Manuela Rey

María Manuela Ramona Rey González, também conhecida como Manuela Lopes Rey (Mondonhedo, 1 de outubro de 1842Lisboa, 26 de fevereiro de 1866), foi uma atriz de teatro galego-portuguesa.

Manuela Rey
Nascimento 1 de outubro de 1842
Mondonhedo
Morte 26 de fevereiro de 1866
Lisboa
Sepultamento Cemitério dos Prazeres
Cidadania Espanha, Portugal
Ocupação atriz de teatro
Causa da morte tifo

BiografiaEditar

Foi a mais velha dos oito filhos de Andrés Rey Expósito e Francisca González, que se casaram após o nascimento de Manuela, em março de de 1843.[1] Segundo o livro Manuela Lopes Rey, número três da coleção Os contemporaneos, editado em 1867, Manuela foi entregue em adoção para uma família que fazia parte de uma companhia dramática itinerante. Posteriormente mudou-se quando jovem para Portugal. Segundo a Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira o apelido "Lopes" foi-lhe atribuído pela sua mãe adotiva.

Em novembro de 1857 começou a trabalhar no Teatro Nacional D. Maria II de Lisboa,[2][3][4] onde atuou em peças como O filho do cego, A alegria traz o susto, Os homens sérios, Os fidalgos do Bois-Doré, Fogo no convento, Vida de um rapaz pobre, Nobres e plebeus e Um cura de almas. Escreveu algumas obras como a comédia A atriz e o provérbio Por este deixarás pai e mãe.

O rei Pedro V de Portugal, antes de casar com a princesa Estefânia de Hohenzollern-Sigmaringa, teve um caso com ela.[1] Manuela morreu de tifo na sua casa na Praça da Figueira e foi enterrada no Cemitério dos Prazeres.[1] Dionisio Gamallo Fierros foi um dos seus biógrafos.[5][6]

Notas e referências

Notas

* Este artigo foi inicialmente traduzido, total ou parcialmente, do artigo da Wikipédia em galego cujo título é «Manuela Rey», especificamente desta versão.

Referências

  1. a b c Reigosa Carreiras, Antonio. «Manuela Rey». Álbum de Mulembares (em galego). Conselho da Cultura Galega. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  2. «Rey González, María Manuela». Diccionario enciclopédico galego universal (em galego). 52. La Voz de Galicia. 2003–2004. p. 120. ISBN 84-7680-429-6 
  3. «Rey González, María Manuela». Dicionario biográfico de Galicia (em galego). 3. [S.l.]: Ir Indo Edicións. 2010–2011. p. 162-163 
  4. «Rey González, María Manuela». Enciclopedia Galega Universal (em galego). 14. Ir Indo. 1999–2002. p. 430. ISBN 84-7680-288-9 
  5. Gamallo Fierros, D. (9 de outubro de 1960). «Lugo en Lisboa hace 100 años. Manuela Rey, Pedro V y Pastor Díaz, una actriz dramática, un monarca y un embajador». El Progreso (em espanhol): 15-16 
  6. Gamallo Fierros, D. (19 de novembro de 1960). «Más sobre Manuela Rey González, la actriz mindoniense que enamoró a Pedro V de Portugal». El Progreso (em espanhol): 8 e 4 


  Este artigo sobre uma atriz é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.