vida, também local de seu assassinato. É o único bem tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Acre.[3][22]
Centro de Memória Chico Mendes Privado (Fundação) 1992 História; imagem e som O centro integra um complexo de espaços dedicados à vida de Chico Mendes, do qual fazem parte ainda a casa onde ele viveu e um memorial aos seringueiros, mantidos pelo Instituto Chico Mendes em parceria com o governo do estado.[3][23]
  Museu Casa Branca Público (Municipal) 2005 Artes visuais; história; imagem e som Encontra-se instalado na antiga sede da intendência boliviana, tombada pelo patrimônio municipal desde 1985.[3][24]
  Museu do Xapury Público (Estadual) 2005 Antropologia e etnografia; arqueologia; artes visuais; história Localiza-se em um edifício erguido em 1927 para abrigar a prefeitura municipal.[3][25]

Museus extintos, incorporados e renomeadosEditar

Imagem Instituição Município Funcionamento Situação do museu Outras informações
Casa do Seringueiro Rio Branco ?-2001 Extinto Extinto em 2001.[26]
Sala Hélio Melo Rio Branco 1990-? Extinto

Museus em implantaçãoEditar

Imagem Instituição Município Natureza administrativa Data provável de abertura Outras informações
Museu de Paleontologia Rio Branco Público (Municipal) Não há[26]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b «Museus em Números - Volume 2» (PDF). Instituto Brasileiro de Museus. Consultado em 6 de abril de 2014 
  2. «História do Juruá - Memorial José Augusto resgata trajetória de governador apaixonado pelo Acre». Página 20. Consultado em 6 de abril de 2014 
  3. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u «Guia dos Museus Brasileiros - Região Norte» (PDF). Instituto Brasileiro de Museus. Consultado em 6 de abril de 2014 
  4. «Parque Nacional da Serra do Divisor». AmbienteBrasil. Consultado em 6 de abril de 2014 
  5. «Parque Estadual do Chandless: o desafio de se manter uma floresta em pé». Agência de Notícias do Acre. Consultado em 6 de abril de 2014 
  6. «Porto Acre: berço da Revolução Acreana». Página 20. Consultado em 6 de abril de 2014 
  7. «Quem Somos». Biblioteca da Floresta. Consultado em 12 de abril de 2014 
  8. «A história da "Barquinha" em páginas». Página 20. Consultado em 7 de abril de 2014 
  9. «Ministra Marina Silva inaugura Casa dos Povos da Floresta». Página 20. Consultado em 7 de abril de 2014 
  10. «ASMAC prestigia solenidade de inauguração do Centro Cultural do TJ». Asmac. Consultado em 12 de abril de 2014 
  11. «Museu mostra a história da Justiça Eleitoral no Acre». G1 Acre. Consultado em 12 de abril de 2014 
  12. «Laboratório de Pesquisas Paleontológicas da UFAC - Histórico». Universidade Federal do Acre. Consultado em 7 de abril de 2014 
  13. «Rio Branco: Visita ao Parque Ambiental Chico Mendes». Portal do Governo do Acre. Consultado em 5 de julho de 2016 
  14. «Memorial dos Autonomistas». Portal do Governo do Acre. Consultado em 7 de abril de 2014 
  15. «Eletroacre completa 39 anos com solidez». Página 20. Consultado em 12 de abril de 2014 
  16. «Palácio Rio Branco». Portal do Governo do Acre. Consultado em 7 de abril de 2014 
  17. «Parque Capitão Ciríaco». Portal do Governo do Acre. Consultado em 12 de abril de 2014 
  18. «Ufac cria o primeiro museu de ciência do Estado». Página 20. Consultado em 12 de abril de 2014 
  19. «Parque Zoobotânico no Acre é referência em estudos ambientais». G1 Acre. Consultado em 12 de abril de 2014 
  20. «Reinaugurada Sala Memória Francisco Bacurau». Prefeitura de Rio Branco. Consultado em 7 de abril de 2014 
  21. «Museu de Sena Madureira». Senamad. Consultado em 12 de abril de 2014 
  22. «Casa de Chico Mendes». Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Consultado em 13 de abril de 2014 
  23. «Centro preserva memória de Chico Mendes em Xapuri, AC». G1 Acre. Consultado em 13 de abril de 2014 
  24. «Museu Casa Branca». Portal do Governo do Acre. Consultado em 13 de abril de 2014 
  25. «Museu do Xapury». Fundação Joaquim Nabuco. Consultado em 13 de abril de 2014 
  26. a b «Guia dos Museus Brasileiros - Museus extintos, incorporados e renomeados, museus em implantação e museus virtuais» (PDF). Instituto Brasileiro de Museus. Consultado em 13 de abril de 2014 

Ligações externasEditar