Abrir menu principal
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2018). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Marcelo Bonfá
Marcelo Bonfá durante o tributo à Legião Urbana em 2012
Informação geral
Nome completo Marcelo Augusto Bonfá
Também conhecido(a) como Bonfá
Nascimento 30 de janeiro de 1965 (54 anos)
Origem Itapira, SP
País  Brasil
Gênero(s) Punk rock
Pós-punk
Rock alternativo
Folk rock
Instrumento(s) Bateria
Voz
Baixo
Gravadora(s) EMI
Trama
Afiliação(ões) Legião Urbana
Dado e o Reino Animal
Fernanda Takai
John Ulhoa
Jota Quest
Página oficial www.marcelobonfa.com.br

Marcelo Augusto Bonfá (Itapira, 30 de janeiro de 1965) é um baterista brasileiro, célebre como membro fundador da banda de rock alternativo Legião Urbana.

Início da carreira em BrasíliaEditar

Marcelo Augusto Bonfá viveu em Itapira até 1977, quando mudou-se para Brasília após seu pai, funcionário do Banco do Brasil, ser transferido para a capital brasileira.[1] Bonfá não demorou a se ambientar. Apesar de ser de uma cidade do interior paulista e a maioria dos jovens de Brasília que moravam em sua quadra terem vindo do Rio de Janeiro, conseguiu fazer amizade rapidamente. Desta forma fez amizade com Fê Lemos, que deixava-o brincar em sua bateria.[2] Sua primeira bateria foi presente de seu pai, quando estava de férias em São Paulo.

Bonfá formou uma banda com André Müller (futuro membro da banda punk Plebe Rude), chamada Metralhaz, que teve curta duração, além da banda Blitx 64. Também tocou na banda Dado e o Reino Animal, de seu amigo Dado Villa-Lobos.[3] Em 1982 foi chamado por Renato Russo para juntos iniciarem uma banda, chamada Legião Urbana.[4] Bonfá permaneceu na Legião até seu fim, anunciado oficialmente em 22 de outubro de 1996, após a morte de Renato Russo, em 11 de outubro de 1996.[5]

Carreira pós-Legião UrbanaEditar

No ano de 2000 Marcelo Bonfá lançou seu primeiro trabalho solo, O Barco Além do Sol, pela gravadora Trama, tendo vendagem superior a 30 mil cópias, e o single Depois da Chuva foi um dos mais executados nas rádios do Brasil[6] Em 2004 lançou o seu segundo trabalho solo intitulado Bonfá + Videotracks distribuído pela EMI. O último álbum solo se chama Mobile e foi lançado em 2007 no formato digital. Em todos seus discos solo, Bonfá contou com a parceria do letrista Gian Fabra. Atualmente Bonfá tem uma banda chamada de Bonfá e os Corações Perfeitos, em que seu filho João Pedro toca a guitarra.[7] Em sua carreira solo já vendeu mais cem mil cópias de seus três álbuns.

Marcelo Bonfá, (juntamente com o parceiro da extinta Legião Urbana, Dado Villa-Lobos), entre 2011 e 2012 participou de alguns shows da banda Jota Quest durante a turnê de 15 anos do grupo mineiro. No mesmo ano participou do Rock in Rio 4 em homenagem à Legião Urbana contando com participações de Toni Platão, Herbert Vianna, Pitty, Dinho Ouro Preto e Rogério Flausino.[8][9] Em 2012 participou do tributo MTV a Legião Urbana ao lado de Dado e Wagner Moura.[10]

Vida pessoalEditar

Tem dois filhos, Tiago Bonfá (nascido em 1991) fruto de relacionamento com Simone Bonfá e João Pedro Bonfá (nascido em 1988), também músico, fruto de seu relacionamento com a atriz Isabela Garcia e membro de sua banda solo.[11] Sua primeira neta, Luisa, filha de João Pedro e Ana Glória, nasceu em outubro de 2011.

Produz a Cachaça Perfeição em sua Fazenda Vistalinda em Santo Antônio do Rio Grande, Minas Gerais. A cachaça é orgânica, sem uso de agrotóxicos e química.[12][13]

DiscografiaEditar

SoloEditar

  • 2000 O Barco Além do Sol
  • 2004 Bonfá + Videotracks
  • 2007 Mobile (Marcelo Bonfá)
  • 2012 Bonfá e os Corações Perfeitos
  • 2016 Música de Alambique

Com Legião UrbanaEditar

 Ver artigo principal: Discografia de Legião Urbana

Com Dinho Ouro PretoEditar

Com Léo Jaime e Os Phodas CEditar

  • 1990 Sexo, Drops e Rock & Roll

Com May EastEditar

  • 1986 Remota Batucada

Ver tambémEditar

Referências

  1. Dapieve, Arthur. Renato Russo: o trovador solitário. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2000. p. 49.
  2. Dapieve, p. 50
  3. Marcelo, Carlos. Renato Russo : o filho da revolução. Rio de Janeiro : Agir, 2009. p. 232.
  4. Dapieve, p. 50-54
  5. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/1996/10/23/ilustrada/22.html. Página visitada em 29 de setembro de 2014.
  6. http://www.batera.com.br/Entrevistas/marcelo-bonfa-bateria-e-poesia-desde-os-anos-80. Página visitada em 29 de setembro de 2014.
  7. http://www.portalmegaphone.com.br/press/megaphoneentrevista-marcelo-bonfa-um-itapirense-no-legiao-urbana/[ligação inativa]
  8. «Show-tributo ao Legião Urbana tem coro de milhares e choro». G1. Consultado em 23 de dezembro de 2018 
  9. «Rock in Rio revive Legião Urbana e faz Cidade do Rock cantar em peso». SRZD. Consultado em 23 de dezembro de 2018 
  10. «Wagner Moura compensa com emoção limitações no tributo à Legião Urbana». O Globo.com. Consultado em 23 de dezembro de 2018 
  11. Essinger, Silvio (10 de fevereiro de 2013). «Astros do rock brasileiro dos anos 80 acompanham os herdeiros em sua entrada na música». O Globo. Grupo Globo. Consultado em 6 de setembro de 2017 
  12. http://oglobo.globo.com/rio/rio-gastronomia-2013/ex-legiao-marcelo-bonfa-se-prepara-para-colocar-cachaca-organica-no-mercado-9647482. Página visitada em 29 de setembro de 2014.
  13. http://economia.uol.com.br/empreendedorismo/noticias/redacao/2014/05/16/ex-baterista-da-legiao-urbana-cria-marca-de-cachaca-artesanal-organica.htm. Página visitada em 29 de setembro de 2014.
  Este artigo sobre músico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.