Lucídio Vimaranes

Lucídio Vimaranes (morto em Guimarães, 922), filho de Vímara Peres,[1][2][a] foi um nobre do Condado Portucalense de que foi o 2.º Conde. O rei Afonso III entregou-lhe o governo do condado após a morte de seu pai, em conjunto com o conde Hermenegildo Guterres o qual, após a sua morte, foi sucedido por seu filho Guterre Mendes.[2] O Conde Hermenegildo Gonçalves sucedeu-lhe no governo do condado.[3]

Lucídio Vimaranes
Conde do Condado Portucalense
Predecessor Vímara Peres
Sucessor Hermenegildo Gonçalves
Cônjuge Gudilona Mendes
Nome completo Lucídio Vimaranes
  Guimarães
Morte 922
  Guimarães
Pai Vímara Peres

Matrimónio e descendênciaEditar

Casou com Gudilona Mendes,[4] filha de Hermenegildo Guterres,[a] conde de Portugal (842 - 920) e de Ermesenda Gatones, filha de Gatón de Bierzo conde em Astorga e O Bierzo e de Egilona, de quem teve:

  • Tedon Lucides, o pai de Rodrigo Tedones ou Tetones, esposo de Leodegúndia Dias, filha do conde Diogo Fernandes e Onecca.[4]
  • Bermudo Lucides, um dos presores de Dume em 911.[4]

Ver tambémEditar

NotasEditar

[a] ^ "Este parentesco não consta expressamente de nenhuma fonte, mas é reconhecido por todos os historiadores. Com efeito o patronímico, a raridade do nome Vímara, o título e a sua acção como presor são elementos suficientes para o admitir".Cfr. Mattoso (1970), p. 11.
[b] ^ No entanto, Mattoso diz que a filiação de Gudilona não está documentada.

Referências

  1. Mattoso 1970, p. 11.
  2. a b Sáez 1947, p. 21.
  3. Mattoso 1982, p. 20.
  4. a b c Mattoso 1970, p. 12.
  5. Mattoso 1970, p. 14.

BibliografiaEditar

Precedido por
Vímara Peres
Conde de Portucale
873
Sucedido por
Hermenegildo Gonçalves
  Este artigo sobre figuras históricas de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.